NOVA VERSÃO DE MONIQUE É ‘PEÇA DE FICÇÃO’, DIZ DEFESA DE JAIRINHO

Foto: Reprodução

A defesa do vereador Dr. Jairinho (sem partido) classificou a carta escrita por Monique Medeiros como uma “peça de ficção”. Em alguns trechos das 29 páginas, a mãe de Henry contou que o vereador a teria medicado na madrugada do crime e relatou ter sido orientada a mentir sobre o crime.

Na carta, Monique alegou ainda que mentiu à polícia e contou sua versão sobre o ocorrido no dia 8 de março. A professora detalhou ainda supostas agressões e revelou crises de ciúmes por parte de Dr. Jairinho, principalmente com Leniel Borel, pai da criança.

Procurado pelo UOL, o advogado do vereador, Braz Sant’Anna, disse que ‘”não há realidade no relato dela”. O defensor acrescentou:

“Sem falar sobre a tese da defesa, o que somente farei após a denúncia, posso adiantar que a carta da Monique é uma peça de ficção, que não encontra apoio algum nos elementos de prova carreados aos autos”.

Na carta, Monique Medeiros diz que foi “treinada por dias para contar uma versão mentirosa por me convencerem de que eu não teria como pagar por um advogado de defesa e que eu deveria proteger Jairinho, já que ele se dizia inocente”.

UOL

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Topo