GRUPO LAMENTA SAÍDA DO PROCURADOR FLAGRADO EM ACADEMIA DURANTE REABERTURA NO RN

Foto: Reprodução

O Grupo de Trabalho do Ministério Público Federal(MPF), GT-Covid, criado para analisar as medidas relacionadas à pandemia no Rio Grande do Norte, divulgou nota neste sábado, lamentando a saída do procurador Fernando Rocha  da função, destacando o trabalho realizado por ele, que contribuiu decisivamente com as medidas que foram adotadas pelo Grupo.

Na nota, o  Grupo  afirma que o procurador Fernando Rocha pediu “desculpas publicamente” após ser flagrado em uma academia em Natal, durante o processo de reabertura no estado e reconheceu a contradição de sua ida à academia, um ato pessoal e isolado.

O procurador, que durante a  pandemia criticou  a flexibilização, sendo contra a retomada das atividades econômicas, foi flagrado em uma academia em Natal, no primeiro dia de reabertura do estabelecimento, dentro do planejamento de retomada gradual.  O MPF entrou com um recurso na justiça para reverter a decisão que autorizou a retomada dos serviços não essenciais em Natal.

Em nota também enviada à imprensa, o procurador admitiu que errou ao sair de casa para ir à academia e anunciou que estava deixando o Grupo de Trabalho do MPF-RN, dedicada à Covid-19.

Nota Pública: GT Covid-19

O Grupo de Trabalho estadual de acompanhamento das medidas governamentais e privadas relacionadas ao novo coronavírus (GT Covid MPF-RN), formado por membros do Ministério Público Federal no RN, esclarece a respeito dos fatos relacionados ao procurador da República Fernando Rocha, que ele já se desculpou publicamente e reconheceu a contradição de sua ida à academia, um ato pessoal e isolado.

Como integrante do GT, o procurador contribuiu decisivamente com as medidas que foram adotadas pelo Grupo, além de ter articulado com o Lais (Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde da UFRN) a criação de duas plataformas pioneiras no país para a gestão da crise provocada pela pandemia: a Regula-RN – que uniformizou e tornou mais rápida a regulação de leitos e acesso de pacientes ao tratamento adequado – e a Fiscaliza-RN – que utiliza a inteligência artificial para controle dos gastos públicos no combate ao novo coronavírus.

Dessa forma, o grupo reconhece o trabalho excepcional desenvolvido e lamenta profundamente sua saída, decorrente de uma decisão estritamente pessoal, bem como repudia os ataques pessoais ao procurador Fernando Rocha.

O GT Covid-19 segue firme na defesa dos direitos da população potiguar neste momento difícil, com atuação fundamentada em questões técnicas e dados científicos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Topo