JUSTIÇA MANDA AFASTAR SECRETÁRIO DE SAÚDE QUE VACINOU ‘MULHER DA VIDA DELE’, DIZ MP

Secretário Assis Silva Filho e esposa — Foto: Reprodução/Facebook

Secretário de Saúde de Pires do Rio, no sudeste goiano, Assis Silva Filho foi afastado por 60 dias do cargo, segundo informou o Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO). De acordo com o órgão, a medida foi solicitada à Justiça para que ele não atrapalhe investigações em andamento sobre o fato de ele ter cedido uma dose da CoronaVac à própria esposa, mesmo sem ela fazer parte dos grupos prioritários do Plano Nacional de Imunização (PNI) da Covid-19.

O MP-GO divulgou que a medida de afastamento foi concedida pelo juiz José dos Reis Pinheiro Lemes na sexta-feira (22). O órgão informou ainda que, durante o período em que ele estiver afastado, correrão investigações para saber se ele cometeu os crimes de abuso de autoridade e prevaricação.

Em transmissão ao vivo em uma rede social, na sexta-feira, o secretário admitiu que deu uma dose da vacina contra a Covid-19 que o município de Pires do Rio recebeu à sua esposa. Durante o vídeo, ele pediu desculpas pela atitude que tomou e justificou que a fez para proteger a “mulher da vida dele”.

“Foi com intuito de resguardar e preservar a saúde e a vida da mulher da minha vida. Sou capaz de dar minha própria vida por ela”, afirmou.

Segundo o próprio secretário, a esposa dele tem mais de 70 anos e o acompanha no trabalho, visitando muitas vezes as unidades de saúde do município. No entanto, não está prevista a vacinação de pessoas idosas que não estejam institucionalizadas nesta primeira fase do programa de imunização da Covid-19.

Por meio de nota, a Prefeitura de Pires do Rio informou que “as devidas providências já estão sendo tomadas e que a apuração dos fatos já está sendo realizada”. As informações são do G1/Goiás.

Prioridades

Segundo diretrizes do Ministério da Saúde (MS) devem ser vacinados contra a Covid-19, com prioridade:

Profissionais da saúde;

Pessoas idosas residentes em instituições de longa permanência (institucionalizadas);

Pessoas a partir de 18 anos de idade com deficiência e residentes em Residências Inclusivas (institucionalizadas);

População indígena vivendo em terras indígenas.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Topo