Caixa lança edital de concurso com 3.200 vagas para técnicos

Foto: Reprodução

A Caixa Econômica Federal publicou nesta quinta-feira (22), no Diário Oficial da União, o edital do concurso público para o preenchimento de 1.600 vagas para os cargos de técnico bancário novo e 1.600 para técnico bancário novo em tecnologia da informação e cadastro de reserva.

A remuneração inicial é de R$ 3.762. As provas objetivas e de redação serão aplicadas no dia 26 de maio, com divulgação dos resultados finais prevista para o dia 5 de agosto.

As inscrições começam às 10h do dia 29 de fevereiro e terminam às 16h do dia 25 de março, e devem ser realizadas no site da banca avaliadora, que é a Fundação Cesgranrio.

A taxa de inscrição para qualquer um dos cargos é de R$ 50 e pode ser paga por boleto bancário, ou PIX (com copia e cola ou código QR code).

O pedido da taxa de isenção deve ser feito até 7 de março. Nos dias 14 e 15 de março, os candidatos que tiverem isenção indeferida poderão apresentar recurso e no dia 21 de março, será publicada a lista final dos isentos.

O cartão de confirmação da inscrição estará disponível no dia 22 de maio.

Os aprovados para as vagas de técnico bancário serão distribuídos em 107 polos e os profissionais de tecnologia da informação serão lotados em Manaus, Brasília, Goiania, Belo Horizonte, Recife, Rio de Janeiro, Porto Alegre e São Paulo.

CNN Brasil

Daniel Alves é condenado a 4 anos e meio de prisão por estupro: R$ 800 mil que levaram à redução da pena foram doados por Neymar

Foto 1 : Alberto Estévez/ POOL / AFP/Foto 2: Divulgação CBF

O jogador Daniel Alves foi condenado a 4 anos e meio de prisão por estuprar uma mulher de 23 anos no banheiro de uma boate espanhola, em dezembro de 2022.

A Justiça espanhola aplicou à pena do jogador uma atenuante de reparação de danos porque, “antes do julgamento, a defesa depositou na conta do tribunal o montante de 150 mil euros (R$ 798 mil, na cotação atual) para que pudesse ser entregue à vítima independentemente do resultado do processo”.

 Neymar doa R$ 800 mil a Daniel Alves

Esses 150 mil euros foram doados a Daniel Alves pelo amigo de longa data, Neymar, e parentes do camisa 10 da seleção.

Neymar da Silva Santos, o pai do atacante do Al-Hilal, da Arábia Saudita, transferiu dinheiro para auxiliar o ex-lateral do Barcelona e da seleção brasileira, conforme revelou o Uol em janeiro. A informação foi confirmada por Neymar Pai, pouco depois da publicação da reportagem.

Sem acesso aos seus bens desde que foi preso, Daniel Alves recorreu à ajuda financeira e jurídica de Neymar e família. A reportagem do Uol informou que o valor cedido pela família do atacante foi utilizado para depositar os 150 mil euros à Justiça espanhola, com o objetivo de argumentar pela redução da pena de Daniel, em caso de condenação.

Em conversa com o ex-jogador Emerson Sheik, Neymar Pai chamou a remessa a Daniel Alves de “ajuda a um amigo”. Ele disse que preferiu “ter o peso de acreditar em um amigo do que virar as costas para alguém”.

— A família nos pediu ajuda. O Daniel não tinha dinheiro para se defender, e o prazo para o pagamento da defesa estava expirando. Pense bem, em nenhum momento, eu podia negar ajuda a um amigo que está tentando se defender de uma acusação — ressaltou Neymar Pai.

Foto 1 : Alberto Estévez/ POOL / AFP

Qual foi a sentença de Daniel Alves?

Segundo o jornal La Vanguardia, o tribunal de Barcelona responsável pelo caso considerou ter ficado comprovado que a vítima não consentiu com a relação sexual.

Na avaliação do colegiado de juízes, porém, o depósito dos 150 mil euros “manifesta desejo de reparação”. A Justiça descartou que Alves tenha cometido os fatos em estado de embriaguez, o que a defesa alegava como circunstância atenuante para uma eventual condenação, com base na lei espanhola.

