SAMBISTA NELSON SARGENTO MORRE AOS 96 ANOS POR COVID-19

Foto: Claudia Martini/Enquadrar/Estadão Conteúdo/Arquivo

O sambista Nelson Sargento morreu nesta 5ª feira (27.mai.2021), no Rio de Janeiro. O presidente de honra da Estação Primeira de Mangueira tinha 96 anos e estava internado no Inca (Instituto Nacional do Câncer) desde a última 5ª feira (20.mai), quando foi diagnosticado com a covid-19.

Nelson Sargento deu entrada no hospital com quadro de desidratação, anorexia e significativa queda no estado geral. Ele deu entrada na Unidade de Terapia Intensiva no sábado (22.mai).

O carioca fazia acompanhamento no instituto desde 2005. Na época, ele descobriu um câncer na próstata e tratou no hospital. “Apesar de todos os esforços terapêuticos utilizados, o óbito ocorreu às 10:45 minutos desta 5ª feira”, informou o Inca em nota à imprensa.

O sambista já tinha completado o esquema vacinal ao tomar as duas doses da vacina contra covid-19. A aplicação da 2ª dose foi realizada em 23 de fevereiro. Ele também foi responsável por abrir a campanha de imunização dos idosos no Rio de Janeiro, em um ato simbólico, no dia 31 de janeiro.

Nelson Sargento era escritor, ator, artista plástico e autor de sucessos, como o samba “Agoniza, mas não morre“. Ele deixa a mulher Evonete Belisário Mattos e 6 filhos, Antônio Fernando, Marcos Vinicius, José Geraldo, Leo Mattos, Ricardo Mattos, Ronaldo Mattos. Além de netos e bisnetos.

Poder360

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Topo