GUARDA MUNICIPAL RESGATA MAIS DE 20 ESPÉCIES DE ANIMAIS SILVESTRE NESTE ANO EM NATAL

Fotos Divulgação

O Grupamento de Ação Ambiental da Guarda Municipal do Natal (Gaam/GMN) vem realizando um trabalho continuado de resgate e proteção de animais silvestres no âmbito da capital. Somente no primeiro quadrimestre deste ano foram notificadas o resgate de duas dezenas de espécies que estavam perdidas no ambiente urbano, machucadas ou distante do seu habitat.

As ocorrências de resgates de animais silvestres em Natal estão localizadas em todos os bairros e muitas vezes a contribuição da população é um fator primordial no acionamento das guarnições para agir no trabalho de amparo, cuidado e destino correto desses animais. Já que em tantos casos, sem essa ação das guarnições os animais teriam poucas chances de sobrevivência.

Durante esse ano já foram registradas o resgate de espécies como o frango-d’água-azul, tatupeba, cágado, gavião-carijó, periquito-da-caatinga, coruja-de-igreja, sagui-do-tufo-branco, gambá, iguana, papa-capim-capuchinho, sabiá-da-mata, corujinha-de-orelha, asa-de-telha-pálida, garibalde, além outras aves mais comuns, a exemplo do azulão, golinho, galo de campina, rolinha, entre outros.

O coordenador do Gaam/GMN, Isaac Cruz, explicou que o trabalho de resgate é uma das missões que compete ao Grupamento Ambiental da Guarda, pois por Natal ser uma capital com uma considerável área de Zona de Proteção Ambiental é comum a ocorrência de animais silvestres no setor urbano, o que coloca em risco as suas vidas. “No momento que somos acionados vamos ao local, realizamos o resgate e direcionamos para a instituição de proteção que avalia a saúde do animal e o reconduz a natureza. É um trabalho de proteção e valorização da nossa fauna”, informou.

A ação dos guardas do Gaam já resultaram em resgate de animais exóticos como uma arrara azul, jacaré e até mesmo jiboia. Algumas vezes o atendimento chega para animais ainda filhotes, que de alguma forma caíram de ninhos ou se perderam da proteção dos genitores. “Nessas situações é importante que o cidadão nos acione, mantenha o local isolado até a nossa chegada e nunca tentem agredir o capturar o animal sem o conhecimento técnico para isso”, alertou Isaac.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Topo