PROCURADOR DORME DURANTE SESSÃO VIRTUAL E COLEGAS NÃO CONTÊM RISO NA PB

Procurador José Raimundo do MPPB cochila durante sessão Foto: Reprodução

O procurador de Justiça José Raimundo de Lima, do MP-PB (Ministério Público da Paraíba), protagonizou uma cena inusitada durante uma sessão virtual do Tribunal de Justiça do estado. Lima tirou um cochilo enquanto um advogado presente na sessão fazia sua argumentação.

Ao retomar a palavra, o desembargador Oswaldo Trigueiro se deu conta da situação e não conseguiu segurar o riso. Fred Coutinho, outro desembargador presente na sessão, também ri de forma contida, assim como um supervisor.

 

A sessão virtual fazia parte de um julgamento da Quarta Câmara Cível do Tribunal da Paraíba e era transmitida ao vivo.

Para dar sequência ao julgamento, Coutinho pediu a palavra para elaborar seu voto. No entanto, o procurador José Raimundo de Lima continuou dormindo e só acordou cerca de cinco minutos depois.

O cochilo se deu em uma sessão realizada anteontem, enquanto a grande maioria dos tribunais brasileiros continua trabalhando de forma remota por causa da pandemia do coronavírus.

Do UOL, em São Paulo

RECUPERADOS DE COVID-19 DEVEM CONTINUAR USANDO MÁSCARA, DIZ SAÚDE

Recuperado: ex-combatente da Segunda Guerra Mundial Ermando Armelino Piveta, de 99 anos. Foto:  Ueslei Marcelino/Reuters

O secretário-executivo do Ministério da Saúde, Elcio Franco, disse que mesmo as pessoas que já tiveram covid-19 devem continuar a usar máscara. Isso porque não se sabe ainda por quanto tempo elas ficarão imunes, e porque existe a possibilidade de que, mesmo protegidas, poderão ainda transmitir o vírus após ter contato com alguém doente.

— Não se sabe por quanto tempo a pessoa infectada estará imune, se por um mês, por um ano, pelo resto da vida. Tudo isso é uma incógnita e tudo está sendo estudado e pesquisado. Esse é um aspecto. Outro é que também não há evidências, mas existe a possibilidade de que uma pessoa que contraiu, e emtese não vai mais contrair o vírus, continua atuando como vetor, se ela tiver contato com outra pessoa que está com o vírus ativo. Então dessa forma, ela pode estar disseminando o vírus — explicou o secretário-executivo, que é o número dois do ministério.

Ele defendeu a adoção das medidas preventivas, como o uso de máscara, por todas as pessoas:

— Não é porque eu tive covid que eu não tenho que usar máscara. E não é porque eu não tive que apenas quem não teve deve usar. A recomendação é que todos usem máscara, que todos adotem as medidas de higienização, e todas aquelas outras medidas que foram propostas nas orientações para a retomada segura das atividades e para promover o convívio social seguro.

O Globo

BRASIL REGISTRA 1.755.779 CASOS CONFIRMADOS E 69.184 MORTES

 

Sérgio Lima/Poder360

De acordo com o Ministério da Saúde nesta quinta-feira(09), o Brasil registrou 69.184 mortes em função da pandemia do novo coronavírus. Nas últimas 24 horas, foram acrescidas às estatísticas 1.220 pessoas que perderam a vida em decorrência da covid-19.

Conforme o balanço, há 632.552 pessoas em acompanhamento e 1.054.043 se recuperaram. Há 4.077 mortes em investigação. O painel do órgão também trouxe 42.619 novos casos. Com isso, o total acumulado de pessoas infectadas no país atingiu 1.755.779.

A letalidade (número de mortes por total de casos) foi de 3,9%. A mortalidade (quantitativo de óbitos por 100 mil habitantes) ficou em 32,9.  A incidência dos casos de covid-19por 100 mil habitantes é de 835,5.

