RN: REABERTURA DAS ATIVIDADES ECONÔMICAS EXIGE RESPONSABILIDADE DAS EMPRESAS OU HAVERÁ RETROCESSO

A governadora Fátima Bezerra disse em entrevista coletiva nesta terça-feira, 30, que o início da retomada gradual das atividades econômicas programada para esta quarta-feira, 1º de julho, é uma decisão tomada com base nas análises feitas pelo Comitê Científico de assessoramento ao Estado na pandemia, que apontam a redução da taxa de transmissibilidade e a ocupação de leitos. “Esses indicadores orientam a retomada gradual e segura das atividades após mais de 100 dias do primeiro decreto com as medidas de proteção no enfrentamento ao novo coronavírus”, afirmou.

A chefe do Executivo estadual alertou que as medidas restritivas continuam valendo. “Carreatas, passeatas, manifestações que gerem aglomerações continuam proibidas e o governo será rigoroso na fiscalização”, disse, conclamando os prefeitos e autoridades municipais a fortalecerem o Pacto Pela Vida.

O Governo vai fiscalizar o cumprimento das normas e protocolos sanitários pelas empresas na realização de suas atividades e dará todo suporte através dos órgãos da segurança pública, do Procon RN e da Vigilância Sanitária às prefeituras que devem somar nesta fiscalização.

Os municípios com mais de 15 mil habitantes devem definir horários para o funcionamento do comércio e do transporte público.

Fátima Bezerra ressaltou que o momento não é de liberação geral. O plano que começará a ser executado estabelece a retomada gradual das atividades e precisa contar com o comprometimento dos empresários, trabalhadores e poderes para que as normas de sanitárias e de distanciamento social sejam cumpridas.

“Precisamos manter o esforço concentrado, através do Pacto pela Vida, para que possamos dar este passo de retorno às atividades com segurança. Ainda não vivemos tempos de normalidade. A situação requer cautela e há a necessidade imperiosa de mantermos o distanciamento e o isolamento social associados ao uso obrigatório da máscara”, reforçou governadora.

O plano de reabertura gradual das atividades econômicas do Governo do RN tem como base uma proposta apresentada pelos setores produtivos representados por federações como as do Comércio e da Indústria.

“Portanto, os empresários também devem somar neste esforço cumprindo as regras sanitárias e medidas protetivas, orientando e fornecendo insumos de prevenção aos empregados. A retomada deve ser muito organizada e responsável para que não tenhamos um retrocesso, como ocorreu em outros Estados. Se houver aumento da contaminação e da ocupação de leitos não hesitaremos em voltar a restringir as atividades para proteger a vida das pessoas. Nosso Governo não abre mão da defesa da vida. Tomamos esta decisão com muita responsabilidade para retomada consistente e gradual”, afirmou a governadora.

RETOMADA REQUER OBEDECIMENTO DE REGRAS

O coordenador do Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (LAIS) da UFRN e integrante do Comitê Cientifico de assessoramento ao Governo do RN, professor Ricardo Valentim, também enfatiza que o momento é de o setor produtivo e toda a população obedecerem às regras para retomada gradual das atividades.

“O Comitê Científico monitora diariamente o comportamento da pandemia. Devemos agir com cautela e cuidado. O momento é também de reforçar as ações do Pacto pela Vida para que não seja preciso retroagir caso haja mudança do quadro de transmissibilidade e ocupação de leitos”, explicou, para acrescentar que “se aumentar a taxa de transmissibilidade, que vem reduzindo, se houver aumento da demanda por leitos, e se não houver compromisso com as medidas sanitárias a suspensão das atividades vai voltar mais rígida. Não é ‘liberou geral’. É uma liberação gradual e muito cuidadosa, com planejamento e medidas sanitárias”.

EMPRESAS ORIENTAM SEUS FUNCIONÁRIOS

Também durante a coletiva de imprensa, o professor Juciano Lacerda, do Programa de Pós-graduação em Estudos de Mídia da UFRN e integrante do Comitê Científico destacou a co-responsabilidade do setor produtivo na implementação da retomada. Ele alertou que é preciso que as empresas trabalhem com a sociedade para que pessoas não interpretem que está tudo liberado, como ir à praia. As medidas de proteção continuam em vigor.

“Nas cidades onde houve a retomada, nos primeiros dias a população foi em massa às ruas e houve agravamento da situação. Não queremos isso”, lembrou. Juciano considera importante que as empresas e instituições devem atuar através dos seus canais de comunicação nas redes sociais divulgando mensagens educativas, cuidados que devem continuar sendo adotados e informando sobre como cada segmento vai funcionar.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Topo