JOVEM CONFESSA TER MATADO POLICIAL MILITAR DE SANTA CATARINA EM NATAL

“Ela jogou uma cadeira, e a minha arma tava engatilhada. A cadeira pegou no revólver, bateu na ponta, o revólver desceu e eu apertei o dedo. Não tive nenhuma intenção de matar, não sabia nem pra onde tava atirando”. Essa é a justificativa apresentada à Polícia Civil por João Victor da Silva Pereira, de 18 anos, indiciado pela morte da policial militar de Santa Catarina, Caroline Pletsch, de 32 anos. O crime aconteceu em março deste ano, em Natal.

No vídeo divulgado pela Polícia Civil, o rapaz confessou que atirou na soldado e também no marido dela, o sargento Marcos Paulo da Cruz, de 43 anos, mas negou que tivesse intenção de matá-los. Ele também afirmou que foi convencido por um adolescente de 17 anos a atirar no homem. João Vitor foi indiciado junto com o adolescente e outras três pessoas. Duas delas ainda são procuradas pela polícia.

O casal de PMs estava de férias na capital potiguar e comia em uma pizzaria na Zona Norte da capital, quando foi anunciado um arrastão. Os policiais entraram em confronto com os assaltantes e foram baleados. Caroline não resistiu e morreu. Marcos Paulo sobreviveu e passou 19 dias internado em Natal, antes de voltar para Chapecó, onde trabalhava e morava com a esposa.

Deixar uma Resposta

Publicidade