BRASIL VIVE ‘INÍCIO DE 2ª ONDA’ DE COVID POR FALTA DE TESTES, DE POLÍTICA CENTRALIZADA E DE ISOLAMENTO SOCIAL, APONTAM PESQUISADORES

Foto: Reprodução/TV Globo

Pesquisadores brasileiros divulgaram nesta segunda-feira (23) uma nota técnica na qual, baseados em dados da pandemia do novo coronavírus no Brasil, afirmam que o país vive o “início de uma 2ª onda”. Além do diagnóstico, o grupo formado por cientistas de diferentes universidades públicas faz uma série de recomendações para diminuir o impacto do crescimento dos casos e mortes por Covid-19 (veja detalhes abaixo).

Eles apontam ao menos três fatores para o “aumento explosivo” ou “manutenção da grande circulação do vírus”:

– falta de “testagem sistemática com rastreamento de casos”

– falta de uma “política central coordenada, clara e eficaz de enfrentamento da situação”

– “afrouxamento das medidas de isolamento sem evidências empíricas, sem uma análise cuidadosa por uma painel de especialistas”

“A situação no Brasil se deteriorou fortemente nas últimas duas semanas, e o início de uma segunda onda de crescimento de casos já é evidente em quase todos os estados, de forma particularmente preocupante nas regiões mais populosas do país”, afirmam os pesquisadores na Nota Técnica – 22/11/2020 Situação da Pandemia de Covid-19 no Brasil.

  Recomendações

Os pesquisadores alertam que é “urgente” que medidas sejam tomadas neste início de retomada da gravidade da pandemia. Eles listam:

– “Gestores públicos devem basear suas decisões na melhor evidência científica disponível”

– “Estabelecer uma coordenação central no governo federal”

– “Políticas de isolamento e distanciamento social devem ser intensificadas o quanto antes, até atingir um controle efetivo da pandemia”

– “Implementar uma extensa política de testagem de infecção pelo vírus SARS-CoV-2, com o rastreamento e isolamento de contatos”

– “Realizar extensas campanhas públicas de informação da população”

– “Implementação de real e efetivo apoio financeiro aos cidadãos menos favorecidos”

Do G1/Bem Estar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Topo