MÉDICOS DA UFRN NÃO APROVAM USO DE IVERMECTINA COMO PREVENÇÃO DA COVID-19

Foto: Cícero Oliveira

Médicos e professores do Departamento de Infectologia (DINF), da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), não aprovam o uso  de ivermectina ou qualquer outro medicamento para prevenir o novo coronavírus.

Por meio de nota o Departamento de Infectologia divulgou nesta quinta-feira, 9, uma nota que trata do uso de medicação e de terapêuticas no tratamento da covid-19, e esclarece que não há dados na literatura que justifiquem o uso de qualquer fármaco para evitar a infecção pelo  novo coronavírus.

O documento é direcionado aos médicos e à comunidade acadêmica da UFRN e resulta de discussões em torno do uso de medicamentos para prevenção pré ou pós-exposição ao novo coronavírus ou com a finalidade de tratar a covid-19.

O objetivo é apresentar o que a literatura científica disponível tem a dizer de mais atual a respeito do uso dessas medicações. Para isso, os professores do DINF orientaram as discussões em torno de quatro temas:

1 – O uso de medicamentos antes da exposição ao novo coronavírus para evitar infecção

Até o momento não há dados na literatura que justifiquem o uso de qualquer fármaco para evitar a infecção pelo SARS-CoV-2 ou ainda, que possa impactar na gravidade da doença antes que ela se estabeleça, como por exemplo a ivermectina.

2 – O uso de fármacos para prevenir a infecção após a exposição ao vírus,

3 – A administração de remédios para controlar ou reduzir a multiplicação do vírus no organismo

4 –  O uso de terapêuticas com ação no sistema imune no tratamento de complicações decorrentes da covid-19.

A nota trata do uso da cloroquina, da hidroxicloriquina, da azitromicina, da ivermectina, da dexametasona, além de outros medicamentos utilizados no tratamento da doença, considerando as evidências científicas demonstradas até o momento. O documento também informa que diante de novos estudos que venham a surgir, as recomendações do DINF serão atualizadas.

Para acessar a nota, clique no link.

One response to “MÉDICOS DA UFRN NÃO APROVAM USO DE IVERMECTINA COMO PREVENÇÃO DA COVID-19

  1. Não existe comprovação científica em quase nada que se refere à COVID-19. Na realidade tudo que está sendo feito é um grande teste. Engraçado que um dos entusiastas da eficácia da Ivermectina é justamente um professor de renome, aposentado da UFRN, o infectologista e alergologista, Dr. Fernando Suassuna .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Topo