MPF ACOMPANHA A CONCLUSÃO DOS ESTUDOS SOBRE QUEDA DE FALÉSIA EM PIPA

Área que desabou em Pipa  — Foto: Julianne Barreto/Inter TV Cabugi

Uma vistoria preliminar ao local e reuniões foram realizadas nessa quarta-feira (18) junto com autoridades municipais e da Defesa Civil

O Ministério Público Federal (MPF) acompanha a conclusão dos estudos técnicos e aguarda a chegada de informações solicitadas à Prefeitura de Tibau do Sul para dar prosseguimento às investigações sobre os problemas que resultaram na morte de um casal e seu filho, após a queda de parte de uma falésia na praia de Pipa, na última terça-feira (17). O MPF vem buscando também o apoio de mais órgãos para garantir a eficácia das medidas emergenciais já adotadas.

O procedimento, que está a cargo dos procuradores da República Daniel Fontenele e Victor Mariz, monitora e acompanha de perto as ações do poder público que possam garantir a segurança das pessoas e reduzir os riscos de eventuais novos deslizamentos na área conhecida como Baía dos Golfinhos. “Em que pese mostrar-se imprescindível a adoção de medidas imediatas tendentes à contenção de futuros danos, é certa a necessidade de maior consistência técnica à eleição do que efetivamente possa direcionar-se a soluções definitivas”, apontam os membros do MPF.

Os procuradores vêm se mobilizando para conseguir a contribuição do Governo do Estado, através da Polícia Militar, no sentido de garantir as interdições implementadas no local; e ainda a da Capitania dos Portos, para que auxilie as autoridades municipais na análise de uma possível alteração dos pontos de parada e de acesso aos barcos que promovem passeios turísticos na região.

A investigação aberta pelo MPF, embora motivada pela tragédia, deve analisar toda a atuação do poder público na busca por alternativas definitivas que venham a garantir a segurança de moradores e turistas que transitam pelo local, bem como as condições das edificações localizadas próximas ao ponto do desmoronamento. Ao todo, 18 procedimentos envolvendo os riscos nas falésias de Tibau do Sul e as ocupações irregulares na região já tramitavam no Ministério Público Federal no Rio Grande do Norte.

Vistoria – Na visita feita pelos procuradores ao local do acidente, nesse dia 18, constatou-se a necessidade da finalização dos estudos técnicos já iniciados por um geólogo e um perito que “apontarão com maior precisão os locais (nas bases das falésias e em empreendimentos localizados em seu cume) em que efetivamente há riscos de comprometimento à segurança”. A previsão é que esses estudos estejam prontos em até duas semanas.

Enquanto o relatório não for concluído, a Prefeitura de Tibau do Sul se comprometeu a providenciar a interdição de acesso às praias da região e também dos empreendimentos nos quais haja evidências de riscos. Os representantes do MPF avaliam, preliminarmente, que há fragilidade das estruturas em diversos pontos, tanto por ação das marés, quanto pela intervenção humana.

Dados – A Prefeitura, por sua vez, terá cinco dias para remeter ao MPF as atas e as gravações das reuniões realizadas na quarta-feira; além de documentos que comprovem a adoção das providências emergenciais e todos os relatórios técnicos já concluídos que tenham relação com a segurança das falésias; somados a um relatório descrevendo as medidas efetivamente adotadas quanto às interdições temporárias das áreas de praias e dos estabelecimentos apontados na vistoria preliminar.

NOVA TOTALIZAÇÃO DE VOTOS MUDA LISTA DE VEREADORES ELEITOS PARA A CÂMARA MUNICIPAL DE NATAL

Uma nova totalização dos votos realizada pela Justiça Eleitoral na manhã desta quinta-feira (19) mudou a lista de vereadores eleitos em Natal no último domingo (15). Com a inclusão dos votos recebidos por dois candidatos do PTB, que estavam com as candidaturas sub judice, o partido ganhou mais um vereador no Legislativo municipal: Luciano Nascimento. Por outro lado, o PT perdeu uma das três vagas que havia conquistado, com a saída de Daniel Valença.

Entraram na nova contagem, os votos recebidos por Luciano Nascimento – 3.464 – e Silvio Dantas – 1.362. Luciano teve o maior número de votos no partido e, com a validação dos sufrágios, vai se juntar a Antônio Peixoto e Hermes Câmara na bancada da legenda no Legislativo municipal.

Dessa forma, o partido ultrapassou o número de votos do PT, que, por causa do coeficiente eleitoral, perdeu uma das três vagas conquistadas, provocando a saída de Daniel Valença (PT), que se torna suplente.

O evento para nova totalização, que contou com participação de representantes de partidos, estava marcado para as 10h, mas o sistema do Tribunal Superior Eleitoral registrou atraso e o resultado foi divulgado somente após às 11h.

