SEIS HOSPITAIS UNIVERSITÁRIOS FEDERAIS JÁ FAZEM PARTE DA REDE DE PESQUISA PARA TESTAR VACINAS CONTRA A COVID-19

Um trabalho em parceria direta com o Governo Federal no enfrentamento à Covid-19 é realizado pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), vinculada ao Ministério da Educação. Seis hospitais universitários da Rede Ebserh integram os centros de pesquisa brasileiros responsáveis por testar a segurança e a eficácia de três vacinas contra a doença.

Todas as três vacinas já estão na terceira fase de testes e foram liberadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

“São estudos de fase três, que verificam se as vacinas funcionam, então, a sua eficácia e seus efeitos colaterais. Cada tipo de vacina tem um protocolo específico, e os hospitais são selecionados ou por chamamento ou por convite das empresas fabricantes ou de governos, ou, então, eles se candidatam para participar de uma seleção para ser um local de estudo dessas vacinas”, explicou o Diretor de Ensino, Pesquisa e Atenção à Saúde da Rede Ebserh, Giuseppe Gatto.

Os seis hospitais vinculados à Ebserh que fazem parte da pesquisas estão em Brasília (DF), Curitiba (PR), Pelotas (RS), Salvador (BA), Cuiabá (MT) e Santa Maria (RS).

Segundo Giuseppe Gatto, ao participar das pesquisas da vacina contra a Covid-19 os hospitais universitários contribuem com a sociedade. “Os hospitais universitários estão na vanguarda da ciência. Estão sempre envolvidos com pesquisas de ponta. E, no momento que estamos vivendo, pesquisar Covid ou coronavírus é muito importante. E nós temos dedicado boa parte dos nossos esforços nisso, disse Gatto.

“Participar das pesquisas da vacina faz parte do que é de mais necessário, de mais vanguarda para a sociedade no momento, que é conseguir ter uma vacina eficaz, eficiente, segurança e que proteja a nossa população”, completou o diretor da Rede Ebserh.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Topo