AÉCIO NEVES DIZ QUE VIVE SITUAÇÃO ‘KAFKIANA’

Foto: Evaristo Sá / AFP

Fechado em sua casa no Lago Sul, em Brasília, desde o dia 17 de maio, quando foi divulgado conteúdo do áudio que registrou o pedido de R$ 2 milhões ao empresário Joesley Batista sob o argumento de que precisava de dinheiro para custear sua defesa na Operação Lava Jato, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) tem dito a quem o visita que sua situação é “kafkiana”.

Para ele, em condições normais, o pedido de prisão do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, contra ele seria rejeitado. Na conjuntura atual, entretanto, tudo é possível, acredita o tucano.  O pedido de prisão contra ele deve ser analisado na terça-feira (20) pelo STF. Na semana passada, o Supremo decidiu manter a irmã Andrea Neves na cadeia.

De acordo com reportagem do Estadão, Aécio se desesperou ao saber da decisão do STF sobre Andrea Neves. “Ele está profundamente indignado, sobretudo com a situação da irmã”, disse José Aníbal, presidente do Instituto Teotônio Vilela, ao jornal paulista.

O tucano tem se articulado para tentar impedir sua cassação no Senado, evitar a saída de políticos do PSDB mineiro para outros partidos e, inclusive, teria sido um dos responsáveis pelo movimento que manteve o PSDB na base de Michel Temer, ainda segundo o Estadão. Por receio de grampos telefônicos, Aécio também estaria realizando suas conversas políticas pessoalmente ou por meio de interlocutores.

Com informações do Estadão.

Deixar uma Resposta

Publicidade