Estados

Os estados com mais mortes são São Paulo (17.118), Rio de Janeiro (11.115), Ceará (6.741), Pernambuco (5.409) e Pará (5.196). As Unidades da Federação com menos falecimentos pela pandemia são Mato Grosso do Sul (136), Tocantins (240), Roraima (393), Acre (411) e Santa Catarina (447).

BOLSONARO APRESENTA BOAS CONDIÇÕES DE SAÚDE, DIZ PLANALTO

Foto: Reprodução/TV Brasil

Diagnosticado com covid-19, o presidente Jair Bolsonaro apresenta “boas condições de saúde” e seu quadro “evolui bem, sem intercorrência”, segundo informou nesta quinta-feira (9) a Secretaria Especial de Comunicação Social (Secom) do governo. 

Bolsonaro está sendo acompanhado pela equipe médica da Presidência da República. Ele recebeu o teste positivo para o novo coronavírus na última terça-feira (7). De lá pra cá, ele mantém isolamento no Palácio do Alvorada, residência oficial, e tem despachado com ministros e outros auxiliares por meio de videoconferência. O presidente também cancelou viagens que estavam previstas esta semana para a Bahia e para Minas Gerais.

Agência Brasil

INAUGURAÇÃO DE SUPERMERCADO CAUSA AGLOMERAÇÃO EM PARNAMIRIM

Houve aglomeração em frente ao supermercado — Foto: Reprodução

A inauguração de uma rede de supermercados de atacado causou aglomeração na manhã desta quinta-feira (9) em Paranamirim, na Região Metropolitana de Natal. Foi possível ver aglomeração desde o lado de fora do atacado, no aguardo para a abertura dos portões, e dentro do estabelecimento. Uma equipe de fiscalização da prefeitura da cidade foi até o local.

A inauguração foi anunciada nas redes sociais do supermercado, que realizou promoções. Quando as portas do estabelecimento abriram, houve uma correria dos clientes envolvidos.

É importante lembrar que as autoridades de saúde recomendam que as pessoas devem manter uma distanciamento social de pelo menos 1,5 metros de uma pessoa para outra como medida de prevenção ao contágio do novo coronavírus. Além disso, a entrada em supermercados tem que ser organizadas pelo próprio estabelecimento, cumprindo ordens dos decretos estaduais e municipais.

 Com informações do G1/RN

MPRN, MPF/RN E MPT/RN ACIONAM PREFEITURA DO NATAL CONTRA REABERTURA DE COMÉRCIO

Reabertura do comércio do Alecrim pela prefeitura de Natal. Foto: José Aldenir

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN), o Ministério Público Federal no RN (MPF) e o Ministério Público do Trabalho (MPT/RN) ingressaram com uma ação civil pública (ACP) contrária à retomada das atividades econômicas adotada pela Prefeitura do Natal no último dia 30 de junho e ampliada em 7 de julho. Na capital potiguar, já foi permitida a reabertura de vários setores não essenciais, mesmo com sistema de saúde lotado e sem perspectivas quanto ao fim da pandemia.

A ação inclui um pedido liminar e cobra que se retomem as medidas de isolamento social vigentes até 29 de junho, só devendo a prefeitura adotar o chamado Plano de Retomada Gradual da Atividade Econômica quando forem observados os seguintes critérios: ocupação abaixo de 70% dos leitos de UTI dedicados ao tratamento da covid e taxa de transmissibilidade (média de pessoas infectadas por quem possui o vírus) inferior a 1 e se mantendo em queda sustentada. Essa redução deve ser atestada pelos comitês da Fiocruz, Consórcio Nordeste e Mosaic UFRN.

A liminar requer a apresentação, no prazo de 24 horas, da justificativa técnica – “embasada em evidências científicas e análises sobre as informações estratégicas em saúde” – que subsidiou a decisão de retomada das atividades econômicas no último dia 30 e sua ampliação no dia 7. A cobrança, destaca o Ministério Público, leva em conta o direito da população à informação.

