COVID-19: ESTUDO DE PREVALÊNCIA DA UFPEL INDICA TENDÊNCIA DE DESACELERAÇÃO NO BRASIL

Foto: TARSO SARRAF / AFP

Dados da quarta etapa da pesquisa EpiCovid-19 BR, da Universidade Federal de Pelotas (Ufpel), reforçam a percepção de que a Covid-19 está desacelerando no país. Foram coletadas amostras sorológicas em 33.250 pessoas entre 27 e 30 de agosto em 133 municípios. Os pesquisadores da universidade identificaram que 1,4% das pessoas testadas apresentaram anticorpos, uma redução em relação à terceira fase (3,8%).

A quarta fase da pesquisa da Ufpel, que monitorou a prevalência entre os meses de maio e junho, deveria ter começado em 9 de julho, como reportou O GLOBO. No entanto, os trabalhos foram interrompidos depois que o Ministério da Saúde não renovou o contrato com a universidade, firmado na gestão de Luiz Henrique Mandetta. O retorno da pesquisa foi viabilizado — sem verba federal — após um acordo com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e a iniciativa Todos pela Saúde.

A diminuição em relação à terceira etapa indica que o vírus circula com menos intensidade pelo país, mas a menor prevalência de anticorpos não significa que a população está menos protegida. Segundo os autores, a memória imunológica aquirida pelo organismo contra o patógeno mantém as pessoas suficientemente protegidas em caso de nova infecção.

Isso ocorre porque os anticorpos contra o Sars-CoV-2 só são detectáveis pelos kits utilizados pelos cientistas da Ufpel durante algumas semanas, ao contrário do que se imaginava inicialmente. Segundo os autores do estudo, o mesmo padrão tem sido identificado ao redor do mundo com diferentes tecnologias de testagem. Por isso, é possível identificar se a infecção ocorreu recentemente.

Fonte: O Globo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Topo