‘SE O CONGRESSO DECIDIR QUE DEVE TER VOTO IMPRESSO, E O SUPREMO VALIDAR, VAI TER VOTO IMPRESSO’, DIZ BARROSO

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral, ministro Luís Roberto Barroso, no plenário da Câmara Foto: Pablo Valadares / Câmara dos Deputados

Presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o ministro Luís Roberto Barroso afirmou nesta quarta-feira que, se o Congresso aprovar e o Supremo Tribunal Federal (STF) validar a proposta de emenda à Constituição, “vai ter voto impresso”.

Barroso foi convidado para participar da comissão geral para debater duas propostas de emenda à Constituição (PECs) em discussão na Câmara que tratam de temas eleitorais: a PEC 125/11, que proíbe eleições próximas a feriados, mas terá o parecer ampliado para incluir temas da reforma eleitoral; e a PEC 135/19, que prevê a adoção de urnas eletrônicas que permitam a impressão dos votos para possibilitar a auditagem das eleições.

O ministro ainda defendeu o atual sistema de votação e rechaçou riscos de ataques hackers às urnas por não serem conectadas em rede. O presidente do TSE também observou que o atual sistema de apuração já é fiscalizado pelos partidos, OAB, Ministério Público e Polícia Federal.

— Ele foi implantado em 1996 e nunca se documentou sequer um caso de fraude desde então. E provavelmente esse seja o melhor lugar para uma aferição empírica disso. Todos os senhores foram eleitos por esse sistema de controle eleitoral — lembrou.

Com informações do O Globo

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Topo