Testagem e horários –

Outro objetivo da ACP é que a Prefeitura do Natal estabeleça um protocolo adequado de testagens, priorizando os trabalhadores da área da saúde e das atividades essenciais, além dos informais e grupos de risco, com os resultados devidamente acompanhados e publicados.

MPF, MP/RN e MPT/RN exigem ainda a adoção de normas que levem as empresas, quando da reabertura, a promoverem a chamada “busca ativa de casos”, com o afastamento das atividades daqueles empregados com suspeita ou confirmação da doença e a notificação à Vigilância Epidemiológica do Estado e da Prefeitura, para o devido monitoramento.

Por último, a ACP inclui um pedido para que, quando houver condições de retomada das atividades, sejam estipulados horários distintos, “além de outras regras para reduzir a quantidade de pessoas nos transportes coletivos, como (…) critérios de aberturas de atividades comerciais por bairros”.

Situação 

– As condicionantes cobradas pelo Ministério Público (situação dos leitos e taxa de transmissibilidade) integram um decreto do Governo do Estado, de 4 de junho, e não foram observadas quando da reabertura de parte do comércio da capital potiguar. Desde 30 de junho a ocupação dos leitos de UTI na Região Metropolitana se manteve acima dos 90% e a taxa próxima ou acima de 1.

Em 24 de junho, quando havia informações do possível início da reabertura, os ministérios públicos Federal, Estadual e do Trabalho expediram recomendação cobrando do Governo do Estado o respeito às condicionantes do decreto e, dos prefeitos, que não adotassem normas flexibilizando as medidas de distanciamento social.

O Governo do Estado adiou para 1º de julho o início do cronograma de reabertura das atividades econômicas, mas diante da alta ocupação dos leitos decidiu suspender a segunda etapa, prevista para 8 de julho. Já o Município de Natal, que autorizou a primeira etapa em 30 de junho, manteve a segunda, que passou a vigorar no último dia 7.

Dados 

Para os representantes do Ministério Público, essa ampliação demonstra uma total “dissonância com as recomendações sanitárias e com o mundo dos fatos”. Em sua nota à população, a Prefeitura do Natal justificou a medida, entre outros pontos, com base na aprovação de um comitê científico municipal, cujos possíveis dados e detalhes sequer integram a nota.

O documento da prefeitura aponta que a taxa de isolamento social teria permanecido acima dos 50%, porém com base tão somente “no último final de semana”. Durante os dias úteis, essa taxa tem girado em torno de 40%. A nota cita ainda um protocolo preventivo de enfrentamento à covid-19 do Conselho Regional de Medicina, sendo que tal protocolo não recomenda a retomada gradual do comércio, limitando-se apenas a fornecer orientações de manejo e tratamento dos pacientes.

Questionado quanto aos dados que basearam o aval desse comitê, o Município do Natal se limitou a alegar que, por não ter participado da fixação das condicionantes, não seria obrigado a cumpri-las. “(…) tal entendimento permitiria a qualquer município desatender regulamentações provenientes do governo estadual, federal e até mesmo de organismos internacionais”, lamenta o Ministério Público.

Por outro lado, a recomendação mais recente do Comitê de Especialistas da Secretaria de Saúde do Estado (Sesap/RN), de 30 de junho, registra que a taxa de reprodução do vírus se mantinha superior a 1, com possibilidade de uma “segunda onda de casos ou uma reativação da primeira, ao se promover um relaxamento das medidas que restringem a circulação das pessoas”. A conclusão é semelhante à do comitê científico do chamado Consórcio Nordeste.

Riscos 

Para o Ministério Público, a prefeitura cedeu à pressão para relaxar as ações de isolamento social – “na contramão do que recomendam os especialistas da área da saúde” -, mesmo diante dos riscos à população com a possível aceleração da curva ascendente de casos, do aumento do número de óbitos e também do fato de que o prolongamento da pandemia pode resultar em prejuízos econômicos ainda maiores.

