LULA JÁ TEM VICE DE CHAPA NA MIRA PARA 2022

Foto:  Alexandre Schneider/Getty Images

A decisão do STF de livrar Lula das condenações da Lava-Jato, na quinta-feira(15), deve dar novo fôlego aos movimentos do petista no campo eleitoral.

O petista sonha em atrair o PSB para sua chapa presidencial em 2022 e já deu os primeiros passos nesse caminho.

Lula terá em breve uma conversa franca com Paulo Câmara. O governador de Pernambuco, do PSB, é uma opção para ser vice na disputa ao Planalto.

Coluna Radar/Veja

 

FUNERAL DO PRÍNCIPE PHILIP ACONTECE COM DISTANCIAMENTO E RESTRIÇÕES EM WINDSOR NESTE SÁBADO

Foto: Reprodução

O funeral do príncipe Philip, que morreu aos 99 anos, acontece neste sábado (17) em uma cerimônia reduzida por conta dos protocolos da Covid-19.

O corpo do duque de Edimburgo será velado na Capela de São Jorge, dentro da propriedade real do Castelo de Windsor, onde Philip morava com a rainha Elizabeth II.

Antes do início da cerimônia, o caixão de Philip será guardado em uma capela privada dentro do castelo.

Acompanhe o que deve acontecer durante o dia (no horário de Brasília):

– 10h40 – o caixão de Philip é colocado no carro para o início da procissão

– 10h45 – tem início a procissão dentro dos muros do castelo

–  10h53 – o corpo de Philip chega à Capela de São Jorge

–  11h00 – 1 minuto de silêncio nacional

G1

NATAL ABRE DRIVES PARA VACINAÇÃO CONTRA COVID-19 E GRIPE NESTE FIM DE SEMANA; VEJA LOCAIS

Drive thru de vacinação contra a Covid-19 , em Natal — Foto: Rennê Carvalho

Natal vai abrir neste sábado (17) e domingo (18) os pontos de drive-thru para a vacinação contra a Covid-19 e a Influenza, o vírus da gripe.

Segundo a prefeitura, a campanha de imunização contra a Covid-19 segue com aplicação da primeira dose em pessoas a partir de 63 anos, com a vacina de Oxford/AstraZeneca.

O lote de CoronaVac recebido nesta sexta-feira (16) será destinado à aplicação da segunda dose. Portanto, quem só recebeu a primeira dose da CoronaVac e está no prazo para receber a segunda, deve se dirigir a um dos pontos de vacinação.

A Secretaria de Saúde de Natal recomenda agora que a população receba a segunda dose da CoronaVac entre o 21º e o 28º dia, ou na data já aprazada no cartão de vacinação – a imunização neste período leva a eficácia a até 62%, maior do que quando a segunda dose é aplicada após 14 dias.

Para receber o imunizante é necessário apresentar o cartão de vacinação, comprovante de residência de Natal e documento com foto.

Locais para vacinação contra Covid-19

Arena das Dunas

UnP na unidade da avenida Roberto Freire

Ginásio Nélio Dias

OAB

Shopping Via Direta

Sesi/Fiern*

Os pontos funcionam das 8h às 16h. Os cinco últimos contam também com pontos de vacinação para pedestres.

*O único a não abrir no domingo é o Sesi.

Na segunda-feira a campanha ganha o reforço das 35 salas de imunização existentes na rede municipal com ênfase na imunização contra a covid-19.

Locais para vacinação contra Influenza

Palácio dos Esportes

Ginásio Nélio Dias, com acesso pelo portão 3

O público alvo dessa fase são crianças de seis meses a menores de seis anos de idade, gestantes, mulheres com 45 dias pós parto, povos indígenas e trabalhadores da saúde. Na segunda-feira, além dos drive de vacinação, a SMS Natal também disponibiliza 20 salas de vacinação para a população.

Posso tomar a vacina CoronaVac após receber a vacina contra a gripe?

O intervalo entre a vacina da Covid-19 e a vacina da gripe deve ser de, no mínimo, 14 dias. Portanto, se a pessoa tomar a vacina da gripe no dia 1, deve esperar até o dia 15 para receber a vacina da Covid-19, ou vice versa. Com informações do G1/RN.