O tribunal considerou provado que “o arguido agarrou abruptamente a denunciante, atirou-a ao chão e, impedindo-a de se mexer, penetrou-a pela vagina, apesar de a denunciante ter dito que não, que queria ir embora”. O colegiado de juízes destacou ainda que “isto obedece ao tipo de ausência de consentimento, ao uso da violência e ao acesso carnal”.

O Globo

Nono dia de buscas por fugitivos da Penitenciária de Mossoró deve ter reforço de 100 agentes da Força Nacional

Foto: Jamile Ferraris/MJSP

O nono dia de buscas pelos fugitivos da Penitenciária Federal de Mossoró terá o reforço de 100 agentes da Força Nacional, que têm previsão de chegar nesta quinta-feira (22) ao Rio Grande do Norte. Deibson Nascimento e Rogério Mendonça fugiram no dia 14 de fevereiro do presídio.

Os agentes da Força Nacional viajaram para Mossoró em 22 viaturas e um ônibus, de acordo com o Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP). Eles se juntam a mais de 500 agentes de segurança, entre policiais militares, civis, federais e rodoviários federais que estão nas operações de captura.

O envio da Força Nacional foi autorizado na quarta-feira pelo ministro da Justiça, Ricardo Lewandowski. Enquanto as operações durarem, as equipes vão ficar alojadas na Universidade Federal do Semi-Árido (Ufersa).

As buscas acontecem, principalmente, em Mossoró e também em Baraúna, onde nesta quarta-feira (21) houve um cerco em uma operação policial. Nenhum detalhe da ação foi divulgado.

As duas cidades são ligadas pela RN-015, estrada onde fica a Penitenciária Federal de Mossoró. A força-tarefa trabalha com a hipótese de que os fugitivos permanecem em uma região próxima à unidade prisional.

A operação conta com helicópteros, drones, cães farejadores e outros equipamentos tecnológicos sofisticados.

As zonas rurais e áreas de mata são focos de buscas, mas os trabalhos são dificultados pelas pelas características naturais da caatinga, o bioma da região. Os agentes enfrentam situações como mata fechada, grutas, animais peçonhentos como cobras, aranhas e escorpiões, forte insolação, calor e a época de chuva na região.

Força Nacional Penal e câmeras em agentes

Nesta quarta-feira (21), o Ministério da Justiça também autorizou o uso da Força Penal Nacional para o reforço da segurança externa da Penitenciária Federal de Mossoró, no Rio Grande do Norte. Esse grupo reúne profissionais penais de referência nos estados e vai atuar durante 60 dias em Mossoró, além de fazer um treinamento de segurança com os agentes.

g1/RN

 

 

Prefeitura Municipal amplia oferta de transporte escolar e cria novas rotas em São José de Mipibu

Foto: Canindé Soares

A Secretaria Municipal de Transporte e Trânsito de São José de Mipibu – SEMUTRAN, ampliou o número de veículos para atender o transporte escolar no município, como também disponibilizou mais um ônibus para melhor deslocar os alunos matriculados no turno noturno nas universidades em Natal.

De acordo com o secretário municipal da SEMUTRAN, Daltro Emerenciano, três novas rotas foram implantadas neste ano, atendendo alunos residentes no bairro do Bosque das Colinas e adjacências, como também os alunos dos IFRNs de Natal, Parnamirim e Nova Cruz, além da rota que vai atender os mipibuenses matriculados na Escola Agrícola de Jundiaí.

Ainda de acordo com Daltro Emerenciano, o aumento na oferta de ônibus escolar e a criação de novas rotas atende uma orientação do prefeito Zé Figueiredo, que solicitou ao setor de transportes prioridade no atendimento aos educandos do município. Ex-secretário municipal de Educação, Zé Figueiredo tem um olhar mais atento para os educandos mipibuenses.

O secretário disse ainda, que a SEMUTRAN continua trabalhando para melhor servir a população de São José de Mipibu, principalmente aos alunos das redes estadual e municipal de ensino.

