ANESTESISTA PRESO POR ESTUPRO TEM CLÍNICA DE GINECOLOGIA COM O PAI NO RIO

Foto: Fabiano Rocha /Agência O Globo

O anestesista Giovanni Quintella Bezerra, 31, preso em flagrante na última segunda (11) pelo estupro de uma grávida sedada durante uma cirurgia de parto, tem uma clínica de ginecologia junto com o pai no Rio de Janeiro.

A empresa Femi Video Clinica Ltda. foi aberta há 25 anos, em 1997, mas o filho só consta como sócio há quatro anos e meio. Ela fica localizada em um prédio na Vila Isabel, bairro de classe média e classe média alta na zona norte carioca.

Ele havia se formado em medicina meio ano antes, na Unifoa (Centro Universitário de Volta Redonda), mantida pela Fundação Oswaldo Aranha e localizada a cerca de duas horas do Rio.

Só concluiu a especialização como anestesista, porém, em março deste ano, tirando o título formalmente no mês seguinte, de acordo com a Polícia Civil. Fazia procedimentos em diversos hospitais da capital e da Baixada Fluminense.

Entre eles estão os estaduais Getúlio Vargas, da Mulher (em São João de Meriti) e da Mãe (em Mesquita), onde prestava serviço havia seis meses como pessoa jurídica antes de ser preso, segundo a Secretaria de Estado de Saúde.

Uma ex-funcionária administrativa do hospital onde ele foi flagrado no domingo (10) introduzindo o pênis na boca da paciente desacordada após o parto, em São João de Meriti, descreveu uma mudança no comportamento de Bezerra entre abril e junho, quando trabalhou ali.

Em entrevista ela, que pediu para não ser identificada, contou que ele era uma pessoa “muito simpática e educada” quando se conheceram. Depois de dois ou três plantões, porém, reparou que o médico passou a “entrar direto” na recepção e ignorar os outros funcionários.

Bezerra não morava próximo às unidades onde trabalhava, mas na Barra da Tijuca, bairro de classe alta na zona oeste do Rio onde também costumava frequentar uma academia.

Folha de S.Paulo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Topo