BRASIL É O PAÍS COM MAIOR NÚMERO DE JORNALISTAS MORTOS POR COVID, DIZ FENAJ

Foto: Pixabay

O Brasil é o país que registrou o maior número de jornalistas mortos por covid-19 no mundo. Foram 169 mortes registradas de abril de 2020 a março de 2021, superando o Peru, que registra pouco menos de 140 mortes.

O dado faz parte do dossiê “Jornalistas vitimados por covid-19” elaborado pela Fenaj (Federação Nacional dos Jornalistas) e divulgado nesta 3ª feira (6.abr.2021). Eis a íntegra (2MB). .

O estudo também mostra que em 3 meses o número de mortes em 2021 supera todo o ano de 2020, quando foram registradas 78 mortes de abril a dezembro. Em 2021, são 86 vítimas, percentual 8,6% maior que no total de 2020.

O relatório também aponta que a média de mortes por mês passou de 8,5 por mês em 2020, para 28,6 mortes por mês em 2021, aumento de 264% no número médio de vítimas.

O 1º caso de morte por covid-19 entre jornalistas no Brasil foi registrada em abril de 2020, mês em que 7 profissionais perderam a vida. O número se manteve relativamente constante até outubro. Novembro e dezembro apresentaram elevação na curva de vítimas, tendência que se confirmou em janeiro.

O primeiro mês de 2021 chegou à marca de 26 mortes, 1/3 do número total verificado no ano anterior. Em fevereiro ocorreram 13 mortes. Em março, o pior mês da pandemia na categoria jornalística, foram 47 mortos.

São Paulo, Pará e Amazonas são os Estados que registram o maior número de vítimas da covid-19 entre jornalistas. Foram 19 mortes casos em cada um. Apenas o estado do Acre não apresenta nenhum caso fatal entre jornalistas, mas segundo o relatório é plausível conjecturar que exista subnotifcação.

O estudo apontou ainda que 55% das mortes na categoria se concentram na faixa etária de 51 e 70 anos. As mulheres responderam por 9,8% das mortes.

A média de idade das jornalistas mortas por covid-19 é bem mais baixa do que a dos homens. Enquanto a média geral de idade é
de 61 anos, a das mulheres é de 43 anos. Pesquisa do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) de 2019 aponta que as mulheres ocupam 36% dos postos de trabalho na categoria.

Poder360

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Topo