Desespero: Jovem salva mulher e bebê que ficaram presos dentro do carro arrastado pela enxurrada

Foto: Reprodução

Homem salva mulher e bebê que ficaram presos dentro do carro no alagamento por causa da chuva forte em Nova Iguaçu no Rio de Janeiro.

Municípios da Baixada Fluminense no Rio de Janeiro foram impactados pela forte chuva do início da noite desta quarta-feira (21). A cidade de Nova Iguaçu é a com mais publicações nas redes, nas quais moradores divulgaram vídeos de enchentes e estabelecimentos alagados.

Em um dos registros, é possível ver o momento em que um homem, identificado apenas como Marcos Vinícius, resgata uma criança de colo e uma mulher, acuadas dentro de um carro. Elas são puxadas pelo braço para um lugar seguro e, logo depois, o veículo é levado por uma enxurrada.

Criança brasileira de 9 anos é resgatada em rio na fronteira do México com os EUA após se perder da mãe

Foto: Divulgação INM

Agentes do Instituto Nacional da Migração do México (INM) resgataram, no último domingo, uma menina brasileira de 9 anos no Rio Bravo, fronteira natural entre o território mexicano e o americano.

A mãe da criança havia conseguido concluir a travessia com sucesso, mas a filha ficou para trás, segundo as autoridades locais.

De acordo com o INM, agentes do Grupo Beta foram alertados pela Patrulha de Fronteira dos Estados Unidos em relação ao caso de uma menina que havia se separado da mãe no trajeto entre os dois países.

A criança estaria em uma ilhota no rio, tendo sido deixada lá pela mãe. As autoridades americanas relataram não terem como ajudar do outro lado da fronteira. Agentes mexicanos do INM foram ao local e resgataram a menina.

A brasileira, que não teve a identidade revelada, foi levada para a outra margem do Rio Bravo, já do lado americano. Ela foi entregue aos agentes da Patrulha de Fronteira dos EUA, que a devolveram, posteriormente, à mãe.

Não há detalhes sobre a situação da mãe e da filha nesse momento. Um esquema comum entre estrangeiros que tentam entrar ilegalmente nos Estados Unidos é o “cai cai”. Nele, adultos atravessam a fronteira acompanhados de menores de idade e se entregam às autoridades.

Por estarem com crianças, eles podem conseguir responder ao processo em liberdade nos EUA e a deportação imediata é evitada. Isso acontece porque o menor não pode ficar sozinho durante os trâmites de repatriação.

Em outras ações ocorridas no domingo, as autoridades locais resgataram dois mexicanos, um deles adolescente, e outros três estrangeiros, vindos de Honduras e El Salvador. Eles foram levados para o território mexicano e entregues à Polícia Civil.

O Globo

 

Vídeo: O sucesso da gravação do programa da Record ‘Hora do Faro’ em Goianinha

Foto: Reprodução

O apresentador da Record, Rodrigo Faro está na cidade de Goianinha ao lado da cantora Kally Fonseca. Na terça feira eles estiveramno bairro Matadouro Novo, onde a artista viveu a sua infância.

Rodrigo Faro, do programa “Hora do Faro” está fazendo gravação falando da história de vida da cantora Kally Fonseca, ex-participante do Reality “A Fazenda”.

Ainda na terça-feira, a cantora Kally Fonseca ao lado de Rodrigo Faro fez show no centro da cidade de Goianinha. Também esteve presente no evento  Cezar Black , namorado da cantora, e também  ex-participante do Reality “A Fazenda”, onde começaram um affair.

O programa de Rodrigo Faro com Kally Fonseca está previsto para ir ao ar no dia 10 de março.

Fux autoriza quebra de sigilos bancário e fiscal do deputado André Janones

Foto: Rosinei Coutinho/SC)/STF

O ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou a quebra do sigilo bancário e fiscal do deputado André Janones (Avante-MG), de assessores e ex-assessores. A medida é um desdobramento da investigação sobre um possível esquema de desvio de recursos públicos no gabinete do parlamentar, a chamada rachadinha.

