QUEIROGA: É PRECISO ‘TRANQUILIZAR A POPULAÇÃO’ PARA ENFRENTAR CRISE SANITÁRIA DA COVID-19

Foto: Wallace Martins/Futura Press/Estadão Conteúdo

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, defendeu neste sábado (29) que o país concilie “a saúde com a retomada da economia”. Em discurso na cidade de Iguape, no interior de São Paulo, o ministro afirmou ser preciso “tranquilizar a população brasileira para que ela possa conosco enfrentar esse desafio sanitário”.

“Vou para o Recife e vou visitar a região do agreste pernambucano, que teve um aumento de casos uma pressão sob o sistema de saúde, e nós vamos levar concentradores de oxigênio para socorrer aquela região”, explicou.

O estado de Pernambuco e outras duas unidades da federação foram alvos de um recurso do presidente Jair Bolsonaro, no STF (Supremo Tribunal Federal), contra as medidas de restrição de mobilidade que visam reduzir a curva de contágio.

Na ação proposta pela AGU (Advocacia-Geral da União), o governo sustenta que Pernambuco, Rio Grande do Norte e Paraná impuseram regras que “não se compatibilizam com preceitos constitucionais inafastáveis, como a necessidade de supervisão parlamentar, a impossibilidade de supressão de outros direitos fundamentais igualmente protegidos pela Constituição e a demonstração concreta e motivada de que tais medidas atendem ao princípio da proporcionalidade”.

Em audiência pública na Câmara dos Deputados, na quarta-feira (26), Queiroga falou sobre a “preocupação” com a terceira onda e associou um eventual aumento de casos à flexibilização de medidas impostas por prefeitos e governadores para conter o avanço do vírus.

META DE VACINAÇÃO

Queiroga voltou a falar neste sábado que o país tem capacidade para vacinar 2,4 milhões de pessoas por dia, mas admitiu dificuldades na chegada de insumos e vacinas prontas. “A dificuldade com vacinas é mundial não é só do Brasil”, argumentou.

Segundo o ministro, está mantida a previsão de vacinar toda a população adulta até o fim deste ano. “É um desafio não só para o Brasil mas para o mundo inteiro. Mas se nos unirmos contra o nosso único inimigo, que é o vírus, nós vamos conseguir”, discursou.

R7

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Topo