Em nota de repúdio, Coselho Regional de Medicina critica atrasos de salário pelo poder público

Por meio de nota, o conselho Regional de Medicina do RN ( (CREMERN)  se manifestou sobre a relação entre a categoria e o poder público do estado.

 Nota:

O Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio Grande do Oorte (CREMERN), no uso de suas atribuições legais de regulamentar e fiscalizar a prática médica, prestando serviço à sociedade na defesa do bom exercício da profissão, vem a público manifestar repúdio e preocupação com relação ao tratamento prestado pelo poder público aos médicos através de constantes atrasos salariais e de repasses com consequentes ameaças de paralisação de serviços essenciais para a população.

É lamentável que uma profissão cuja essência é auxiliar o próximo naquilo que mais lhe aflige e que demonstra sua valentia e importância em momentos de incerteza e de grave crise sanitária, tenha que passar por dificuldades nas suas necessidades básicas. Isso sinaliza para um descaso e não reconhecimento ao esforço e dedicação desses profissionais.

Denúncias chegam ao CREMERN no sentido de que há atrasos nos repasses de até cinco meses gerando insegurança e instabilidade financeira aos profissionais, tornando quase que insustentável suas permanências nos plantões. Muitos são jovens médicos com essa única fonte de renda e sem condições de honrar com os seus compromissos mais básicos. O poder público não pode transformar o sonho de ser médico, e praticar a profissão na sua essência, em pesadelo e desalento.

O CREMERN se posiciona ao lado desses profissionais, conclama pela sensibilidade das autoridades competentes e informa que tomará as medidas cabíveis ao seu alcance para sanar esse despropósito.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Topo