PORTA DOS FUNDOS VENCE PROCESSO MOVIDO POR ENTIDADE CATÓLICA CONTRA VÍDEO

Foto: Reprodução

 A produtora Porta dos Fundos e a Netflix venceram um processo na Justiça em que a Associação Centro Dom Bosco de Fé e Cultura pedia uma indenização, por danos morais, por causa do vídeo “A primeira tentação de Cristo”, publicado em dezembro de 2019. Ainda cabe recurso.

O conteúdo, disponível na plataforma de streaming, faz uma sátira com episódios bíblicos da vida de Jesus Cristo e insinua que ele teve uma experiência homossexual.

A juíza Adriana Sucena Monteiro Jara Moura, da 16ª Vara Cível do Rio de Janeiro, do TJ-RJ (Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro), negou o pedido da entidade católica.

A associação afirmou no processo que o conteúdo ofende a crença, a fé e os sentimentos dos católicos.

Além da indenização, no valor do faturamento das empresas com o vídeo somado ao montante de R$ 2 milhões (correspondentes a aproximadamente R$0,02 por brasileiro que professa a fé católica), a entidade pedia a exclusão do vídeo.

Na decisão, da última 4ª feira (21.abr.2021), a juíza escreveu que não houve “qualquer intolerância religiosa”. Afirmou também que a prática não pode ser confundida “com a crítica religiosa, realizada por meio de sátira, a elementos caros ao Cristianismo”.

A magistrada argumentou que, para haver dano moral, é preciso que a conduta afete “intoleravelmente e injustamente os valores e interesses coletivos fundamentais ou a tranquilidade social, mediante a ocorrência de conduta maculada de grave lesão”.

Poder 360

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Topo