Ao menos 270 pessoas já morreram com covid na fila de internação no Rio Grande do Norte, esperando por um leito de UTI. “Autorizar essa abertura, nesse momento, é estimular a morte, o sofrimento e o contágio da população, além de sobrecarregar os profissionais da saúde que estão dando seu suor e sua própria vida para enfrentar uma doença ainda sem cura”

Para os procuradores e promotores, “uma decisão sensata de reabertura exige a certeza quanto à estabilidade dos números relevantes para os critérios científicos indicativos, e, ainda, a previsão de um plano concreto e efetivo de testagens e medidas de vigilância epidemiológica.”

A ACP é assinada pelos procuradores da República Cibele Benevides, Caroline Maciel, Fernando Rocha, Maria Clara Lucena, Rodrigo Telles e Márcio Albuquerque; pelo procurador-geral de Justiça Eudo Rodrigues; e ainda pelo procurador Regional do Trabalho, Xisto de Medeiros Neto, e pelos procuradores do Trabalho Lilian Vilar, Luiz Fabiano Pereira e Antônio Gleydson Gadelha. Irá tramitar na 4ª Vara da Justiça Federal sob o número 0804411-96.2020.4.05.8400.

Veja  aqui 

 

GUARDA MUNICIPAL CAPTURA FORAGIDO DA JUSTIÇA DURANTE PATRULHAMENTO EM MIRASSOL

Foto: GMN/Divulgação

Um foragido do sistema prisional do Rio Grande do Norte foi capturado pela Ronda Saúde da Guarda Municipal do Natal (RondaS/GMN) na tarde desta quinta-feira (09). O preso identificado como Daniel Ferreira de Lima da Silva, 38 anos, estava em atitude suspeita nas proximidades da unidade de saúde do bairro de Mirassol, quando foi surpreendido pelos guardas municipais.

De acordo com informações repassadas pelo patrulhamento preventivo do RondaS/GMN, os guardas foram acionados pelo Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (Ciosp) da presença de um suspeito na área do posto de saúde de Mirassol. Os guardas encontraram o homem e realizaram a abordagem e revista pessoal.

A guarnição interrogou o suspeito e quando foi realizada uma consulta ao Banco Nacional de Mandados de Prisão (BNMP), foi encontrado um mandado de prisão em aberto em desfavor de “Daniel Ferreira de Lima da Silva”. “Diante da constatação a guarnição deu voz de prisão ao suspeito que foi conduzido a delegacia para realização dos procedimentos de captura”, contou um dos guardas.

O detido estava com mandado de prisão preventiva expedido pela 17ª Vara Criminal da Comarca de Natal desde abril de 2019. Daniel Ferreira foi conduzido e entregue pelos guardas municipais na Central de Flagrantes da Polícia Civil, sendo em seguida encaminhado ao sistema prisional.

MÉDICOS DA UFRN NÃO APROVAM USO DE IVERMECTINA COMO PREVENÇÃO DA COVID-19

Foto: Cícero Oliveira

Médicos e professores do Departamento de Infectologia (DINF), da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), não aprovam o uso  de ivermectina ou qualquer outro medicamento para prevenir o novo coronavírus.

Por meio de nota o Departamento de Infectologia divulgou nesta quinta-feira, 9, uma nota que trata do uso de medicação e de terapêuticas no tratamento da covid-19, e esclarece que não há dados na literatura que justifiquem o uso de qualquer fármaco para evitar a infecção pelo  novo coronavírus.

O documento é direcionado aos médicos e à comunidade acadêmica da UFRN e resulta de discussões em torno do uso de medicamentos para prevenção pré ou pós-exposição ao novo coronavírus ou com a finalidade de tratar a covid-19.

