VÍDEO: “RUAS COMEÇAM A PEDIR QUE EU BAIXE DECRETO”, DIZ BOLSONARO SOBRE LOCKDOWN

Foto: Sérgio Lima

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta 4ª feira (5.mai.2021) que pode editar decreto para colocar as Forças Armadas nas ruas para, segundo ele, “restabelecer todo o artigo 5º da Constituição [que estabelece o direito da livre locomoção no território nacional em tempo de paz]“. O chefe do Executivo fez críticas às medidas de restrição decretadas por governadores e prefeitos.

“Nas ruas, já se começa pedindo que o governo baixe um decreto. E, se eu baixar um decreto, vai ser cumprido, não será contestado por nenhum tribunal. O Congresso estará ao nosso lado. O povo estará ao nosso lado. Quem poderá contestar o artigo 5º da Constituição? O que está em jogo? Queremos a liberdade para poder trabalhar, queremos o nosso direito de ir e vir. Ninguém pode protestar isso. E esse decreto que eu baixar, repito: será cumprido, juntamente com nosso Parlamento, juntamente com nosso poder de força, juntamente com nossos 23 ministros”, disse em evento no Palácio do Planalto.

Assista ao momento (2min39s):

“Homens são proibidos de irem para praia. Estão proibindo que a família saia de lancha em Angra. Que que é isso? Onde estamos?“, questionou.

Participaram do evento de abertura da Semana das Comunicações, além do presidente Bolsonaro, o vice-presidente, Hamilton Mourão, os ministros Fábio Faria e Luiz Eduardo Ramos (Casa Civil), o presidente do Banco do Brasil, Fausto Ribeiro, e do presidente do Sebrae, Carlos Melles.

O chefe do Executivo chamou de “canalha” quem é contrário ao “tratamento precoce” contra a covid-19, isso é, a administração de medicamentos sem eficácia comprovada cientificamente para tratar a doença.

Canalha é aquele que critica o tratamento precoce e não apresenta alternativa. Esse é um canalha. O que eu tomei todo mundo sabe“, declarou. “Por que não se investe em remédio? Porque é barato demais“, completou.

Poder360

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Topo