CASO HENRY: EM NOVO DEPOIMENTO, EX-NAMORADA DIZ NÃO SER ‘CAPAZ DE CONTABILIZAR’ INÚMERAS AGRESSÕES DE JAIRINHO

Débora Mello Saraiva, de 34 anos, ex-namorada e amante de Jairinho – Foto: Reprodução

Vinte e cinco dias depois de negar ter sido agredida pelo ex-namorado e amante, o médico e vereador Jairo Souza Santos Júnior, o Dr. Jairinho (sem partido), Debora de Mello Saraiva voltou atrás nas declarações prestadas ao delegado Henrique Damasceno, titular da 16ª DP (Barra da Tijuca).

Em novo depoimento, nesta sexta-feira, a estudante narrou, ao longo de quatro horas, os episódios de violência que sofreu por parte do parlamentar – foram tantos, segundo a moça, que ela sequer é “capaz de contabilizar”. Jairinho e a atual companheira, Monique Medeiros da Costa e Silva, estão presos e são apontados pela polícia como responsáveis pela morte do menino Henry Borel, de 4 anos, enteado do vereador.

Na delegacia, Debora alegou ter mentido e omitido informações por se sentir “ameaçada”. Ela contou que, ao receber a intimação, ligou para Thalita Fernandes, irmã do parlamentar. Logo em seguida, o próprio Jairinho telefonou e disse: “É só você falar a verdade, amor”. Ela, então, diz ter perguntado: “Verdade? Você quer mesmo que eu diga a verdade?” O ex-namorado teria respondido: “Você vai falar a verdade”. A estudante diz ter entendido, pelo tom, que não podia “relatar o que sofreu”, tampouco “o que sabia”, especialmente por ele ainda estar em liberdade.

Em seu novo depoimento, Debora contou que, a partir do segundo ano de relacionamento, passou a “sofrer constantes agressões físicas” por parte de Jairinho, inclusive depois do término do namoro.

A primeira delas foi em 2016, quando ela mexeu no celular do vereador e descobriu uma troca de mensagens dele com a ex-mulher, a dentista Ana Carolina Ferreira Netto, mãe de dois dos seus três filhos. Ela o acordou, e o vereador teria se “transformado”, a segurando pelo braço e dizendo que “sumiria” com ela, simulando um assalto, largando sua bolsa e seu celular em algum canto, ligando para sua mãe e dizendo que não sabia seu paradeiro.

A estudante contou que Jairinho então a jogou no sofá, subiu em cima da mesa e passou a esganá-la, apertando seu pescoço. Debora conta que tentava dizer que ele iria matá-la, pois estava sem conseguir respirar. Ela relatou, entretanto, que, subitamente, a feição do então namorado mudou, ele largou seu pescoço e falou: “Vamos dormir”.

Em outra ocasião, no mesmo ano, Debora teria sido chutada por Jairinho, o que provocou a fratura de um dos seus dedos do pé, tendo que imobiliza-lo em um hospital particular no Méier. Já em 2020, quando estavam  na casa da família do vereador em Mangaratiba, a estudante diz ter sido agredida por ele ao impedíi-lo de ver o conteúdo do seu celular. Ela narrou que recebeu um mata-leão, foi arrastada pela casa e recebeu três mordidas dele em seu couro cabeludo.

A estudante contou também que, segundo narrou seu filho, atualmente com 8 anos, em 2015, quando ela estava dormindo, o vereador colocou na boca do menino um papel e um pano e disse que ele não poderia engolir. Ele teria deitado a criança no sofá da sala, ficado em pé no sofá e apoiado todo o peso do seu corpo nele com o pé.

O filho de Debora contou ter conseguido correr e tentado acordá-la, no quarto, mas ela acredita que estava dopada. Jairinho foi atrás do menino, lhe levou para o estacionamento, colocou um saco plástico em sua cabeça e ficou dando voltas com o carro. A mãe da estudante teria visto um pó branco na taça em que ela havia bebido água e refrigerante na noite anterior.

Em outro episódio, Jairinho teria levado o filho de Debora sozinho a uma casa de festas. “Deixa eu levar ele. Porque a Ana não deixa eu levar o meu o meu filho, não deixa eu ver o meu filho. Deixa eu levar o seu, eu que cuido, eu que sou o pai. Só quero leva-lo para se divertir”, teria dito o parlamentar.

Pouco tempo depois, ele ligou dizendo que o menino havia torcido o joelho. Levada a uma clínica particular na Barra, foi diagnosticada uma fratura do fêmur. Ela diz ter estranhado o fato de o menino não ter chorado em nenhuma momento, mesmo diante de uma lesão grave.