 Veja nova lista

Herberth Sena (PL) – 6.029 votos

Divaneide Basílio (PT) – 5.966 votos

Paulinho Freire (PDT) – 5.547 votos

Kleber Fernandes (PSDB) – 5.409 votos

Aldo Clemente (PDT) – 5.181 votos

Robson Carvalho (PDT) – 4.837 votos

Felipe Alves (PDT) – 4.765 votos

Aroldo Alves (PSDB) – 4.284 votos

Bispo Francisco de Assis (Republicanos) – 4.284 votos

Nina Souza (PDT) – 3.852 votos

Ana Paula (PL) – 3.843 votos

Chagas Catarino (PSDB) – 3.801 votos

Preto Aquino (PSD) – 3.490 votos

Luciano Nascimento (PTB) – 3.464 votos

Antônio Peixoto (PTB) – 3.109 votos

Tércio Tinôco (PP) – 3.101 votos

Raniere Barbosa (Avante) – 3.040 votos

Eriko Jácome(MDB) – 3.040 votos

Brisa (PT) – 2.901 votos

Júlia Arruda (PCdoB) – 2.817 votos

Klaus (Solidariedade) – 2.797 votos

Hermes Câmara (PTB) – 2.751 votos

Milklei Leite (PV) – 2.721 votos

Camila Araújo(PSD) – 2.447 votos

Margarete Régia (PROS) – 2.291 votos

Anderson Lopes (Solidariedade) – 2.225 votos

Nivaldo Bacurau (PSB) – 2.153 votos

Eribaldo Medeiros (PSB) – 2.148 votos

Robério Paulino (PSOL) – 1.886 votos

De acordo com o PTB, a mudança já era esperada desde o domingo de votação, porque a situação dos candidatos junto à Justiça Eleitoral já tinha sido regularizada na semana anterior à votação, porém, o sistema ainda não tinha sido atualizado no domingo.

Com informações doG1/RN

VÍDEO: CRIVELLA CHAMA DORIA DE “VAGABUNDO” E “VIADO”, E DEPOIS PEDE DESCULPAS

Foto: Reprodução

O prefeito do Rio de Janeiro e candidato à reeleição, Marcelo Crivella (Republicanos) aparece xingando o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), em um vídeo que viralizou hoje nas redes sociais. Depois, em nota, Crivella pediu desculpas ao tucano, que lamentou o ocorrido e disse que o carioca “se apequena”. (leia mais abaixo).

Nas imagens, Crivella, em tom exaltado, grita que Doria é “vagabundo” e também usa um termo homofóbico, “viado”, para ofendê-lo. O prefeito estava falando sobre as OS (Organizações Sociais) de saúde.

Eu entrei na Justiça contra esses vagabundos. Sabe o que eles fizeram? Dei dinheiro para pagar aos funcionários, eles pegaram e pagaram fornecedor, que tinha que pagar dia 10 de dezembro. E faltou dinheiro. Sabe de quem é essa OS? Essa OS é de São Paulo. É do Doria. Viado! Vagabundo!

Marcelo Crivella, prefeito do Rio.

De acordo com o jornal O Globo, os xingamentos aconteceram em uma reunião com filiados do Republicanos que disputaram a eleição para vereador. O evento aconteceu ontem, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. Após os gritos de Crivella, os presentes vibram com as ofensas e aplaudem o prefeito.

O vídeo foi publicado no Facebook por Sandro Avelar, presidente da escola de samba Império Serrano. Ele apoia Eduardo Paes (DEM) no segundo turno da disputa pela prefeitura do Rio.

Em pesquisa divulgada ontem pelo Ibope, Paes lidera a disputa pelo segundo turno com 53% das intenções de voto, contra 23% de Crivella.

“Momento de revolta”, diz Crivella

Em nota, a campanha de Crivella disse que a manifestação do prefeito foi um “momento de revolta” e pediu desculpas ao governador de São Paulo.

“A fala foi um momento de revolta pela OS reter o salário de médicos e enfermeiros mesmo tendo recebido da prefeitura. Em tempos de pandemia isso pode custar vidas. Marcelo Crivella pede desculpas pelos excessos, e ao governador João Doria.”

Crivella “se apequena”, diz Doria

A reportagem também procurou a assessoria de João Doria, que se manifestou pelo Twitter. O governador disse que o prefeito deveria dar exemplo, mas “se apequena” com as ofensas. E apostou que Crivella não conseguirá a reeleição para prefeito. Com informações do UOL.

RN: OPERAÇÃO DA PF COMBATE TRÁFICO DE DROGAS E LAVAGEM DE DINHEIRO

A Polícia Federal deflagrou, na data de hoje, 19/11, a Operação Carga Viva, com o objetivo de reprimir o tráfico de drogas e a lavagem de dinheiro praticados por uma organização criminosa que atua nas regiões Norte e Nordeste do país.

