QUEIMADAS NA AMAZÔNIA SOBEM 49% EM MAIO, APONTA INPE

Foto: Mayke Toscano/Secom MT

O total de focos de queimadas registrados na Amazônia Legal em maio deste ano foi 49% maior que o número registrado no mesmo mês de 2020, apontam dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). O número é ainda 34,5% superior à média histórica do mês.

Os dados são motivos para preocupação já no início da temporada de queimadas no Brasil, que começa entre maio/junho e segue até setembro/outubro. Além disso, a Amazônia ainda enfrenta recordes de desmatamento há três meses consecutivos.

Em maio de 2021 foram registrados 2.679 focos de fogo na floresta. Em 2020, no mesmo mês, foram 1.798. A média histórica para o mês é de 1.991 focos, e o recorde para maio ocorreu em 2004, quando houve 5.155 pontos. O Inpe monitora os dados de queimadas em todos os biomas brasileiros desde 1998.

A Amazônia Legal corresponde a 59% do território brasileiro e engloba a área de 8 estados (Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins) e parte do Maranhão.

“Maio traz números alarmantes para a atividade de fogo para a região. (…) Isso indica que as condições de fogo na Amazônia, as queimadas de desmatamento vão ser bastante catastróficas esse ano, a não ser que algo seja feito e que haja uma redução do desmatamento”, afirma Paulo Brando, pesquisador do IPAM (Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia) e professor da Universidade da Califórnia.

G1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Topo