O objetivo é apresentar o que a literatura científica disponível tem a dizer de mais atual a respeito do uso dessas medicações. Para isso, os professores do DINF orientaram as discussões em torno de quatro temas:

1 – O uso de medicamentos antes da exposição ao novo coronavírus para evitar infecção

Até o momento não há dados na literatura que justifiquem o uso de qualquer fármaco para evitar a infecção pelo SARS-CoV-2 ou ainda, que possa impactar na gravidade da doença antes que ela se estabeleça, como por exemplo a ivermectina.

2 – O uso de fármacos para prevenir a infecção após a exposição ao vírus,

3 – A administração de remédios para controlar ou reduzir a multiplicação do vírus no organismo

4 –  O uso de terapêuticas com ação no sistema imune no tratamento de complicações decorrentes da covid-19.

A nota trata do uso da cloroquina, da hidroxicloriquina, da azitromicina, da ivermectina, da dexametasona, além de outros medicamentos utilizados no tratamento da doença, considerando as evidências científicas demonstradas até o momento. O documento também informa que diante de novos estudos que venham a surgir, as recomendações do DINF serão atualizadas.

Para acessar a nota, clique no link.

STJ AUTORIZA PRISÃO DOMICILIAR DE FABRÍCIO QUEIROZ E DE SUA MULHER

Queiroz e a mulher Márcia Aguiar Foto: Reprodução

Ex-assessor de Flávio Bolsonaro deverá ser monitorado por tornozeleira eletrônica; Márcia Aguiar está foragida desde o dia 18

O presidente do Superior Tribunal de Justiça, João Otávio de Noronha, concedeu nesta quinta-feira habeas corpus pedido pela defesa de Fabrício Queiroz e de sua mulher, Márcia Aguiar, que está foragida desde o dia 18 de junho, quando Queiroz foi preso em Atibaia, em São Paulo. Com a decisão de Noronha, os dois vão para prisão domiciliar e serão monitorados por tornozeleira eletrônica. Eles são investigados no caso da “rachadinha” no antigo gabinete de Flávio Bolsonaro, na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro.

Ao apresentar o pedido de habeas corpus, o advogado Emílio Catta Pretta argumentou que o cliente é portador de câncer de cólon e corria riscos de saúde devido à pandemia da Covid-19. A condição do ex-assessor foi levada em consideração pelo ministro que, em sua decisão, concedeu a prisão domiciliar à Márcia Aguiar presumindo que sua presença ao lado de Queiroz é necessária para que ele receba as atenções devidas por conta da doença, já que ele estará privado do contato com terceiros — salvo profissionais da saúde e seus advogados.

Esse mesmo pedido já tinha sido feito pelos advogados do ex-assessor logo após a prisão. No entanto, o HC foi negado pela desembargadora Suimei Cavalieri, da 3ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ).

Ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro, Fabrício Queiroz foi preso na manhã de 18 de junho de 2020, em operação conjunta do Ministério Público do Rio de Janeiro e da Polícia Civil de São Paulo. denominada Anjo – apelido de Frederick Wassef, advogado de Flávio e proprietário do imóvel onde Queiroz foi encontrado em Atibaia, interior de São Paulo.

Por:oglobo.globo.com

OMS DIZ QUE PANDEMIA ESTÁ ACELERANDO E PEDE QUE PAÍSES SE UNAM CONTRA CORONAVÍRUS

O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS)  Tedros Adhanom Ghebreyesus – Foto: Fabrice Coffrini/Reuters

A pandemia da Covid-19 “se acelera”, como demonstram os 400 mil novos casos confirmados registrados no fim de semana passado (dias 4 e 5), advertiu, na última terça-feira (7), o diretor-geral da OMS (Organização Mundial da Saúde), Tedros Adhanom Ghebreyesus, ressaltando que o mundo ainda não atingiu o pico da doença.

“Embora o número de mortos pareça ter se estabilizado em nível mundial, na realidade, alguns países fizeram avanços significativos na redução do número de casos, enquanto que, em outros, os mortos continuam crescendo [em número]”, declarou Ghebreyesus, em uma teleconferência.