Estão sendo cumpridos 4 mandados de busca e apreensão expedidos pela 1ª Vara Criminal de Macaíba/RN, além de ordens judiciais de sequestro de bens e bloqueio de valores, na cidade de Manaus/AM.

As investigações tiveram início em junho de 2020 quando da prisão de dois cidadãos cearenses realizada pela Polícia Rodoviária Federal na cidade de Macaíba, Região Metropolitana de Natal. A partir daí, a PF iniciou as diligências e conseguiu detectar uma intensa movimentação financeira incompatível com as atividades dos investigados, inclusive, envolvendo parentes e pessoas próximas, tudo relacionado à atividade de tráfico de entorpecentes.

Baseado na capital do Amazonas, o grupo criminoso adquiriu fazendas, casas de alto padrão e haras, além de gado e cavalos, visando lavar o patrimônio adquirido com o dinheiro do tráfico.

Para transportar a droga camuflada em caminhões “boiadeiros”, especialmente para o Rio Grande do Norte e a Paraíba, utilizavam a história cobertura de atividade de compra e venda de animais.

Estima-se que o patrimônio obtido pela organização criminosa com o tráfico alcance aproximadamente R$ 4 milhões.

 

ELEIÇÕES 2020: QUOCIENTE DEIXA DE FORA CANDIDATOS COM MAIS VOTOS QUE ALGUNS ELEITOS

A vitória de candidatos a vereador pouco votados e a derrota daqueles que angariam mais apoio nas urnas gerou uma onda de críticas nas redes sociais. Inúmeras publicações compararam os votos de eleitos ou suplentes com aqueles que ficaram de fora da Câmara de Vereadores. Em muitos casos, a diferença foi gritante.

A situação se deve pelo quociente eleitoral, cálculo que estipula quantos votos cada partido precisa somar para obter uma ou mais cadeiras no Legislativo municipal. Se não atingir esse número, o partido não terá representante na Câmara. A regra é aplicada na escolha de vereadores e deputados (estaduais, federais ou distritais).

Uol

TETO DOS BENEFÍCIOS DO INSS PODE CHEGAR A R$ 6.351,20 EM 2021

Uma boa notícia para os trabalhadores que ganham o salário mínimo (R$ 1.045) e para os aposentados que recebem benefícios do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social). Os valores dos pisos salariais podem sofrer um reajuste maior do que o previsto inicialmente no PLDO (Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias) em 2021.

O Ministério da Economia revisou a estimativa para o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) de 2020, que passou de 2,35% para 4,10%.

O indicador é usado para reajustar o valor do salário mínimo e dos benefícios pagos pelo INSS.

Se a elevação for confirmada, o piso salarial passará de R$ 1.045 para R$ 1.087,85 em 2021.

No PLDO – projeto que serve de base para o governo elaborar a proposta orçamentária para o próximo ano – enviado em abril, a projeção inicial do salário mínimo era de R$ 1.079.

O advogado Giovanni Magalhães, especialista em cálculos previdenciários da ABL Calc, fez uma projeção de como ficariam os benefícios do INSS – do piso ao teto – com o INPC a 4,10%.

VÍDEO: LOTE COM AS PRIMEIRAS 120 MIL DOSES DA VACINA CORONAVAC CHEGA A SÃO PAULO TRAZIDO DA CHINA

Governador João Doria acompanha chegada dos lotes — Foto: Reprodução/TV Globo

O governo do estado de São Paulo recebeu na manhã desta quinta-feira (19) as 120 mil primeiras doses da CoronaVac, vacina contra a Covid-19. O material foi importado da China e desenvolvido pelo laboratório chinês Sinovac, em parceria com o Instituto Butantan.

O governador João Doria (PSDB), o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, e o secretário estadual de Saúde, Jean Gorinchtey, acompanharam a chegada do lote, que foi trazido em um voo da China que desembarcou no Aeroporto Internacional de Guarulhos, na Grande São Paulo.

A CoronaVac é uma das quatro candidatas a vacina contra o novo coronavírus (Sars-CoV-2) que estão sendo testadas no Brasil. O governo de São Paulo firmou acordo para a compra de 46 milhões de doses e para a transferência de tecnologia para o Instituto Butantan.

Para ser aplicada na população, a vacina ainda precisa ser autorizada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Isso só pode ocorrer após a conclusão da realização de testes.

Atualmente, a CoronaVac está na terceira e última fase de testes, quando é avaliada em humanos. O estudo mais recente sobre a vacina aponta que ela mostrou segurança e resposta imune satisfatória durante as fases 1 e 2 de testes. Não há ainda, no entanto, estudos conclusivos sobre a fase 3 dos testes.

Até 6 milhões de doses até o fim do ano

As 120 mil doses fazem parte de um lote de 6 milhões previsto para chegar até o final de dezembro. Elas serão armazenadas em um local que não foi divulgado pelo governo paulista por questões de segurança.