A quebra de sigilos foi pedida ao Supremo pela Polícia Federal e teve aval da Procuradoria-Geral da República. Em uma mensagem de áudio divulgada na imprensa, o deputado disse a assessores que parte deles teria que devolver uma quantia do salário para abater um prejuízo na campanha eleitoral de 2016. Em dezembro, Fux atendeu ao pedido da PGR, e autorizou abertura de um inquérito para investigar a suposta rachadinha.

Segundo a PF, “as diligências concluídas até o momento sugerem a existência de um esquema de desvio de recursos públicos no gabinete do deputado André Janones”. A PF afirmou ainda que há inconsistências nos depoimentos prestados por servidores do deputado e que “a análise conjunta das declarações obtidas nas oitivas com o conteúdo dos áudios (e com as diligências empreendidas) revela uma série de inconsistências e contradições”.

Informações: g1/Globo

Aliados aconselham Lula a dizer publicamente que não atacou judeus, e sim governo de Israel

Foto: PR

Aliados e interlocutores do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) avaliam que o político deveria vir a público para tratar novamente do conflito entre Israel e o grupo terrorista Hamas na Faixa de Gaza.

Não para ceder ao primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, mas para se dirigir à comunidade judaica no Brasil e no mundo – e dizer que, em nenhum momento, teve a intenção de atacar os judeus.

Na terça (20), o ministro de Relações Exteriores do Brasil, Mauro Vieira, respondeu à altura os ataques de Israel ao presidente brasileiro – e vocalizados também pelo ministro israelense, Israel Katz.

Aliados de Lula avaliam que o presidente errou ao incluir a figura de Adolf Hitler e do Holocausto nas críticas a Israel. Também avaliam, no entanto, que agora não bastam notas oficiais, declarações de ministros e uma resposta dura de Mauro Vieira para reordenar o cenário.

O episódio ganhou uma dimensão interna que demanda, segundo esses interlocutores, uma nova fala pública do próprio presidente Lula. Para separar as coisas e, dizem, corrigir o “escorregão” do
último domingo (18).

Em meio à repercussão, autoridades como o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), e o líder do governo no Senado, Jaques Wagner (PT-BA), defenderam Lula – mas alertaram que nada na história da humanidade se compara ao Holocausto.

Falas como essas reforçam a necessidade de Lula vir a público para tratar do tema, diminuir seu desgaste pessoal e deixar claro que o ataque no discurso de domingo tinha como alvo Netanyahu.

Caso contrário, o bolsonarismo vai continuar explorando o fato – espalhando o argumento de que, no fundo, Lula pensa exatamente o que disse: que os crimes de guerra de Israel na Faixa de Gaza podem ser comparados ao Holocausto.

“Só uma declaração pública de Lula poderá inverter o jogo. Enquanto só sua equipe diz, vai sempre parecer que Lula está evitando o tema”, disse um aliado ao blog.

G1

Governo contratou empresa de “laranja” para obra em presídio federal em Mossoró

Foto: Reprodução

O governo federal contratou uma empresa em nome de um “laranja” para fazer obras de manutenção dentro do presídio federal em Mossoró (RN), de onde presos ligados ao Comando Vermelho fugiram no último dia 14. A companhia tem faturamento anual de R$ 195 milhões, mas seu dono, no papel, é um beneficiário do auxílio emergencial que mora na periferia de Brasília.

O contrato foi assinado em abril de 2022, na gestão de Anderson Torres no Ministério da Justiça do governo Jair Bolsonaro (PL), e prorrogado um ano depois, em abril de 2023, na gestão de Flávio Dino, do governo Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Os contratos foram firmados por meio dos respectivos setores que cuidam de presídios no ministério, sem a participação direta dos ex-titulares da pasta.

Especialistas consideram grave o fato de um presídio de segurança máxima contratar uma empresa sem saber quem é o verdadeiro dono. Uma das suspeitas investigadas é a de que uma obra teria facilitado a fuga dos criminosos – a primeira na história dos presídios de segurança máxima do País.