Após o depoimento, o delegado Antenor Lopes, chefe do Departamento de Polícia da Capital, conversou com jornalistas. Segundo ele, a prisão de Jairinho e Monique foi fundamental para que as investigações avançassem.

– Agora, após a prisão preventiva do casal, as testemunhas estão voltando à delegacia e trazendo a verdade. Isso demonstra que o pedido de prisão foi completamente acertado – afirmou Lopes.

Agência O Globo

COVID-19: GOVERNADORES PEDEM AJUDA À ONU PARA OBTER VACINAS

Foto: Marcos Gouveia

O Fórum de Governadores se reuniu nesta sexta-feira (16) com representantes da secretária-geral adjunta da Organização das Nações Unidas (ONU), Amina Mohamed, e com representantes da Organização Mundial de Saúde (OMS) para solicitar auxílio na viabilização de mais doses de vacinas. Os governantes estaduais defenderam um tratamento especial ao Brasil como uma “ajuda humanitária” diante do reconhecimento dos órgãos internacionais de que o país é o novo centro da pandemia.

Os governadores solicitaram apoio das instituições internacionais para destravar o repasse de doses previstas no acordo do mecanismo Covax Facility, consórcio coordenado pela OMS. Segundo o coordenador do Fórum, o governador do Piauí, Wellington Dias, o Brasil teria direito a 9,1 milhões de doses oriundas do mecanismo, mas só recebeu até o momento 1 milhão.

“Haverá esforço para que uma entrega que estava prevista para maio possa ser antecipada para até o fim de abril, de 4 milhões de doses. Vamos tratar com Coreia, Índia e China, que estão neste esforço de produção [dos imunizantes]. Até o mês de maio completa essa entrega e maio-junho tem perspectiva de regularização”, declarou Dias em entrevista coletiva após a reunião.

IFA

Outro pleito foi a participação de tratativas junto à Índia para enviar 15 milhões de Ingredientes Farmacêuticos Ativos (IFAs) – as matérias-primas chave da fabricação de uma vacina – para a produção e novas doses da vacina CoronaVac, desenvolvida a partir de uma parceria entre Instituto Butantan e a farmacêutica chinesa Sinovac.

Os 15 milhões de IFAs foram prometidos e seriam disponibilizados pelo laboratório Serum, da Índia. Contudo, com a explosão de casos nesse país os insumos e produção de imunizantes estão sendo voltados para atender ao mercado interno.

A demanda dos governadores é que sejam entregues até o fim de abril pelo menos 10 milhões de IFAs ou de doses prontas da Coronavac pela China. Isso porque eles alertam para o risco da falta desta quantidade deixar pessoas desprotegidas sem a aplicação da 2ª dose ainda no mês de abril.

Transferência de tecnologia

Tanto no caso da CoronaVac quanto no da vacina de Oxford/AstraZeneca, o Fórum defendeu a atuação da ONU e OMS na interlocução com as farmacêuticas para antecipar a transferência de tecnologia aos laboratórios brasileiros: o Instituto Butantan e a Fiocruz, respectivamente.

Tal antecipação permitiria que as duas instituições passassem a produzir novas doses inteiramente no Brasil, sem dependência do envio de insumos de outros países, o que agilizaria o atendimento do mercado interno.

Os governadores requisitaram aos representantes dos dois organismos internacionais ajuda na intermediação também junto ao governo e Congresso dos Estados Unidos para alterar a proibição de exportação do excedente de vacinas produzidas no país.

A expectativa do governo estadunidense é imunizar toda a sua população até maio. A previsão de é que sobrem doses. Os governadores querem que a venda ou empréstimo de parte deste excedente sejam autorizados ao Brasil como uma situação excepcional de “ajuda humanitária”.

Insumos e patentes

Os governadores também trataram do colapso no sistema de saúde nacional e da falta de insumos, especialmente dos medicamentos que fazem parte do chamado “kit intubação”, usado no suporte ventilatório de pacientes com covid-19. Eles requisitaram à secretária-geral adjunta da ONU auxílio no diálogo com países que possuam estoques desses medicamentos que que possam disponibilizá-los.

Outra proposta apresentada foi que, a exemplo do que ocorreu no caso das drogas para tratamento de pessoas com HIV/AIDS, ocorra uma quebra das patentes para que outros laboratórios possam também produzir as vacinas.

