LÍDER DO PMDB DEFENDE UNIÃO DA BANCADA POTIGUAR PARA ‘EMPLACAR’ AS EMENDAS COLETIVAS DO RN

 

 O deputado Henrique Alves, líder da bancada do PMDB na Câmara dos Deputados, reforçou a necessidade de união dos parlamentares potiguares, em defesa do desenvolvimento do estado, durante o encontro da bancada federal do Rio Grande do Norte com a governadora Rosalba Ciarlini e instituições que pleiteiam recursos federais, tanto no Orçamento Geraldo da União de 2012 como a inclusão de projetos estruturantes no Plano Plurianual do governo federal.

 A prioridade dos parlamentares, deputados e senadores, reunidos em Brasília, na noite desta quarta-feira (9/11), foi em relação ao Plano Plurianual, já em fase de recepção das emendas de bancada para votação.

 A governadora e os parlamentares decidiram incluir no planejamento dos próximos quatro anos do governo federal a duplicação da BR-304; um novo terminal e acessos para o porto de Natal, na outra margem do rio Potengi; Veículo Leve sobre Trilhos, ligando Natal e região metropolitana; ponte sobre o rio Mossoró, entre Areia Branca e Grossos;  viaduto da Cidade Satélite, em Natal e canal do sal, entre as salinas e a foz do rio Mossoró, além de infra-estrutura para as ZPE’s e distritos industriais.

 Já as emendas coletivas de bancada para o Orçamento Geral da União do próximo ano ainda vão ser definidas durante a reunião convocada para o dia 23 pela coordenadora da bancada potiguar, Sandra Rosado. Entre os pleitos já apresentados, constam recursos para as três universidades públicas do estado: UERN, UFERSA e UFRN; Maternidade Januário Cicco; novos hospitais para a capital e o interior e equipamentos médicos; divulgação do turismo; obras hídricas, principalmente barragens, e de infra-estrutura, inclusive para Copa do Mundo de 2014.

 No total serão 18 emendas coletivas, sendo cinco no PPL e 15 no OGU de 2012. Como os parlamentares terão de excluir alguns pleitos, que superam o número de emendas possíveis de apresentação, deputados e senadores também vão procurar os relatores do PPL e do OGU, além de ministros, para tentarem incluir emendas de projetos que possam ser viabilizados. “A parte mais difícil é a liberação dos recursos para execução das emendas, mas precisamos dessa organização e demonstração de união e força da bancada para que as emendas sejam, primeiramente, acatadas e, depois, viabilizadas”, defendeu Henrique Alves.

Fotos: Lindauro Gomes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Topo