EDUARDO PAES FALA EM PROIBIR CERVEJA PARA QUEM NÃO SE VACINA NO RIO

Foto: JP. ENGEL BRECHT/VEJA

A cidade do Rio de Janeiro tem pelo menos 740 mil pessoas aptas a receber a dose de reforço da vacina contra a Covid-19. Em tom de brincadeira, mas reforçando o alerta, o prefeito Eduardo Paes usou as redes sociais para dizer que pretende “seguir o bonde” de Quebec, no Canadá, que proibiu maconha e cerveja para os não vacinados.

A ideia de Paes é “proibir o litrão (uma gelada)” para os cariocas que não aderirem à vacinação. A imunização é a etapa considerada como crucial para o enfrentamento da variante Ômicron, que avança rapidamente na capital fluminense, sendo responsável por 98% dos casos confirmados desde dezembro.

A Secretaria Municipal de Saúde reforça o alerta em tom mais sério e revela que dos 14 internados com Covid-19 na rede SUS da capital, 93% não têm a vacinação completa e 43% não tomou qualquer das doses previstas pelo programa de imunizações.

“A Ômicron se dissemina muito rápido. Tem um comportamento diferente nas pessoas vacinadas e nas não vacinadas. Não imunizados têm um aumento de internações e casos graves. Na população vacinada, a gente vê uma dorzinha de garganta, congestão nasal, dor de cabeça. Dificilmente ela provoca situações mais graves”, explica o secretário Daniel Soranz.

Metrópoles

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Topo