Caso Ana Sophia: O que se sabe sobre menina desaparecida há um mês após ir brincar com amiga; o que aconteceu?

Foto: Reprodução

O desaparecimento da menina Ana Sophia, de 8 anos, que sumiu após sair para brincar com uma amiga completou um mês nesta sexta-feira (04). O caso segue sem respostas sobre o paradeiro da criança, sem suspeitos e sem nenhuma ideia do que pode ter acontecido com ela.

Foram realizadas buscas, perícias e dezenas de depoimentos colhidos, mas ainda não foi possível descobrir qual crime foi cometido contra a menina, o que impede o andamento do caso. Ana Sophia está desaparecida desde o início de julho.

No dia 4 de julho, por volta das 12h, a menina Ana Sophia Gomes, de 8 anos, saiu de casa, no distrito de Roma, município de Bananeiras, na Paraíba, para brincar na casa de uma amiga da mesma faixa etária. Aquela foi a última vez que a criança foi vista pela família.

De acordo com a família, como se trata de um local pequeno, onde todas as pessoas se conhecem, a menina era acostumada a fazer esse caminho. O distrito Roma fica próximo à rodovia PB-105, que dá acesso a Bananeiras.

 Ana Sophia foi até a casa da colega, mas não permaneceu por muito tempo, pois a menina estava de saída com a família para Solânea.

Uma câmera de segurança registrou Ana Sophia se despedindo da colega e retornando, como se estivesse voltando para casa, no entanto, ela nunca chegou na sua residência. Aquele foi o último registro da criança. A suspeita é de que ela tenha desaparecido nesse trajeto.

No mesmo dia, a família de Ana Sophia registrou na polícia o desaparecimento, e as buscas começaram no dia seguinte.

Na quarta-feira (5/07), a Polícia Civil começou a procurar pela menina, com apoio da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros. Na quinta-feira (6), mergulhadores se juntaram à ação, considerando que perto de onde a criança morava existe um açude. “Estamos verificando todas as possibilidades”, declarou o delegado Thiago Cavalcanti.

Na sexta-feira (7/07), as buscas no açude perto da casa de Ana Sophia foram encerradas. A menina passou a ser procurada em uma região de mata, nas redondezas do distrito. Uma equipe da delegacia de homicídios de João Pessoa foi para o local auxiliar nas buscas e investigações.

Também foram feitas perícias em duas residências. A primeira em um endereço ao lado da casa onde Sophia morava, pois ela foi vista no local antes de desaparecer. O delegado Thiago Cavalcanti explicou que o proprietário da casa permanece no local apenas durante o dia, pois tem uma plantação no quintal. O homem tem uma filha que costuma brincar com a criança desaparecida.

O segundo endereço periciado foi a casa onde o homem mora. A residência é de propriedade do pai dele. Nada foi encontrado em nenhum dos dois endereços.

Em depoimento, o homem informou que Ana Sophia esteve na residência dele pela manhã, mas retornou para casa e pediu à mãe para visitar a amiga.

O delegado Diógenes Fernandes, da delegacia de Solânea, que também acompanha o caso, disse à reportagem da TV Cabo Branco que, por causa do tempo do desaparecimento, a hipótese de homicídio passou a ser considerada. No entanto, há também a possibilidade de um sequestro.

No sábado (8/07), as buscas continuaram com o objetivo de acessar lugares do Distrito de Roma que ainda não tinham sido investigados. De acordo com o delegado Thiago Cavalcanti, há uma grande área de vegetação no local. Mas até o momento, as buscas, que contam com a Polícia Militar e Corpo de Bombeiros, seguem sem identificar vestígios da criança.

No domingo (9/07), o Corpo de Bombeiros voltou a trabalhar em um açude na região, desta vez com o uso de uma retroescavadeira, para tentar escoar a água e reduzir o volume do açude.

Na segunda-feira 10/07, equipes do Corpo de Bombeiros de João Pessoa se deslocam para Bananeiras para reforçar as buscas por Ana Sophia na região.

Na sexta-feira (14/07), a Polícia Civil e o Corpo de Bombeiros da Paraíba cumpriram um mandado de busca em uma pousada do distrito de Roma, em Bananeiras. Mais uma vez foram usados drones e cães farejadores para fazer a varredura da área, mas por ora nenhuma pista foi encontrada.

Na terça-feira (18/07), o 3° Batalhão de Bombeiro Militar seguiu ao longo de todo o dia com a operação de busca pela criança no distrito de Roma, em Bananeiras, mas sem sucesso. . Entre os locais vistoriados, um poço foi revisitado pelas equipes, mas nada foi encontrado.

Na sexta-feira (28), a Polícia Civil anunciou a criação de uma força-investigativa com 10 agentes que devem atuar exclusivamente nas investigações sobre o desaparecimento de Ana Sophia. São dois novos delegados, um escrivão e oito investigadores. Entre eles, a delegada Maíra Roberta.

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Topo