Além das vacinas, que já virão prontas, o Instituto Butantan deve receber ainda este ano parte da matéria-prima para fabricar outras 40 milhões de doses, também de acordo com o governo do estado.

Na madrugada desta quinta (19), o diretor-geral do Instituto Butantan, Dimas Covas, comemorou a chegada da vacina da Sinovac em solo nacional e disse que os testes clínicos da Coronavac estão avançados. A expectativa dele é enviar os resultados da última fase dos estudos sobre a vacina para aprovação pela Anvisa ainda em 2020.

“Ficamos, portanto, só no aguardo do registro da Anvisa. É a primeira vacina que aporta em solo nacional. Isso é importante: o Brasil já tem a sua vacina, que vai estar aguardando os trâmites junto à Anvisa e junto ao Ministério da Saúde para poder iniciar o programa de vacinação. E esperamos que comece aí em meados de janeiro no máximo até fevereiro e aguardamos as definições do Ministério da Saúde”, disse Dimas Covas ao Jornal da Globo.

Na manhã desta quinta, o governador João Doria disse que a CoronaVac “é uma das vacinas que vai ajudar a salvar a vida de milhões de brasileiros”.

“Até o final de dezembro serão 6 milhões [de doses], até janeiro, 46 milhões. E, muito em breve, podemos chegar a 100 milhões de doses. Nós temos, sim, outras vacinas também. A vacina salva, a vacina pode colocar a normalidade na vida do pais”, disse Doria após receber o lote.

Eficácia da Coronavac

Um estudo feito com 743 pacientes apontou que a CoronaVac mostrou segurança e resposta imune satisfatória durante as fases 1 e 2 de testes.

A fase 2 dos testes de uma vacina verifica a segurança e a capacidade de gerar uma resposta do sistema de defesa. Normalmente, ela é feita com centenas de voluntários. Já a fase 1 é feita em dezenas de pessoas, e a 3, em milhares. É na fase 3, a atual, que é medida a eficácia da vacina.

Os participantes eram adultos saudáveis de 18 a 59 anos e foram escolhidos aleatoriamente para receber duas doses da vacina experimental: dose baixa de 3 microgramas, dose alta de 6 microgramas, ou placebo. Segundo a pesquisa, as respostas de anticorpos foram induzidas no prazo de até 28 dias após a primeira imunização.

Destaques do estudo:

Fases 1 e 2 envolveram 743 voluntários saudáveis na China, de 18 a 59 anos. Na fase 1, foram 143; na fase 2, 600.

Vacina tem duas doses e parece ser segura e bem tolerada.

Efeito colateral mais comum relatado foi dor no local da injeção.

Objetivo principal desta etapa da pesquisa foi avaliar a resposta imune e segurança da vacina.

Estudo não avaliou a eficácia na prevenção da infecção por Covid-19.

Novos estudos serão necessários para testar a vacina em outras faixas etárias, bem como em pessoas que tenham condições médicas pré-existentes.

“Nossas descobertas mostram que a CoronaVac é capaz de induzir uma resposta rápida de anticorpos dentro de quatro semanas de imunização, dando duas doses de vacina em um intervalo de 14 dias”, disse o professor Fengcai Zhu, autor principal do estudo.

Liberação da importação

No final de outubro, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) liberou a importação de 6 milhões do imunizante.

“As primeiras doses da vacina CoronaVac chegam ao Brasil no dia 20 de novembro e esta data está confirmada. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) já havia autorizado, nós já tínhamos comentado isso com vocês, a própria Anvisa já havia emitido comunicado também, e agora as autoridades sanitárias da China a Anvisa chinesa também deu autorização para importação, pelo instituto Butantan, dos lotes 6 milhões de vacinas, sendo que as primeiras 120 mil doses chegam no dia 20 de novembro no aeroporto internacional de Guarulhos em São Paulo”, afirmou Doria durante coletiva de imprensa no início da tarde desta segunda.

Ainda de acordo com o governador, o Butantan receberá as doses em lotes e até o dia 30 de dezembro o Instituto terá as 6 milhões de vacinas previstas.

O diretor do Instituto, Dimas Covas, disse que o local onde o imunizante ficará armazenado será mantido em sigilo por motivos de segurança.

No final de setembro, Doria chegou a dizer que as primeiras doses chegariam em outubro.

Vacina chinesa

A CoronaVac está atualmente na terceira fase de testes. A Sinovac, farmacêutica chinesa responsável pela vacina, ainda não obteve o registro para aplicação do imunizante, que não pode ser utilizado na população.

“Quero esclarecer aqui que nós seguimos e vamos continuar a seguir rigorosamente os protocolos da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para a aplicação da vacina. A vacina só será levada ao público às pessoas após autorização final da Anvisa”, disse Doria.

Até momento, apenas dados parciais referentes à segurança da vacina foram apresentados pelo governo de São Paulo, mas eles não foram enviados ao órgão ou publicados em revistas científicas.

