MORAES AFASTA PREFEITO QUE APOIOU IDA DE CAMINHÕES A ATOS PÓS-ELEITORAIS NO DISTRITO FEDERAL

Foto: EFE/Joédson Alves

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes determinou o afastamento por 60 dias do prefeito da cidade de Tapurah (MT),Carlos Alberto Capeletti (PSD). Ele incentivou a ida de caminhões a Brasília (DF) para se manifestar contra a eleição de Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Para Moraes, o prefeito teve a “inequívoca intenção de subverter a ordem democrática”. Em outubro, Capeletti chegou a ser advertido pela Justiça Eleitoral de Mato Grosso para remover das redes sociais um vídeo em que prometia rifar uma picape 0 km caso o município ficasse entre os locais com maior percentual de votos no presidente Jair Bolsonaro (PL) no estado.

“O recrudescimento dos atos de hostilidade, radicalismo e violência propriamente dita, contra pessoas e o patrimônio público e privado, para além da já condenável violência em ambiente virtual, inclusive com a mensagem de insurgência contra as instituições democráticas, em especial contra a autoridade dessa Corte, decorrente da mobilização por redes sociais feita de forma não espontânea e concertada por grupos políticos e econômicos determinados”, escreveu a decisão.

Mensagem divulgada pelo prefeito ameaçava “tomar o Congresso, o [Supremo Tribunal Federal] STF , até o Planalto. Se até lá o Exército não tomar uma atitude, vamos nós fazer uma nova Proclamação da República”.

“O potencial danoso das manifestações ilícitas fica absolutamente potencializado considerada a condição financeira dos empresários apontados como envolvidos nos fatos, eis que possuem vultosas quantias de dinheiro, enquanto pessoas naturais, e comandam empresas de grande porte, que contam com milhares de empregados, sujeitos às políticas de trabalho por elas implementadas”, relembrou Moraes ao citar as manifestações que continuam a ser feitas no estado após o resultado das eleições.

Durante os 60 dias de afastamento, o vice-prefeito da cidade deve assumir o cargo. Moraes também determinou que o Ministério Público do Mato Grosso investigue o caso e multe em R$ 100 mil os veículos envolvidos em atos de bloqueio de estradas.

Metrópoles

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Topo