Suspeito de violentar sexualmente e matar filha de vereador a facadas no RN é preso cinco anos após o crime

Foto: Arquivo Pessoal/Reprodução

Mais de cinco anos após o assassinato de Lilia Carla das Chagas Silva, de 25 anos, em Parnamirim, na Grande Natal, a Polícia Civil localizou e prendeu o suspeito do crime no dia 29 de dezembro de 2023. A prisão, que aconteceu em Goiânia só foi divulgada pela corporação nesta semana.

Lilia era filha do então vereador da cidade de Jundiá Luis Cosme das Chagas, também conhecido como Lucas dos Pires, que é representante de comunidades quilombolas da região.

Ela foi assassinada no dia 7 de maio de 2017 dentro da casa onde morava sozinha em Parnamirim, na região metropolitana de Natal, após voltar de uma festa.

De acordo com as investigações, a vítima sofreu violência sexual e foi executada com mais de doze facadas. O autor do crime teria entrado na casa dela pelo telhado. O corpo da vítima foi encontrado por familiares na noite do mesmo dia, após notarem seu sumiço e irem procurá-la. Entre eles, estava o filho de Lília, então com 7 anos de idade.

Segundo a Polícia Civil, após novas apurações da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), os investigadores obtiveram informações que levaram à autoria do crime. O autor, que tem 29 anos, já havia fugido para Goiás, “onde pretendia levar a vida normalmente”, informou a corporação.

No dia 29 de dezembro, a polícia pediu a prisão do suspeito à Justiça e no mesmo dia, com apoio da Polícia Civil do de Goiás, ele foi detido.

Ainda segundo a polícia, ao ser capturado e levado para a delegacia, o homem confessou o crime e forneceu detalhes da execução. Apesar disso, a polícia não detalhou a possível motivação do crime.

O homem foi encaminhado para o sistema prisional, onde permanece à disposição da Justiça.

O crime

Lília foi morta a facadas dentro de casa na madrugada de um domingo no bairro Passagem de Areia, em Parnamirim.

Na época do crime, a Polícia Militar informou que a mulher voltou de uma festa sozinha e chegou em casa por volta das 3h. Familiares tentaram contato com ela durante todo o dia, sem sucesso. Por volta das 18h foram até a casa dela, onde encontraram o corpo. Nenhum suspeito foi preso na ocasião.

Em janeiro de 2023, a prefeitura do município de Jundiá homenageou a vítima dando o nome de UBS Lília Carla das Chagas Silva a uma nova unidade básica de saúde instalada na comunidade do Arisco dos Pires, local de origem de Lília. Com informações do g1/RN.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Topo