A CoronaVac é alvo de disputa política envolvendo o Ministério da Saúde, o presidente Jair Bolsonaro e o governador de São Paulo, João Doria.

No final de outubro, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, anunciou a negociação para adquirir as 46 milhões de doses. Contrariado, Bolsonaro mandou cancelar a compra – e o ministério, por sua vez, afirmou que “não há intenção de compra” e substituiu o comunicado no site.

46 milhões de doses previstas

No total, o governo paulista fechou contrato com a chinesa Sinovac para a aquisição das 46 milhões de doses da CoronaVac. Essas primeiras 6 milhões virão prontas da China, e as outras 40 milhões serão envasadas e rotuladas no Instituto Butantan a partir de material que será importado.

Segundo o diretor do Butantan, Dimas Covas, o cronograma estipulado pelo governo de São Paulo está mantido, independentemente do que as autoridades paulistas apontam como um atraso da Anvisa na liberação da importação de matéria-prima da China.

Centros de pesquisa

A CoronaVac está na terceira fase de testes. O grupo de voluntários é formado exclusivamente por profissionais de saúde. Até agora, 15 mil vacinações foram aplicadas em nove mil voluntários. Cada voluntário recebe duas doses. Com a abertura dos novos centros, a meta é ampliar a pesquisa para o total de 13 mil voluntários.

Nessa fase final da pesquisa, metade dos participantes é inoculada com a vacina e a outra metade recebe placebo. Para determinar a eficácia da CoronaVac, é preciso que ao menos 61 participantes sejam contaminados pelo coronavírus.

Se o imunizante atingir os índices necessários de eficácia e segurança, poderá ser submetido à avaliação da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para registro e posterior uso na população.

Para agilizar o processo de análise de potenciais imunizantes contra o coronavírus, A Anvisa reduziu a exigência da documentação inicial e simplificou o processo de registro para que os dados dos estudos sejam enviados durante os trabalhos, e não somente ao final.

Com informações do G1/SP

 

GOVERNO DO RN PROÍBE NOMEAÇÃO PARA CARGOS COMISSIONADOS DE CONDENADOS NA LEI MARIA DA PENHA

O Governo do Estado publica no Diáro Oficial desta sexta-feira(20), uma lei que prevê a proibição da nomeação de pessoas condenadas na Lei Maria da Penha para cargos comissionados dos três poderes, seja administração direta ou indireta     

Dando continuidade ao nosso compromisso no enfrentamento à violência contra a mulher, estamos sancionando a lei que prevê a proibição da nomeação de pessoas condenadas na Lei Maria da Penha para cargos comissionados dos três poderes, seja administração direta ou indireta.

ATOR JONAS MELLO MORRE AOS 83 ANOS EM SP

Ator participou de várias produções da Record TV ao longo da carreira Foto: Reprodução/Instagram

O ator Jonas Mello foi encontrado morto no apartamento dele, em Santana, Zona Norte de São Paulo, no final da tarde desta quarta-feira (18). Ele tinha 83 anos. A informação foi confirmada à TV Globo pela irmã do artista, Josefina Rodrigues de Mello.

De acordo com Josefina, Jonas passou mal e ligou para um primo. Quando o familiar chegou ao local, Jonas já tinha falecido. A causa da morte não foi informada.

Josefina afirma que o irmão levava uma vida saudável e não tinha problemas de saúde. Ultimamente, dedicava-se à dublagem de filmes.

Jonas era solteiro e sem filhos. Deixa, além de Josefina, outras duas irmãs. O corpo deve ser velado a partir das 14h no Cemitério Memorial de Santos, no litoral paulista. O sepultamento está previsto para ocorrer às 18h.

Seu último trabalho na TV foi interpretar um capanga na novela “Flor do Caribe”, da TV Globo, em 2013.

Jonas Mello nasceu em São Paulo, em 20 de outubro de 1937. Iniciou carreira na televisão em 1969, na produção “A cabana do Pai Tomás”, na TV Globo.

Na Record, fez “Os deuses estão mortos”, “Sol amarelo”, “O tempo não apaga”, “O leopardo”, “Vendaval”, “Vidas Marcadas” “Estrela de fogo”, “Por amor e ódio”, “Escrava Isaura” e a minissérie “O desafio de Elias”.

Na Tupi (extinta), Mello trabalhou em “Os inocentes”, “Meu rico português”, “Os apóstolos de Judas”, “Um Sol maior” e “João Brasileiro, o bom baiano”.

Na Globo, participou de “Os gigantes”, “Chega mais”, “Coração alado”, “Baila comigo”, “Terras do sem fim”, “Partido alto”, “O outro”, “Bambolê”, “Pacto de sangue”, “Barriga de aluguel”, “O portador”, “Suave veneno”, “Vila Madalena”, “Araguaia”, “O Astro” e “Salve Jorge”.