Havia mais de uma obra em andamento. Ainda não foi apontada, porém, qual delas teria ajudado os criminosos. Rogério da Silva Mendonça, conhecido como Tatu, e Deibson Cabral Nascimento, o Deisinho, ainda não foram encontrados, e as buscas entraram no 8º dia.

Em nota, o Ministério da Justiça informou que acionará “os órgãos competentes federais para que seja realizada rigorosa apuração referente à lisura da empresa citada”. Destacou também que, na assinatura do contrato, em 2022, a empresa cumpriu todos os requisitos técnicos, apresentou todas as as certidões de conformidade e vinha cumprindo todas as suas obrigações.

Já a empresa afirmou que a reportagem é “imprudente” ao classificar o dono como laranja, mas não esclareceu os questionamentos levantados. Também não quis dar informações sobre a atuação em Mossoró.

A empresa em questão é a R7 Facilities, sediada em Brasília. Ela foi contratada para realizar obras de manutenção no presídio federal de Mossoró por R$ 1,7 milhão. A companhia informou, em balanços de 2023, ter R$ 353 milhões em contratos ativos com os setores público e privado.

Apesar do tamanho da companhia, o sócio-administrador é um técnico de contabilidade que recebeu 12 parcelas do auxílio emergencial, benefício pago a cidadãos em vulnerabilidade financeira durante a pandemia da covid-19. Gildenilson Braz Torres, de 47 anos, tem como endereço uma casa simples no Riacho Fundo, região periférica do Distrito Federal, e não soube dar informações sobre a operação da empresa.

O histórico de Gildenilson não bate com o de um empresário vencedor de contratos milionários. Ele é cobrado na Justiça pelo governo do Distrito Federal por não pagar uma dívida de R$ 8.338,10, referente a parcelas de 2017 a 2020 de um imposto sobre serviços autônomos. Em fevereiro de 2022, um juiz determinou o bloqueio de bens, mas só foram encontrados R$ 523,64 nas contas dele.

Gildenilson afirma ter um escritório de contabilidade no Núcleo Bandeirante, bairro da periferia formado pelos “candangos” da construção de Brasília. No endereço, há uma placa em que ele se apresenta como o responsável pela empresa “Mega Batatas”. Não há qualquer menção à R7 no prédio nem nas redes sociais dele.

Ao Estadão, Gildenilson afirmou ter CEO, diretores e outros empreendimentos, mas que não podia dar informações sobre eles. Ele desligou o telefone logo após a reportagem insistir em mais detalhes.

“Cara, tipo assim, ‘tá’ rolando uns negócio aí do contrato que a gente tem terceirizado de Mossoró. É sobre isso? Tipo assim, tenho de conversar com meu advogado. Não posso falar nada sem conversar com ele. Qualquer coisinha, pego seu número e entro em contato”, afirmou.

A reportagem também esteve no endereço que Gil, como é conhecido, informa como residencial, no Riacho Fundo. Ele não estava. O concunhado dele mora no local e afirmou desconhecer o vínculo de Gildenilson com uma empresa milionária. “Se fosse verdade, ele não estaria andando com o carro velho em que ele anda”.

Gildenilson virou sócio-administrador da R7 Facilities em fevereiro de 2023. Dois meses depois, ele assinou o aditivo com o Ministério da Justiça, por meio da Secretaria Nacional de Políticas Penais (Senappen), para os serviços de manutenção em Mossoró.

Antes, desde janeiro de 2021, a companhia estava em nome de outro “testa de ferro”, o bombeiro civil Wesley Fernandes Camilo. Foi ele quem assinou o contrato, em 2022, com o antigo Departamento Penitenciário Nacional (Depen), atual Senappen.

Hoje, Wesley Camilo trabalha como brigadista em um hospital particular de Brasília e afirmou ter renda mensal de R$ 4 mil. Mesmo assim, alegou estar satisfeito por ter repassado a empresa de balanço milionário da qual aparecia como único dono.

Camilo mora numa casa em Ceilândia, uma das regiões mais pobres do Distrito Federal. A reportagem encontrou um Volkswagen Nivus em sua garagem. O carro, avaliado em R$ 111 mil, está registrado em nome da R7 Facilities.

