GREVE DOS PETROLEIROS É INICIADA EM 4 ESTADOS

Foto: Reprodução: FUP/ Divulgação.

Movimento iniciado pelo Sindipetro Bahia em fevereiro deste ano ganhou apoio de sindicalistas petroleiros do Amazonas, São Paulo e Espírito Santo, na sexta- feira (05).

A Petrobras e o Sindipetro haviam iniciado as negociações com o RH Corporativo em 18 de fevereiro. Contudo, após algumas rodadas de negociação, os petroleiros decidiram retomar a greve.

Segundo o Sindipetro, muitos trabalhadores permanecem no interior da RLAM (Refinaria Landulpho Alves), mesmo após o final dos seus turnos de trabalho, prática essa que tem sido adotada pela Petrobras durante os movimentos paredistas.

Ainda na 6ª feira, tiveram mobilizações e protestos na Rnest (Refinaria Abreu e Lima), em Pernambuco, e na SIX (Usina do Xisto), no Paraná.

Os grevistas fazem uma série de cobrança à Petrobras. Dentre elas, estão:

  • Condições seguras de trabalho;
  • Fim do assédio moral a trabalhadores;
  • Manutenção dos empregos;
  • Respeito ao ACT (Acordo Coletivo de Trabalho); e
  • Fim das dobras de turno e das prorrogações de jornada.

Outro ponto questionado pelos grevistas são as medidas de proteção contra o coronavírus. Segundo a FUP, “em um ano de pandemia, mais de 5.200 trabalhadores da Petrobras já se contaminaram. Isso equivale a mais de 11% do efetivo próprio da companhia. Ou seja, o dobro da média nacional. A cada semana, são mais de 420 trabalhadores infectados pela Covid-19 e uma média de 20 hospitalizados“.

Poder360

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Topo