Na Cultura, atuou em “O coronel e o lobisomem” e “Paiol velho”.

No SBT fez as novelas “Conflito”, “Acorrentada”, “Jogo do amor” e “Dona Anja”.

Na Bandeirantes, integrou o elenco de “Maçã do amor”.

Na Manchete (extinta), trabalhou em “Dona Beija” e “Mandacaru”.

Na CNT/Gazeta, atuou nas minisséries “Irmã Catarina” e “Ele vive” e as novelas “A última semana” e “Antônio dos milagres”.

TV Globo

REELEIÇÃO DE PREFEITOS BATE RECORDE: 2.237 CIDADES MANTÊM GESTORES, DIZ CNM

João Gomes, prefeito reeleito do município de Brejinho no RN  Foto: Divulgação

Continuidade é a marca das eleições municipais de 2020. Levantamento preliminar da Confederação Nacional de Municípios (CNM), mostra que os eleitores de 2.237 cidades reelegeram os atuais gestores no domingo passado, maior número já registrado no país desde a aprovação da emenda constitucional que permitiu a prefeitos, governadores e presidentes a concorrer a um segundo mandato, em 1998.

Os dados levantados pela CNM no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ainda podem sofrer alterações, em função de candidatos que disputaram o pleito sub judice e das dificuldades no processamento dos dados vista este ano.

Mesmo assim, dificilmente o número será inferior aos 2.135 casos de recondução de prefeitos observado em 2000, primeiro ano em que os gestores municipais puderam disputar um novo mandato consecutivo.

De acordo com a confederação, de 4.398 prefeitos que estão em primeiro mandato, 3.510 decidiram disputar a eleição deste ano e 888 preferiram não concorreram. Ou seja, quatro em cada cinco gestores se submeteram ao julgamento dos eleitores sobre seus mandatos. Entre os que saíram candidatos, a taxa de sucesso foi de 63,73%.

Com esse desempenho, o índice volta aos patamares registrados nas eleições anteriores à exceção de 2016, único ano em que menos da metade dos candidatos à reeleição conseguiu renovar o mandato. Quatro anos atrás, a taxa de sucesso registrada pela CNM foi de 49,48%.

“Os resultados mostram como, apesar de todas as dificuldades enfrentadas pelos municípios e agravadas neste ano pela pandemia, os  gestores conseguiram corresponder às expectativas da população de suas cidades”, avalia o presidente da CNM, Glademir Arolde.

Segundo turno

O número total de prefeitos reeleitos pode ganhar mais 18 nomes, de acordo com a confederação. Desses, 16 são homens e 2 mulheres ainda buscam um novo mandato nas urnas em cidades com mais de 200 mil eleitores. A CNM também observa que há 24 candidaturas sub judice, novamente com 2 mulheres, além de 22 homens à espera de uma decisão judicial.

O levantamento considera o resultado de 5.526 dos 5.567 municípios que realizaram eleições no domingo – Macapá (AP) teve a disputa adiada para dezembro. Apesar do recorde, a maioria das cidades brasileiras terá novos gestores a partir de 1 de janeiro, com 3.289 prefeitos em início de mandato e 2.237 reeleitos, além das 57 disputas que serão definidas em 29 de novembro.

CNN Brasil

PFIZER DIZ TER CONDIÇÃO DE VACINAR ‘MILHÕES DE BRASILEIROS’ CONTRA A COVID-19 NO 1º SEMESTRE DE 2021

 

O imunizante apresentou 95% de eficácia na fase três dos testes, o mais avançado para esse tipo de produto Foto: Reuters/Dado Ruvic

A Pfizer pedirá à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) o registro emergencial, no Brasil, da sua vacina contra a covid-19 assim que a Food and Drugs Administration (FDA, órgão americano que cuida desse tipo de procedimento) der a liberação nos Estados Unidos. Em comunicado nesta quarta-feira, 18, a farmacêutica disse que fez proposta ao governo brasileiro e informou que teria condições de “imunizar milhões de brasileiros” no 1º semestre de 2021.

Nesta quarta, a empresa relatou que o imunizante apresentou 95% de eficácia na fase três dos testes, o mais avançado para esse tipo de produto. O pedido de registro pela farmacêutica será apresentado com a entrega da documentação final do ensaio clínico de fase 3. A previsão é que o produto já possa ser aplicado nos brasileiros a partir de março do ano que vem.

Em comunicado nesta quarta, a empresa disse ter feito “uma proposta ao governo brasileiro em linha com os acordos fechados em outros países, inclusive na América Latina, que permitiria vacinar alguns milhões de brasileiros no primeiro semestre, sujeita à aprovação regulatória”. O Ministério da Saúde tem afirmado analisar esse e outros imunizantes em fase final de testes.