O bombeiro civil afirmou que comprou a empresa milionária sem desembolsar nada. Segundo ele, a firma foi repassada com créditos não recebidos e ele trabalharia para recuperá-los. O brigadista negou ter sido um laranja.

“Na realidade, irmão, eu comprei do Ricardo e passei para para o Gil. Mas isso aí, bicho, vai além de tudo isso. O meio é fogo, irmão. É só você pesquisar. Para ficar num meio sujo e perverso, melhor sair e passar para a mão dos caras”, disse Wesley, negando-se a detalhar a que se referia.

O fundador da empresa é Ricardo Caiafa, um empresário de Brasília. Ele afirmou que decidiu vender a companhia porque enfrentava dificuldades no mercado e decidiu sair do ramo. Foi procurado por um advogado que intermediou a negociação para Wesley Camilo.

Caiafa afirma não ter mais ligação com a R7. Diferentemente dos novos donos, ele mora em uma casa no Lago Sul, considerado o bairro com a maior renda per capita do País. A reportagem não encontrou indícios de que ele tenha vínculos com o grupo que controla a empresa atualmente.

A R7 presta serviços para o governo federal pelo menos desde setembro de 2016, segundo o Portal da Transparência. Com o Ministério da Justiça, o primeiro contrato é de fevereiro de 2019. Nesses casos, a gestão da empresa ainda era do fundador, Ricardo Caiafa. Os contratos com o Executivo federal dobraram após a entrada dos laranjas.

Especialistas veem problema grave no contrato do presídio

Coordenador do Centro de Estudos e Pesquisas em Segurança Pública da PUC Minas, Luís Flávio Sapori diz que é preciso apurar se houve problemas no processo de licitação da R7 Facilities. “No caso, o que é suspeito é a característica da empresa que ganhou essa licitação, no governo Bolsonaro ainda. Na gestão do ministro Anderson Torres. A coisa começou lá. O problema está na origem (o que deve ser verificado é) a idoneidade e a capacidade técnica dela para fazer esse tipo de serviço”, diz.

“Não há dúvida que há uma suspeita em torno dessa empresa. Merece questionamento”, afirma ele, que foi secretário-adjunto de Segurança de Minas de 2003 a 2007. “Na verdade, há um protocolo a ser seguido por qualquer empresa que faça obras num presídio de segurança máxima.”

Sapori explica também que contratos guarda-chuva como o da R7 Facilities são comuns na administração de presídios. “Na gestão prisional, de maneira geral, é normal e conveniente fazer licitações de empresas que possam fazer a manutenção periódica dos presídios ao longo do tempo. É assim que funciona e deve ser assim mesmo, do meu ponto de vista. Isso permite resolver pequenos problemas de toda sorte que aparecem, sem que tenha de fazer nova licitação a cada problema”, acrescenta o sociólogo.

Lucas Rodrigues é advogado com atuação em contratações públicas. Segundo ele, um dos requisitos para que uma empresa possa participar de uma licitação – como a vencida pela R7 Facilities – é o de que ela esteja legalmente constituída. Se a empresa usou informações falsas, como o nome de um laranja, é possível que o contrato seja considerado nulo.

“Um dos requisitos para ela participar da licitação é ela (a empresa) estar regularmente constituída. O fato de ela ocultar um sócio indicaria que ela está constituída de forma irregular”, diz ele. Rodrigues falou em tese, sem conhecer o caso concreto. Além disso, os donos podem ter incorrido no crime de falsidade ideológica ao usar um “laranja”, diz o advogado.

R7 diz que alegação é “preconceito” e ministério pede apuração

Em nota, a empresa R7 Facilities alegou que é “imprudente” e “preconceituoso” se referir a Camilo e Gildenilson como laranjas. “O sr Wesley Camilo foi sócio da empresa R7 Facilities e o sr Gildenilson é o atual sócio, como pode ser verificado em documentos públicos junto à Junta Comercial do Distrito Federal”. A empresa se recusou a comentar sobre a fuga dos dois presos ligados ao Comando Vermelho, não especificou como atua no Rio Grande do Norte e não informou se irá colaborar com as investigações.

