Família feita de refém é liberada e homem é preso na Grande Natal

Foto: Sérgio Henrique Santos/Inter TV Cabugi

Após mais de 14 horas de negociação,  a polícia deicidiu entrar na residência na qual um homem manteve a ex-mulher e os dois filhos como reféns na cidade de Macaíba, na Grande Natal. O suspeito foi preso em flagrante e a mulher e as crianças, liberadas, sem ferimentos.

O homem invadiu a casa da ex-mulher por volta das 20h30 de sábado (5). Os policiais tomaram a decisão de entrar na residência por volta das 11h15 deste domingo (6). A motivação foi um pedido de socorro das vítimas.

Até a atualização mais recente desta reportagem, nenhuma arma havia sido encontrada com o suspeito ou na residência, segundo a PM.

“Ele teve alguma ação dentro da residência que fez com que seus famliares pedissem socorro. E o pedido iniciou o protocolo de adentramento”, explicou o major Carlos Bezerra, da Polícia Militar.

“Na iminência do dano de cercear a vida da esposa, a gente fez essa medida. Então foi necessária a invasão tática”.

Três negociadores da PM tentaram por mais de 14 horas que o suspeito liberasse os reféns e se rendesse, o que não ocorreu.

“Não houve uma aceitação da parte dele e nem uma concessão. Em nenhum momento, ele cedeu”, disse o major.

Por conta da falta de avanço na negociação, os policiais decidiram buscar outra estratégia, que culminou com a “invasão tática”, como define o major.

Segundo o major, “todos os móveis da casa estavam obstruindo a entrada”, o que dificultou inicialmente a ação. Assim que os policiais avançaram, imobilizaram o suspeito e libertaram os reféns.

 O homem tinha ferimentos – que a PM acredita ter sido em decorrência de uma briga inicial com a ex-mulher.

O crime aconteceu na Rua Ovídio Pereira. A rua foi isolada pela Polícia Militar, que manteve uma equipe na frente da residência durante todo o período. Havia ainda o apoio de atiradores da PM no local.

Policiais militares na ocorrência informaram que a mulher tem uma medida protetiva contra o homem e que ele teria cometido um crime semelhante há cerca de dois anos. Os dois filhos reféns têm 3 e 10 anos de idade.

G1/RN

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Topo