Autoridades veem possível ‘crise diplomática’ se Argentina negar extradição de condenados pelo 8/1

Foto: Reuters/Matias Baglietto

Autoridades diplomáticas e do Executivo enxergam a possibilidade de haver uma crise diplomática sem precedentes entre Brasil e Argentina se o país governado por Javier Milei negar a extradição de condenados pelos atos antidemocráticos do 8 de janeiro.

Segundo um diplomata experiente, os brasileiros que buscam refúgio na Argentina terão dificuldades em demonstrar que são perseguidos politicamente. Se o governo Milei aceitar o asilo mesmo com argumentos inconsistentes, a relação bilateral poderia sofrer um abalo.

No Ministério da Justiça, que encaminha o pedido formal da extradição ao Ministério das Relações Exteriores após analisar pormenores do caso, também há uma preocupação acerca da diplomacia entre as nações.

A despeito das falas de Milei, antes e depois de eleito, sobre o Brasil, os países mantêm suas relações diplomáticas normalizadas.

Pessoas familiarizadas com o caso apontam que os pedidos de refúgio podem ter passado de 100 brasileiros, mas nem todos foram condenados pelos episódios do 8/1. Como esse processo é sigiloso, não está claro quantas solicitações já foram feitas precisamente.

Esses pedidos também podem implicar a morosidade da extradição, visto que precisam ser analisados antes pela Justiça argentina, como mostrou a “Folha de S. Paulo”. Essa análise poderia levar meses ou até mais de um ano.

Um fator que pode agilizar esse trâmite, no entanto, é se houve ordem de prisão preventiva em aberto.

Lauro Jardim/O Globo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Topo