Nesta quinta-feira (9), Ghebreyesus disse que comunidade internacional está divida e que essa situação faz com que o novo coronavírus ganhe terreno. A declaração é uma resposta sutíl à confirmação de que os EUA deixarão a organização por decisão do governo de Donald Trump.

“As divisões entre nós fazem com que o vírus ganhe terreno. Não poderemos derrotar a pandemia se estamos divididos”, disse.

Um dos Estados-parte que assiste ao avanço do coronavírus é o Brasil. Na terça, após a confirmação de que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) está com Covid-19, a Opas (Organização Pan-Americana da Saúde) pediu ao Brasil que fortaleça suas medidas de contenção ao vírus e desejou uma rápida recuperação a Bolsonaro. O país é hoje o segundo em número de casos e mortes pela doença, atrás apenas dos EUA.

Marcos Espinal, diretor de doenças transmissíveis da Opas, disse, em entrevista coletiva que o fato de Bolsonaro ter sido contaminado mostra que o vírus “não respeita raças ou pessoas poderosas”, e lembrou dos contágios do primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, e do presidente de Honduras, Juan Orlando Hernández, ambos já recuperados.

“Portanto, é importante que, independentemente de o presidente ser afetado, o país continue a fortalecer medidas. Aqui está um exemplo de que ainda não estamos controlando completamente esse vírus”, acrescentou.

Espinal enfatizou que o pacote de medidas recomendado pela Opas, que inclui diretrizes para distância física entre pessoas, uso de máscara e lavagem constante das mãos, demonstrou funcionar.

A diretora da Opas, Carissa Etienne, disse que o Brasil atualmente representa cerca de um quarto dos novos casos nas Américas, o atual epicentro da pandemia.

AFP/Folha de São Paulo

CORONAVÍRUS: ‘PRAIAS FICAM PROIBIDAS ATÉ SAIR A VACINA’, DIZ CRIVELLA

5 de julho – Movimentação de banhistas na praia do Leme, na zona sul do Rio de Janeiro, neste domingo (05) — Foto: Ellan Lustosa/Estadão Conteúdo

O verão de 2021 pode ser de praias proibidas na cidade do Rio. O prefeito Marcelo Crivella anunciou, no início da tarde desta quinta (9) que, ao contrário do planejado no cronograma traçado anteriormente, os banhos de sol e de mar continuarão proibidos enquanto não houver uma vacina contra a Covid-19.

“Locais onde não se costuma usar a máscara, como nas praias, só devem ser liberados depois da vacina “, afirmou.

“Ela está sendo testada e pode ser produzida na Fiocruz. Se a gente libera a praia e faz sol no fim de semana, a areia pode ficar lotada, os transportes para ir e voltar, também”. Segundo Crivella, autorizar a reabertura agora poderia botar em risco conquistas recentes, como a queda no índice de contaminação. O prefeito não descartou estender a proibição até o verão (“esperamos que a vacina chegue antes de março“), e anunciou que, a partir desse fim de semana vai “apertar a fiscalização” nas areias. A prática de atividades físicas individuais nos calçadões e no mar continua liberada.

© Prefeitura do Rio/Divulgação Marcelo Crivella: prefeito adiou a reabertura das praias, prevista anteriormente para esta sexta (10)

“As pessoas que desrespeitarem as medidas serão multadas e podem ser levadas à delegacia”. Crivella também anunciou que as finais do campeonato carioca, disputadas por Flamengo e Fluminense nos dois próximos domingos, não terão a presença do público. Shoppings tiveram o horário de fechamento prorrogado de 18h para 22h, mas deverão continuar a abrir ao meio-dia.

ELEIÇÕES 2020: MDB E FUG-RN REALIZAM PESQUISA COM CORRELIGIONÁRIOS

Deputado federal Walter Alves Foto: Divulgação

O Movimento Democrático Brasileiro no Rio Grande do Norte (MDB-RN) e a Fundação Ulysses Guimarães (FUG-RN) estão realizando uma pesquisa sobre dúvidas e sugestões com relação ao processo eleitoral deste ano, com os correligionários em todo o estado. A coleta de informações é feita de forma virtual. Os dados serão utilizados no planejamento de videoconferências.