O Ministério da Justiça, em nota, destacou que a empresa cumpriu requisitos na fase de contratação e vinha cumprindo as obrigações contratuais conforme exigia a lei. Também ressaltou que as condições da fuga dos presos são investigadas pela Polícia Federal.

“A empresa citada atendeu todos os requisitos técnicos para a assinatura do contrato, realizada em abril de 2022, tendo apresentado todas as certidões de conformidade junto a órgãos públicos, como Receita Federal, Tribunal de Contas da União, Tribunal Superior do Trabalho, Ministério da Gestão, Inovação e Serviços Públicos, entre outros. Sobre o serviço prestado, de acordo com nota técnica emitida pela fiscalização do contrato, a empresa vinha cumprindo todas as suas obrigações, obedecendo os parâmetros pré-estabelecidos legalmente”, diz a nota.

As assessorias de Anderson Torres e Flavio Dino, que estiveram à frente do ministério entre 2022 e o início de 2024, informaram que o contrato não teve qualquer relação com os ex-titulares da pasta porque é assinado no departamento que cuida da área de presídios, dentro da própria pasta.

Estadão Conteúdo

Vereadores se reúnem para segunda sessão ordinária do ano de 2024 em São José de Mipibu

Foto: Divulgação

A Câmara Municipal de São José de Mipibu abriu, oficialmente, na manhã desta terça-feira (20), os trabalhos legislativos referentes ao primeiro semestre de 2024 — sendo esta a segunda sessão ordinária do ano.

A reunião, que foi conduzida pela presidente, a vereadora Carla Simone Gomes de Lima, contou com a participação dos demais parlamentares que compõem o poder Legislativo mipibuense.

Na ocasião, os vereadores apresentaram diversos requerimentos, indicações e Projetos de Lei — que, ao todo, somaram mais de 30 matérias — para serem lidas, analisadas e discutidas em conjunto para posterior aprovação em plenário. Entre estes, destacamos:

Dentre as matérias, foi discutido o requerimento nº 12/2024, de autoria da vereadora Carla Simone, que apresenta a seguinte ementa: “Solicito informações a diretora do DER, a senhora Netecia Shirley Nunes, e ao Sr. diretor de Transporte, o Sr. Rômulo José Carneval Lins Júnior, sobre o aumento das Tarifas de ônibus anunciado no último dia 10 de fevereiro, no serviço público de transporte coletivo intermunicipal”.

Apresentador de TV encontra nova espécie de sucuri na Amazônia; verde e com 8 metros de comprimento

Foto: Reprodução/Instagram

Apresentador de TV encontra nova espécie de sucuri-verde na Amazônia: 8m e mais de 200kg. Freek Vonk nadou com exemplar da espécie de anaconda no Brasil, que pode ser a maior do mundo.

“Hoje, junto com outros 14 cientistas de nove países, descrevi uma nova espécie de cobra da Amazônia, que pode ser a maior do mundo. E não qualquer uma, é uma serpente gigante! Descobrimos que a maior espécie de cobra do mundo, a anaconda-verde, como todos a conhecemos pelos filmes e por todas as histórias sobre cobras gigantes, é na verdade duas espécies diferentes!”, postou o holandês

“Embora pareçam quase idênticas à primeira vista, a diferença genética entre as duas é de 5,5%, e isso é enorme. Para colocar isso em perspectiva, humanos e chimpanzés são geneticamente diferentes entre si apenas em cerca de 2%”, acrescentou ele.

Por  Fernando Moreira/Extra

Operação do MPRN busca provas sobre morte do prefeito de São José de Campestre

Foto: Reprodução/Redes sociais

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) deflagrou nesta quarta-feira (21) uma operação com o objetivo de cumprir mandados de busca e apreensão para encontrar provas subtraídas e que podem contribuir para a investigação do assassinato de Joseilson Borges da Costa, conhecido como “Nenem Borges”, prefeito de São José de Campestre. Ele foi morto a tiros no dia 18 de abril do ano passado dentro da própria residência, em um crime com características de execução sumária.

