HADDAD PEDE QUE BOLSONARO NÃO PRORROGUE DESONERAÇÃO PARA COMBUSTÍVEIS

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Futuro ministro da Fazenda, Fernando Haddad (PT) pediu que o governo Jair Bolsonaro (PL) não prorrogue a desoneração de tributos federais sobre combustíveis.

Segundo a assessoria de Haddad, ainda não há resposta da atual gestão.

Mais cedo, o futuro ministro disse que havia “especulação” de que o governo Bolsonaro editaria uma MP (Medida Provisória) ampliando o prazo de isenção desses tributos. Pelas regras atuais, a desoneração termina em 31 de dezembro. O plano do governo atual seria ampliar por mais 30 dias.

“Vou levar para Lula os cenários que a equipe atual está colocando. Para ele, em nome do governo eleito, endereçar o que considera a melhor decisão”, disse Haddad, antes do anúncio sobre o pedido para não prorrogar a desoneração.

O futuro ministro levou o recado de Lula a integrantes do atual governo e disse que espera “compreensão”, segundo a assessoria do petista. Ele ainda teria argumentado que mudanças na cobrança desses tributos podem ser feitas de forma rápida e que o futuro governo vai reavaliar o tema após a posse.

A equipe econômica de Lula não indicou se planeja ou não renovar a desoneração. A assessoria de Haddad disse que o pedido feito ao governo Bolsonaro trata de não renovar a isenção de PIS e Cofins.

Bolsonaro anunciou durante as eleições um pacote de medidas para derrubar o preço dos combustíveis. A alta no preço desses produtos pressionava a inflação, uma das principais preocupações do atual presidente durante a campanha pela reeleição.

Folhapress

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Topo