De acordo com o presidente do MDB-RN, deputado federal Walter Alves, o momento é de realizar um debate com a base do partido, com o objetivo de discutir estratégias e planejamento para as eleições. “Vamos ouvir os correligionários. Devido à pandemia, o calendário eleitoral sofreu alterações e o processo eleitoral deste ano tem muitas novidades que geram dúvidas”, afirma Walter.

Após a coleta de informações, MDB-RN e FUG-RN vão reunir, por meio de videoconferências, correligionários, técnicos jurídicos, líderes do partido e profissionais em marketing para discutir as novas regras eleitorais e sanar as dúvidas mais recorrentes.

A pesquisa já está disponível e pode ser acessada pelo endereço: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSclRsQHwv8AIe2flAaztKrOeq9_ROiIU2fXJMOZE2pQAQ3S6g/viewform?usp=pp_url.

 

 

ITÁLIA BLOQUEIA ENTRADA DE TURISTAS DE 13 PAÍSES, INCLUINDO O BRASIL

3 de junho – Funcionário verifica a temperatura corporal dos passageiros na Estação Ferroviária Central, em Milão, na Itália — Foto: Claudio Furlan/La Presse/Dia Esportivo/Estadão Conteúdo

O ministro da Saúde da Itália, Roberto Speranza, disse nesta quinta-feira (9) que o país proibirá a entrada de viajantes que estiveram nas últimas duas semanas em treze países, incluindo o Brasil. A União Europeia já restringia viagens por conta da pandemia de coronavírus.

Os voos, diretos ou com escala, com origem ou destino a qualquer um destes países estão suspensos. O ministro ressaltou, após assinar a proibição, que o governo escolheu “a linha de extrema cautela”. Estão impedidos de desembarcar em território italiano todos os viajantes que, em um período inferior a 14 dias, estiveram por esses países:

Armênia, Bahrein, Bangladesh, Brasil, Bósnia-Herzegovina, Chile, Macedônia, Moldávia, Omã, Panamá, Peru, Kuwait e República Dominicana.

“Para todos os outros países fora da União Europeia, e extra Schengen, continuam a ser obrigados a respeitar a quarentena”, escreveu Speranza em uma rede social. “A epidemia global está em sua fase mais aguda. Não podemos anular nossos sacrifícios feitos nos últimos meses.”

A Itália chegou a ser apontada como epicentro da pandemia de coronavírus no mundo, ainda em março. O país foi um dos mais atingidos pela Covid-19 na Europa e acumulou, desde o início da epidemia, mais de 34,9 mil mortes pela doença e 242,3 mil confirmações, segundo os dados oficiais.

Restrições na União Europeia (UE)

Os países da União Europeia (UE) aprovaram reabertura das fronteiras a partir de 1º de julho aos turistas de 15 países — moradores do Brasil, Estados Unidos, Turquia e Rússia, por enquanto, têm o acesso proibido.

Antes dessa mudança, só estavam autorizadas as viagens essenciais.

A lista dos autorizados, que será revisada a cada duas semanas, inclui Argélia, Austrália, Canadá, Geórgia, Japão, Montenegro, Marrocos, Nova Zelândia, Ruanda, Sérvia, Coreia do Sul, Tailândia, Tunísia e Uruguai, além da China, mas o gigante asiático, sob critérios de reciprocidade, informou o Conselho da UE em um comunicado.

Foram usados critérios de saúde. O país de residência do turista, e não a sua nacionalidade, será o fator chave para determinar se eles poderão entrar ou não na União Europeia, de acordo com as autoridades.

Os 27 países que compõem o bloco europeu não são obrigados legalmente a adotar a resolução, mas se não fizerem isso, correm risco de ter as suas fronteiras com outros países da Europa fechada –portanto, dificilmente algum país terá uma política diferente.