A Pfizer explicou também que “elaborou um plano logístico detalhado com ferramentas para apoiar o transporte eficaz, armazenamento e monitoramento contínuo da temperatura da potencial vacina”.

O resultado de 95% de eficácia é considerado excelente. O imunizante se mostrou extremamente seguro. Os efeitos adversos registrados com mais frequência foram muito leves, como dor ou incômodo no local da injeção. Problemas como fadiga e dor de cabeça só foram registrados em 3,8% dos casos e foram fugazes.

O registro emergencial significa que a vacina começará a ser usada sem que a fase três tenha sido totalmente concluída. Os voluntários serão acompanhados ainda por mais dois anos para que se possa estabelecer a duração da eficácia do imunizante. Cientistas consideram que, em uma pandemia, essa informação se torna secundária.

Imunizante também protege idosos

Inicialmente, a vacina deve ser disponibilizada para pessoas em grupos de risco, como profissionais de saúde e idosos.“Estávamos trabalhando com uma estimativa de eficácia de 70%; o resultado foi excepcional, significa que de cada cem vacinados, 95 estão protegidas”, contou o infectologista Edson Moreira, coordenador do estudo da Pfizer no Brasil. “Nenhuma vacina é 100% eficaz. Gosto sempre de lembrar do exemplo da vacina da varíola, que tem eficiência de 80%, mas conseguiu erradicar a doença em todo o mundo.”

Além disso, como ressalta Moreira, a vacina se mostrou igualmente eficaz (94%) entre pessoas com mais de 65 anos, justamente os mais vulneráveis ao novo coronavírus. “Isso é muito bom porque, em geral, a eficácia das vacinas diminui com a idade, uma vez que o sistema imunológico envelhece e se torna menos eficiente”, afirmou. “É extremamente importante que possamos oferecer uma proteção dessa magnitude a pessoas desse grupo de risco.”

O ensaio clínico mostrou também que a vacina é eficaz tanto para proteger a população de formas leves e moderadas da doença, quanto das formas graves.

Estadão Conteúdo

MINISTÉRIO DA SAÚDE DIZ QUE PUBLICAÇÃO A FAVOR DE ISOLAMENTO SOCIAL FOI ‘ERRO HUMANO’

Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello Foto: Pablo Jacob / Agência O Globo

O Ministério da Saúde classificou como “erro humano” a publicação feita mais cedo em defesa do isolamento social como principal medida de combate ao novo coronavírus. No texto, que acabou apagado, a pasta reconhecia a inexistência de remédios que previnam ou acabem com a Covid-19. O ministério alega agora que as informações estavam equivocadas e por isso foram deletadas.

“O Ministério da Saúde esclarece que a resposta ao tweet publicado na manhã desta quarta-feira (18) foi apagada – e posteriormente corrigida –  por trazer informações equivocadas. Um erro humano que já foi corrigido”, diz texto enviado pela assessoria de imprensa ao GLOBO.

Apesar de insistir no tratamento precoce para a Covid-19 e se posicionar contra o isolamento social, a pasta reconheceu na noite desta quarta-feira que não há “solução efetiva” para atender a população e evitar o risco de contágio do novo coronavírus no País.

“A pasta reforça a importância do atendimento precoce contra a Covid-19 e medidas de prevenção, como a lavagem das mãos, o uso de álcool em gel e de máscaras, até que seja encontrada uma solução efetiva para atender a população e evitar o risco de contágio. O protocolo de tratamento para a doença e uso de medicamentos está a critério dos profissionais de saúde, em acordo com a vontade dos pacientes”, afirma outro trecho da nota.

O ministério também afirmou que está trabalhando para obter “uma vacina segura, eficaz e em quantidade o quanto antes para disponibilizar aos brasileiros”. Ao longo desta semana, a pasta realiza uma série de reuniões com produtores de vacinas com resultados promissores. O ministério promete apresentar um plano de imunização da população brasileira, com foco inicial nos grupos de riscos a serem definidos.

Mais cedo, o ministério publicou em sua conta oficial no Twitter que não há vacina, remédio, alimento ou outra substância que previnam ou possam acabar com a Covid-19. O comentário foi feito em resposta a uma seguidora que sugeriu o uso da Azitromicina para tratar a doença. O medicamento também é defendido por Bolsonaro.

“A nossa maior ação contra o vírus é o isolamento social e a adesão das medidas de proteção individual”, dizia a postagem do Ministério da Saúde, que acabou apagada cerca de uma hora depois.

No final do dia, o Ministério da Saúde se posicionou a favor do “tratamento precoce” da doença nas redes sociais. No texto, a pasta afirma que há possibilidade de aumento do número de casos da doença no País, mas que “apenas as pessoas que estão no grupo de risco e os idosos devem se precaver e evitar o contato com o público”.