De acordo com o MPRN, as medidas da ação são fundamentais na colheita de elementos que possam auxiliar nas provas de motivações envolvendo o homicídio do prefeito, especialmente em razão da subtração de provas ocorridas que configuram, em tese, crimes de coação no curso do processo, falso testemunho e fraude processual.

A operação cumpriu quatro mandados de busca e apreensão e contou com o apoio da Polícia Militar. Ao todo, cinco promotores de Justiça, nove servidores do MPRN e 24 policiais militares participaram da ação.

Fonte: Tribuna do Norte

Força Penal Nacional vai reforçar segurança externa da Penitenciária Federal de Mossoró

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O Ministério da Justiça autorizou o uso da Força Penal Nacional para o reforço da segurança externa da Penitenciária Federal de Mossoró, no Rio Grande do Norte. A medida foi publicada na edição do Diário Oficial da União desta quarta-feira (21).

A operação montada para a captura de Rogério Mendonça e Deibson Nascimento envolve cerca de 500 policiais das forças de segurança. Além disso, mais de 100 agentes e um comboio com 20 carros da Força Nacional de Segurança passam a fazer parte das ações, após determinação na segunda-feira (19), pelo ministro da Justiça, Ricardo Lewandowski.

A Força Nacional é composta por policiais e bombeiros militares, além de policiais civis e peritos. A equipe irá atuar na força-tarefa das buscas a partir desta quarta.

Já a Força Penal Nacional foi criada em novembro de 2023 e reúne profissionais penais de referência nos estados. Esse grupo irá atuar na segurança no entorno da penitenciária durante 60 dias e fazer um treinamento de segurança com os agentes.

Segundo o Ministério da Justiça, o uso da Força Penal Nacional será em “caráter episódico e planejado”. O número de pessoas que vão fazer parte desta equipe ainda não foi definido e as ações devem começar na sexta-feira (23).

Duas investigações sobre o caso são feitas, envolvendo a apuração administrativa e da Polícia Federal. Na terça-feira (20), a Corregedoria da Secretaria Nacional de Políticas Penais afastou mais três diretores da penitenciária, responsáveis pelas áreas de segurança, inteligência e administração do presídio até a conclusão das investigações sobre a fuga.

Esta foi a primeira fuga registrada na história do sistema penitenciário federal, que inclui ainda penitenciárias em Brasília (DF), Catanduvas (PR), Campo Grande (MS) e Porto Velho (RO).

A Fuga

Rogério e Deibson fugiram da Penitenciária Federal de Mossoró no dia 14 de fevereiro, Quarta-Feira de Cinzas. Os dois presos, originalmente do Acre, estavam na unidade desde setembro de 2023 e são do Comando Vermelho.

Os criminosos foram vistos pela última vez na sexta-feira (16). Durante a fuga, eles chegaram a invadir duas casas. Os policiais já encontraram algumas pistas no raio de 15 quilômetros da penitenciária.

G1

Homem mais alto do mundo encontra menor mulher viva do planeta em evento do Guinness Book

Foto: Reprodução/Redes sociais

homem mais alto do mundo, Sultan Kösen, e a menor mulher viva do planeta, Jyoti Amge, se encontraram em um evento do Guinness Book (Livro dos Recordes). O momento aconteceu no estado da Califórnia, Estados Unidos, na segunda-feira (19).

Aos 41 anos, o turco mede 2,51 metros de altura. Já a indiana, aos 30 anos, mede apenas 62,8 centímetros. Os dois estão registrados no Guinness Book por conta da altura desde 2011.

O primeiro encontro dos dois recordistas foi em 2018, no Egito, a convite do próprio país do norte africano.

O tamanho de Sultan ​​é motivado por uma condição conhecida como “gigantismo pituitário”, que é o resultado de um tumor que causa a produção excessiva do hormônio do crescimento. Já Jyoti tem uma forma de nanismo chamada de acondroplasia.

Diário do Nordeste

 

 

 

Topo