A ARQUITETA FERNADA MORAES CONCEDEU ENTREVISTA AO BLOG

A arquiteta Fernanda Moraes,  neta do ex-prefeito  Janilson Ferreira,  filiada ao Democratas, concede sua primeira entrevista ao Blog e fala sobre política, geração de emprego, gestão pública e o futuro político do DEM em São José de Mipibu.

 

1) Como você se identifica com a política mipibuense?

A política de São José faz parte do meu dia a dia. Nas conversas em família sempre há algum assunto acerca dos acontecimentos do município. Ainda criança, já presenciava as reuniões e conversas do meu avô Janilson Ferreira em sua varanda na fazenda Lagoa do Fumo. Quando adolescente tive que tomar a decisão de onde iria votar, pois temos residência em São José, onde tia Norma seria candidata e em Natal onde tio mano (Deputado Estadual Hermano Moraes) era candidato a vereador. E escolhi São José.

2) Na sua opinião, quais são as  principais dificuldades na  atual  administração pública mipibuense?

Em uma análise resumida, quanto à gestão administrativa-financeira acredito que as principais dificuldades são decorrentes da Prefeitura depender dos recursos do FPM, situação que o gestor tem que mudar. Na área estratégica, percebe-se uma certa apatia quanto aos investimentos em infraestrutura, viabilização de parceiros e incentivos aos empreendedores, gerando renda e empregos. Vejamos os exemplos de Parnamirim e mais recentemente Goianinha, com seu distrito industrial.

3) Como você analisa o quadro político de São José de Mipibu?

O quadro político atual é efervescente e a cidade tem que tirar proveito disso. Vê-se o interesse e participação das maiores lideranças e dirigentes partidários do estado no atual quadro político de São José e a junção das lideranças locais com as estaduais deve ser viabilizada em prol do desenvolvimento do município. É uma oportunidade de pensar grande, deixar de lado intrigas e rivalidades que atrasam o município.

4) Qual é a saída para o  município de  São José de  Mipibu superar a falta e geração de emprego e renda?

Com a acelerada expansão urbana que está chegando, além do desemprego de hoje, há o risco do agravamento. A prefeitura pode ajudar muito disponibilizando uma estrutura técnica para intermediar o acesso dos cidadãos aos inúmeros órgãos de apoio aos micros, pequenos e médios negócios (bancos, SEBRAE, FIERN, Governo Federal, Governo Estadual, SENAI, SESI, etc).
A prefeitura deve viabilizar parcerias com os Governos Federal e Estadual para a melhoria da infraestrutura urbana e rural, pois São José tem reconhecida capacidade produtiva no agronegócio, como também o incentivo a implantação de parques industriais e parques de entrepostos (baldeação de produtos industrializados), aproveitando a situação geográfica estratégica do município (próximo do aeroporto, do porto, estradas asfaltadas, próximo de grandes centros consumidores, etc).

5) Se convocada  pelo seu partido para defender um mandato eletivo, qual será a sua decisão?

Estou à disposição do partido, inclusive tenho sido bastante incentivada.

6) Como vai caminhar o DEM, seu partido, nas eleições municipais de 2012?

O assunto já é de conhecimento público. O DEM, em decorrência de determinação nacional não fará coligação com o PSD, e achamos que é importante para o desenvolvimento do município que o partido se fortaleça apresentando candidatos tanto para mojoritária quanto para a câmara.

7) O que a juventude mipibuense pode esperar de você?

Uma jovem arquiteta que se propõe a ingressar na atividade política com ética e responsabilidade, se comprometendo a compartilhar com a nova geração as ideias e ações a favor de São José de Mipibu.

5 responses to “A ARQUITETA FERNADA MORAES CONCEDEU ENTREVISTA AO BLOG

  1. OPA,Dúvida? se ela esta a disposição do partido DEM, e se a mãe (Nadja) é mesma candidata em Natal a uma vaga na câmara. Qual a campanhar que séra mais beneficiada a de mipibu ou a de Natal. Já que o candidato do PMDB não chega a 10% dos votos validos nas pesquisa e se olhando por esta parte, um vereador(a) que tentar se eleger ao lado deste candidato sem numca ter sido totalmente aparecido na capital fica de 1% a 2% e continua muito baixa a votação. Resumindo perde o candidato a prefeito e o candidato(a) a câmara. Familia FERR – EIRA

  2. Se com toda essa sabedoria, a candidata hoje a vice, não conseguiu mudar a tragetória de SJM estando na família, por que mudaria no lado oposto. att. Crisóstomo.

  3. A analista Claudete precisa rever suas contas: se seu raciocínio tivesse algum fundamento, a Nadja estaria eleita nos primeiros lugares. 1 a 2% significariam 5700 a 11400 votos!!!!!

  4. O Crisóstomo tá fazendo a parte dele?
    Cobrar ações práticas da jovem que não teve mandato? Cada um no seu tempo!!!
    Pouco apreço a estudo, conhecimento, ideias??? e a ética!?!?

  5. Gostamos das respostas da Fernanda, sangue novo chegando. Torcemos para que saiba separar as boas das más experiências herdadas, juntar alguns votos e não perder o entusiasmo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Topo