Lula passa por cirurgia nesta sexta para tratar artrose no quadril direito; Alckmin não assume interinamente

Foto: Evaristo Sá/AFP/07-09-2023

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva realiza na manhã desta sexta-feira (29) uma cirurgia para tratar a artrose no quadril direito, com a inserção de uma prótese híbrida. O procedimento, considerado de baixo risco, vai ser realizado em um hospital particular em Brasília. O petista deve ser submetido a uma anestesia geral.

É previsto que ele vá para a unidade de saúde no início da manhã, entre 6h e 7h, já que o procedimento está marcado para às 10h. A artroplastia total de quadril será realizada pela equipe médica do Sírio-Libanês de São Paulo, que acompanha o presidente há anos.

Segundo o Palácio do Planalto, Lula deve ser submetido a uma anestesia geral durante a operação e permanecer no hospital ao menos até a próxima terça (3). O tempo de recuperação é de, no mínimo, três semanas, intervalo em que o presidente vai despachar do Palácio da Alvorada.

Durante o período, o vice-presidente, Geraldo Alckmin, não deve assumir Presidência da República, segundo interlocutores do Planalto. A possibilidade foi discutida pelas equipes do Planalto, mas foi descartada, porque o vice-presidente pode tomar decisões caso aconteça algum episódio que imponha uma ação presidencial imediata.

Para Vera Chemin, especialista em direito constitucional e mestra em administração pública pela Fundação Getulio Vargas (FGV), durante a cirurgia, Lula não pode exercer a função de presidente, uma vez que vai estar sob a anestesia, e isso é, obviamente, um impedimento. Ela cita o artigo 79ª da Constituição Federal, que versa sobre o caso.

“Substituirá o presidente, no caso de impedimento, e suceder-lhe-á, no de vaga, o vice-presidente. O vice-presidente da República, além de outras atribuições que lhe forem conferidas por lei complementar, auxiliará o presidente, sempre que por ele convocado para missões especiais”, diz o trecho da Constituição.

Nesta semana, Alckmin também descartou a medida. “Não há necessidade de o presidente se afastar do cargo, porque vai ser um período curto, praticamente, um fim de semana, e depois ele despacha do Palácio do Alvorada. Os deslocamentos, eventos que têm fora do Brasil, nós poderemos representá-lo, mas, na minha opinião, deve continuar. Não há necessidade de nenhum afastamento.”

Nos últimos dias, Lula foi criticado pela fala capacitista, que é a discriminação e o preconceito contra pessoas com alguma deficiência. “Vou ficar aqui em Brasília, não vou poder pegar avião, mas vou trabalhar normalmente. Vocês não vão me ver de andador nem de muleta, vão me ver sempre bonito, como se eu não tivesse sequer operado”, declarou o presidente, em uma suposta ligação do uso do objeto com a beleza.

Recentemente, a Itaipu Binacional cedeu um carrinho elétrico de golfe a Lula para ele se locomover durante a recuperação. De acordo com a empresa, o contrato de cessão do carrinho assinado com a Casa Civil estabelece que a Presidência da República deverá fazer as manutenções preventiva e corretiva indicadas no manual do proprietário entregue com o veículo.

R7

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo