PARECER SOBRE CASSAÇÃO DO MANDATO DE DR. JAIRINHO SERÁ APRESENTADO NESTA SEXTA

Dr. Jairinho em sessão da Câmara em outubro de 2019 — Foto:  Divulgação

O vereador Luiz Ramos Filho (PMN), relator do processo que pode levar à cassação do mandato do vereador Dr. Jairinho, irá apresentar o parecer sobre o caso nesta sexta-feira (18). Jairinho é acusado de matar o próprio enteado, o menino Henry Borel, de 4 anos, em março deste ano.

O crime motivou a abertura do processo no Conselho de Ética da Câmara Municipal do Rio e o afastamento do vereador, que está preso desde o dia 8 de abril. Ele e a mãe de Henry, a professora Monique Medeiros (que também está presa), são acusados de matar a criança.

A entrega do parecer será feita numa reunião a portas fechadas, restrita a integrantes do conselho. Mais detalhes serão apresentados depois do encontro pelo relator e pelo presidente do Conselho de Ética, o vereador Alexandre Isquierdo (DEM).

Os próximos passos do rito que pode cassar Jairinho:

–  Se o parecer apresentado nesta sexta (18) seja aceito como denúncia, é aberto prazo de cinco dias para apresentação de alegações finais pela defesa de Jairinho;

–  Após as alegações finais, o parecer do relator é submetido à deliberação do Conselho de Ética em até cinco dias úteis, e é aprovado se tover a maioria absoluta dos votos dos integrantes;

–  Concluída a tramitação no Conselho, com parecer favorável à denúncia, o processo é encaminhado à Mesa Diretora e incluído na Ordem do Dia;

–  A perda de mandato é deliberada em votação aberta no Plenário, com direito a fala dos parlamentares e da defesa durante a sessão, decidida por dois terços dos vereadores (34 votos).

Relembre o caso Henry Borel

–  Henry estava no apartamento onde a mãe morava com o vereador Dr. Jairinho, na Barra da Tijuca, e foi levado por eles ao hospital, onde chegou já sem vida na madrugada de 8 de março;

–  O casal alegou que o menino sofreu um acidente em casa e que estava “desacordado e com os olhos revirados e sem respirar” quando o encontraram no quarto;

–  Mas os laudos da necropsia de Henry e da reconstituição no apartamento do casal afastam essa hipótese;

–  O documento informa que a causa da morte foi hemorragia interna e laceração hepática [no fígado] causada por uma ação contundente [violenta].

–  A polícia diz que, semanas antes de ser morto, Henry foi torturado por Jairinho. Monique sabia;

–  Em 8 de abril, Dr. Jairinho e Monique foram presos temporariamente, suspeitos de homicídio duplamente qualificado, de tentar atrapalhar as investigações e ameaçar testemunhas.

G1/Rio de Janeiro

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Topo