DIARISTA CONFESSA QUE MATOU PATROA APÓS VER EXTRATO BANCÁRIO DE R$ 60 MIL

Foto: Reprodução / Faceboo / Liduina Maria Júnior Rios, de 60 anos, era servidora pública aposentada da Assembleia Legislativa do Ceará.

A servidora aposentada da Assembleia Legislativa do Ceará Liduína Maria Junior Rios, de 60 anos, foi encontrada morta dentro da própria casa no Bairro Coaçu, no município de Eusébio, na Região Metropolitana de Fortaleza, por volta das 23h desta quarta-feira (27). O corpo da vítima, segundo a polícia, apresentava lesões por faca.

O crime aconteceu após a empregada ter acesso a um extrato bancário de R$ 60 mil na última quarta-feira (27). O corpo da vítima foi encontrado pelo filho.

A Polícia Civil alega que o crime teria sido arquitetado pela diarista, identificada como Maria Aparecida Pereira do Nascimento, de 30 anos, uma semana antes do assassinato . O dinheiro seria usado para que ela fugisse para o Rio Grande do Sul, segundo a polícia.

Em depoimento, ela contou que outras duas mulheres ajudaram a executar o crime: a companheira e mais uma amiga. O trio tentou dopar Liduina com remédios triturados dentro de um suco. Mas a vítima se recusou a tomar. Em seguida, as três obrigaram a servidora pública a engolir os comprimidos. Enquanto dormia, a doméstica e as comparsas tiveram acesso à conta bancária.

Ao se dar conta de que restavam apenas mil reais dos R$ 60 vistos anteriormente na conta, a diarista decidiu matar a patroa . O corpo de Liduina foi encontrado pelo filho horas após o crime, amordaçado, amarrado e com duas lesões de faca no pescoço.

diarista havia sido contratada há pouco tempo. Como não havia sinais de arrombamento na cena do crime, os familiares desconfiaram desde o início que a diarista pudesse ter envolvimento, segundo o R7.

A polícia também descobriu que outros clientes de Maria Aparecida relataram que pertences sumiram das residências após a diárias realizar prestações de serviço.

Fonte: Último Segundo/IG

Deixar uma Resposta

Publicidade