O Globo

 

TÉCNICOS DA SECRETARIA NACIONAL DE DEFESA CIVIL VÃO INSPECIONAR TRECHO DA FALÉSIA QUE DESABOU EM PIPA

Foto: Reprodução/BandNewsFM

Uma equipe da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil, enviada pelo Ministério do Desenvolvimento Regional, vai realizar uma inspeção no trecho da falésia que desabou em Pipa, no litoral do Rio Grande do Norte, nesta quinta-feira (19). A previsão é de que a avaliação aconteça no fim da manhã, quando a maré estiver baixa no local.

Fazem parte da equipe também geólogos e engenheiros civis. A inspeção visa auxiliar o governo federal nas decisões sobre as falésias.

Na terça-feira (17), o desabamento de um trecho da falésia acabou com a morte de uma família. Hugo Pereira, de 32 anos, Stela Souza, de 33, do filho do casal, Sol Souza Pereira, que tinha 7 meses de vida, e do cachorro deles morreram soterrados.

Ao todo, 10 estabelecimentos que ficam no topo da falésia já foram notificados e fechados preventivamente. As equipes de fiscalização têm atuado inspecionando um estabelecimento por vez.

“Estamos avaliando pontualmente cada um, porque cada um tem uma situação diferente, então não seria justo uma notificação para todos”, explicou a secretária de Meio Ambiente e Urbanismo de Tibau do Sul, Ieda Cortez.

Além disso, o trecho onde aconteceu o acidente também está interditado. “Na maré alta vai haver a interdição das pessoas por ali. Na maré baixa vai ter um corredor onde a pessoa pode passar afastado da falésia”, disse o prefeito de Tibau do Sul, Modesto Macedo.

Segundo ele, a interdição vale até que haja uma decisão do governo federal sobre o assunto, que acontecerá após as inspeções e o mapeamento dos trechos de risco que tem sido feito pela prefeitura.

Ao todo, 10 estabelecimentos já foram notificados e fechados temporariamente na praia — Foto: Julianne Barreto/Inter TV Cabugi

 Esse relatório, inclusive, deve sair até o dia 25 de novembro, segundo explicou a secretária de Urbanismo e Meio Ambiente, Ieda Cortez.

A titular da pasta disse ainda que no trecho onde aconteceu o acidente fiscais da prefeitura e policiais militares vão auxiliar na interdição. Também foram proibidos temporariamente passeios turísticos no local.

Investigação do MPF

O MPF abriu uma investigação para exigir que as autoridades adotem medidas urgentes para garantir segurança dos frequentadores da praia e novos deslizamentos. Procuradores participaram de uma reunião nesta quarta-feira (18) com representantes do município de Tibau do Sul e da Defesa Civil do RN.

Ao todo, segundo o MPF, há 18 inquéritos abertos envolvendo ocupações irregulares em bordas de falésias no litoral do estado, principalmente no Tibau do Sul, onde Pipa fica localizada. Ainda há seis ações judiciais, inclusive uma penal sobre o tema. Com informações do G1/RN.

 

SENADO APROVA AUXÍLIO DE R$ 4 BILHÕES A EMPRESAS DE TRANSPORTE PÚBLICO

Foto: Sérgio Lima

O Senado aprovou hoje (18) o Projeto de Lei 3364/2020, que prevê o repasse de R$ 4 bilhões a estados, ao Distrito Federal e aos municípios com mais de 200 mil habitantes para garantir o serviço de transporte público coletivo de passageiros em razão da pandemia de covid-19. A matéria já havia passado pela Câmara e agora segue para sanção presidencial.

O texto prevê que, além das empresas privadas, os recursos poderão ser destinados às empresas públicas ou de economia mista que realizem o serviço de transporte, como empresas de metrô. Os recursos da medida são oriundos do Fundo das Reservas Monetárias (FRM), extinto por meio de uma medida provisória sancionada em junho pelo presidente Jair Bolsonaro.

“Não há dúvidas de que o transporte público coletivo de passageiros nas grandes cidades sofreu fortes impactos econômicos com a pandemia do covid-19”, destacou o relator do projeto no Senado, Eduardo Gomes (MDB-TO). De acordo com a Associação Nacional de Empresas de Transporte, houve uma redução de 80% no número de passageiros. A estimativa é que mais de 32 milhões de pessoas tenham deixado de usar transporte público, seja por terem ficado desempregadas, seja por questões sanitárias, seja por outros motivos.

“Para manter a sustentabilidade operacional, as transportadoras se viram obrigadas a promover reduções na frota de veículos e diminuir o número de colaboradores”, acrescentou o relator. Segundo ele, o projeto é importante para evitar o aumento de tarifas pelas empresas, que poderiam lançar mão desse recurso para repôr suas perdas.

O projeto determina que os recursos serão liberados mediante condições estabelecidas em termo de adesão. Os entes federados que receberem recursos ficarão proibidos de aumentar as tarifas do serviço.

Fonte: Agência Brasil

Topo