Do G1/Mundo

COVID-19 NO RN: FILA DE REGULAÇÃO TEM REDUÇÃO, MAS OCUPAÇÃO DE LEITOS AINDA É DE 92%

Os dados epidemiológicos da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) do Rio Grande do Norte sobre a pandemia da Covid-19 registram nesta quinta-feira, 09,  a redução da fila de regulação e na ocupação de leitos de UTI.

Durante a entrevista coletiva diária concedida por membros do Governo do RN para atualização de dados e prestação de contas das ações do Governo, havia na fila de regulação 7 pacientes aguardando transferência e 21 leitos disponíveis.

O secretário adjunto de saúde do Estado, Petrônio Spinelli disse que o trabalho para abrir mais leitos críticos continua e tem o objetivo de, nos próximos dias, alcançar 80% de ocupação dos leitos críticos. Hoje, apesar da redução na fila, a ocupação ainda é de 92%.

“Para chegarmos a 80% é preciso a população fazer o isolamento social e respeitar as medidas de proteção. Esta questão ainda é muito preocupante. Em Natal, por exemplo, o bairro do Alecrim está como na situação pré-pandemia. A localidade recebe fluxo de pessoas de todos os bairros e de muitos municípios do interior. Assim, é um polo aglutinador de pessoas e difusor do vírus”, afirmou Petrônio.

O secretário adjunto de Saúde alerta para a manutenção de todos os cuidados protetivos, de higiene pessoal e coletiva, de distanciamento e isolamento social e uso de máscara.  “Ações imprudentes podem levar a um novo pico de contágio, de pessoas internadas e de mortes.

Muitos prefeitos estão entendendo a situação e adotando as medidas orientadas pelo Governo. Mas é preciso que isso seja regra geral”, reforçou.

Neste dia 9, há 726 pessoas internadas para tratamento da infecção pelo novo coronavírus, em todo o estado. Deste total, 372 estão em leitos críticos. A ocupação de leitos na região Oeste é de 100% (apesar do acréscimo de 5 novos leitos de UTI), 92% na região Metropolitana de Natal, 70% Pau dos Ferros, 100% no Mato Grande e 83% no Seridó. Dos 7 pacientes na fila de regulação, 6 são residentes nos municípios da região metropolitana de Natal.

Os casos confirmados são 37.046, suspeitos 51.252, 58.331 descartados, óbitos 1.344 (6 nas últimas 24 horas), 188 óbitos em investigação.

 

ATENDIMENTO À MULHERES VÍTIMAS DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA É SERVIÇO ESSENCIAL, DEFINE LEI

Foto: Reprodução

Já está valendo a lei que amplia o atendimento a mulheres vítimas de violência doméstica durante a pandemia do novo coronavírus. A Lei 14.022/2020 prevê que devem continuar funcionando durante a crise todos os órgãos que atendem mulheres, crianças, adolescentes, pessoas idosas e cidadãos com deficiência vítimas de violência doméstica ou familiar. Isso porque o atendimento às vítimas é considerado serviço essencial.

O texto também define que as vítimas podem ser atendidas e registrar a ocorrência por meio da internet ou por telefone. Em casos graves como estupro, feminicídio, lesão corporal grave ou ameaças com arma de fogo, por exemplo, o poder público deve obrigatoriamente fornecer atendimento presencial.

A lei também prevê que medidas protetivas urgentes também podem ser solicitadas pela internet. Além disso, medidas protetivas que já estão em vigor serão automaticamente prorrogadas até o fim do período de calamidade pública.

O Fórum Nacional de Segurança Pública, registrou um aumento de 44% nas ocorrências de violência contra a mulher em São Paulo durante a pandemia. No Acre, o aumento foi de 600%. Já segundo a Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos, houve aumento de 14,1% nas denúncias feitas ao Ligue 180 nos primeiros quatro meses de 2020 em relação ao ano passado.

 Brasil 61
Topo