TROCA-TROCA DE DEPUTADOS DEU VITÓRIA AO PRESIDENTE TEMER NA CCJ DA CÂMARA

Foto: Lula Marques / Agência PT

A estratégia do governo de mostrar força no primeiro embate para tentar derrubar, na Câmara, a denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR), por corrupção passiva, contra o presidente Michel Temer foi vitoriosa. Ao final de uma intensa ofensiva junto a partidos aliados para enquadrar e substituir deputados rebeldes, Temer garantiu a rejeição da denúncia na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

Após dois dias de debate e argumentações acaloradas do governo e da oposição, o parecer do deputado Sergio Zveiter (PMDB-RJ), que recomendava o prosseguimento da denúncia do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, para o Supremo Tribunal Federal (STF), foi derrotado por 40 votos a 25, com uma abstenção, do presidente da CCJ, Rodrigo Pacheco (PMDB-MG). O resultado já era esperado. Nos últimos sete dias, o governo substituiu 13 deputados titulares da comissão por outros que prometiam votar em consonância com o Palácio do Planalto.

Logo após a rejeição do parecer de Zveiter, foi indicado um novo relator para encaminhar um texto alinhado com o que a maioria da comissão havia decidido. Coube ao deputado Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG) apresentar um texto desconstruindo a peça acusatória contra Temer e pedindo o arquivamento da denúncia. O relatório do tucano foi aprovado com quórum ainda mais alto: 41 votos sim e 24 contra. O presidente da CCJ absteve-se novamente. A próxima batalha acontecerá no plenário da Câmara, no próximo dia 2 de agosto.

Com informações do O Globo

Deixar uma Resposta

Publicidade