REINAUGURAÇÃO DA ESTAÇÃO BRASILEIRA NA ANTÁRTICA É ADIADA PARA AMANHÃ

Oito anos depois do incêndio que destruiu a Estação Antártica Comandante Ferraz, base brasileira reabre para cientistas e pesquisadores. — Foto: Divulgação Marinha do Brasil

A inauguração da Estação Antártica Comandante Ferraz, prevista para esta terça-feira (14), foi adiada por conta do mau tempo. A Marinha do Brasil divulgou em nota que a inauguração deve acontecer na quarta (15), ainda sem horário confirmado.

O deslocamento das autoridades que sairiam do aeroporto de Punta Arenas, no Chile, para a Antártica não foi possível por conta das condições meteorológicas.

O vice-presidente Hamilton Mourão viaja com destino ao continente gelado para participar da reinauguração como o principal representante do governo brasileiro. Acompanha a comitiva o ministro Marcos Pontes, da Ciência e Tecnologia, os chefes das pastas de Defesa e Infraestrutura entre outras autoridades.

Os brasileiros tiveram o voo cancelado porque não há “janela”, ou tempo aberto, no aeroporto da base chilena na Antártica, onde estava previsto o desembarque. O céu está encoberto na região da Ilha Rei George e as condições não permitem pousos.

O complexo de mais de 4,5 mil m² será entregue quase oito anos após o incêndio que destruiu a base anterior. Pesquisadores brasileiros estão há mais de três décadas no continente.

A nova estação brasileira na Antártica será inaugurada, nesta quarta-feira (15), pela Marinha — Foto: Divulgação Marinha do Brasil

Construção mais segura

Construído em um local inóspito, o continente antártico, o complexo consegue suportar temperaturas negativas, nevascas e ventos de até 200 km por hora. A estrutura ainda tem sistemas de detecção, alarme e combate a incêndios.

Os preparativos para reconstruir a estação tiveram início ainda em 2012, com a retirada dos escombros da antiga base. Depois disso, a Marinha lançou um edital para a obra do novo complexo, que não recebeu nenhuma proposta até 2014.

Uma nova licitação foi aberta em 2015, e a empresa chinesa Ceiec foi escolhida para realizar as obras.

Como só é possível trabalhar na Ilha Rei George durante os cinco meses do verão antártico, que vai de outubro a março, a empresa executou a obra em diferentes etapas. Parte da estação foi preparada na China, em módulos que só foram levados e montados após o fim do inverno.

Do G1/Ciência e Saúde

Deixar uma Resposta

Publicidade