Wilma de Faria admite aliança com PSD do vice governador Robinson Faria

Foto: Divulgação

Pré-candidata à prefeitura de Natal, a ex-governadora Wilma de Faria, presidente estadual do PSB, disse, em entrevista ao Poti/Diário de Natal, que está aberta para conversar com o PSD, do vice-governador Robinson Faria, com vistas ao pleito do próximo ano.

A pessebista comentou as articulações do governo para enfraquecer o partido de Robinson. “Ficou claro que houve uma ordem geral do governo para impedir o fortalecimento do partido do vice-governador”, afirmou. A ex-governadora comentou também a falta de posição da governadora Rosalba Ciarlini (DEM) diante dos problemas do governo. “Nos momentos de dificuldade, você não pode ser dissimulado. Você não pode se esconder. Tem que encarar a realidade e enfrentar o povo, de forma transparente, explicando o porquê de todas as decisões. Esse posicionamento não está acontecendo por parte da governadora”, avaliou. 

CONFIRA ALGUMAS PERGUNTAS DA ENTREVISTA

Poti/Diário- Como a sra. avalia o tratamento que o vice-governador Robinson Faria (PSD) vem recebendo do governo?

Eu vejo que hoje o governo está contando com muitos partidos que o apoiaram e permanecem na gestão, mas estranhei bastante essa divergência entre o vice-governador Robinson Faria e o ex-deputado Carlos Augusto, marido da governadora Rosalba Ciarlini (DEM). Robinson Faria disse reiteradas vezes que tudo que estava sendo feito para a criação do novo partido fora combinado com o casal Carlos Augusto e Rosalba. Foi estranho, de repente, que as coisas mudassem. Ficou claro que houve uma ordem geral do governo para impedir o fortalecimento do partido do vice-governador.

Poti/Diário-  Na sua avaliação, ainda há condições de Robinson permanecer na base do governo?

Essa será uma decisão dele. Só quem pode fazer essa avaliação é ele.

Poti/Diário- Robinson Faria seria bem recebido na oposição?

A população o receberia bem na oposição.

Poti/Diário- Essa articulação para impedir a ida de quatro deputados estaduais para o PSD é uma chave de roda do governo?

Na verdade, dá a entender isso, que foi uma decisão do governo para evitar o fortalecimento do partido de Robinson. Dessa forma, os deputados, na visão do governo, não deveriam migrar para o PSD.

Poti/Diário- A articulação do governo contra o PSD foi vista como uma forma de impedir que o vice-governador tivesse, na atual gestão, o poder que teve durante o seu mandato. Como era a influência dele no seu governo?

O Legislativo tem grande poder. Isso foi dado na Constituição. Robinson Faria debatia com o Executivo e usava sua influência muitas vezes contra o que nós defendíamos. Então, tínhamos que defender nossa posição.

Poti/Diário- Então foi isso que motivou a interferência de Carlos Augusto?

Robinson Faria e Carlos Augusto são muito parecidos. Por isso, se atritaram.

Poti/Diário- O prefeito Gilberto Kassab, presidente nacional do PSD, está afinado com o governador Eduardo Campos, presidente nacional do PSB.Eles anunciaram que pretendem formar alianças entre os dois partidos principalmente nas disputas por capitais. Em Natal, será possível uma dobradinha do PSB com o PSD?

É possível. Vamos abrir as portas para as discussões. Estamos abertos para debater e somar.

 

One response to “Wilma de Faria admite aliança com PSD do vice governador Robinson Faria

  1. tudo pode acontecer e vilma fortalecer, mas tá
    bem claro que ela vai ter uma grande confiança,
    vilma quer agora tambem só pegar as letrinhas,
    do PSD. mesmo no agreste ele perde até
    em monte alegre.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Topo