Agência Brasil

COVID: BRASIL REGISTRA 3.305 ÓBITOS E 85 MIL NOVOS CASOS NAS ÚLTIMAS 24H

Foto: Pixabay

O Ministério da Saúde divulgou os dados mais recentes sobre o coronavírus no Brasil nesta sexta-feira (16). O país registrou 3.305 óbitos nas últimas 24h, totalizando 368.749 mortes.

Foram 85.774 novos casos de coronavírus registrados, no total 13.832.455 pessoas já foram infectadas. O número total de recuperados do coronavírus é 12.298.863, com o registro de mais 65.568 pacientes curados. Outros 1.164.843 pacientes estão em acompanhamento.

 

GENERAL SILVA E LUNA É CONFIRMADO NA PRESIDÊNCIA DA PETROBRAS

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O nome do general Joaquim Silva e Luna foi confirmado para o cargo de presidente da Petrobras. A informação foi divulgada nesta sexta-feira (16) pela estatal. Silva e Luna foi indicado pelo presidente Jair Bolsonaro em substituição ao economista Roberto Castello Branco, que se desligou da empresa.

A decisão foi formalizada pelo Conselho de Administração da estatal, que elegeu Silva e Luna, além de aprovar outros nomes para compor a Diretoria Executiva. Rodrigo Araujo Alves foi escolhido como diretor executivo Financeiro e de Relacionamento com Investidores; Cláudio Rogério Linassi Mastella, diretor executivo de Comercialização e Logística; Fernando Assumpção Borges, diretor executivo de Exploração e Produção; e João Henrique Rittershaussen, diretor executivo de Desenvolvimento da Produção.

Foram reconduzidos Nicolás Simone, como diretor executivo de Transformação Digital e Inovação; Roberto Furian Ardenghy, diretor executivo de Relacionamento Institucional e Sustentabilidade; e Rodrigo Costa Lima e Silva, diretor executivo de Refino e Gás Natural.

Silva e Luna foi diretor-geral brasileiro da Itaipu Binacional, de fevereiro de 2019 até abril de 2021. É general de exército da reserva e serviu no Ministério da Defesa, de março de 2014 a janeiro de 2019, como secretário-geral e como ministro da Defesa. É graduado pela Academia Militar das Agulhas Negras, na arma de engenharia.

Agência Brasil

FILHO DE LAVADEIRA É APROVADO EM 1° LUGAR EM MEDICINA NA UFRN

Foto: Reprodução

Luiz Gustavo de Oliveira, de 19 anos, natural de Caicó, filho de uma lavadeira, foi classificado em primeiro lugar no curso de medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Norte(UFRN) via Sisu.

Reportagem da InterTV Cabugi conta que o jovem teve que se desdobrar para buscar a aprovação, abdicando, inclusive, de finais de semana, e tendo ajuda de familiares e uma bolsa de estudo para conseguir o objetivo da aprovação.

PRIMEIRAS DOSES DA VACINA DA PFIZER CHEGARÃO AO BRASIL EM 29 DE ABRIL

 

Foto: Dado Ruvic/Reuters

As primeiras doses da vacina contra a covid-19 da Pfizer/BioNTech chegarão ao Brasil no dia 29 deste mês. Segundo o Ministério da Saúde, a previsão da fabricante é que a primeira remessa de imunizantes será de 1 milhão de doses. Ela faz parte do quantitativo de 2 milhões de doses que o governo federal conseguiu antecipar, em anúncio feito anteontem (14).

No total, o governo brasileiro tem a previsão da Pfizer de entrega de 15,5 milhões de doses para os meses de abril, maio e junho. Em março, o Ministério da Saúde assinou um contrato com a farmacêutica americana para a aquisição de 100 milhões de doses.

O primeiro milhão de doses chegará no Aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP).

Com a chegada das doses, a vacina da Pfizer se juntará aos dois imunizantes contra a covid-19 aplicados no Brasil atualmente: a CoronaVac, envasada pelo Instituto Butantan, e a vacina da AstraZeneca/Oxford, produzida pela Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz).

UOL

‘BOLSONARO ERROU E SE OMITIU NA PANDEMIA’, DIZ RENAN CALHEIROS, ESCOLHIDO COMO RELATOR DA CPI

Foto: Roque de Sá/Agência Senado

Ex-presidente do Senado, Renan Calheiros (MDB-AL) era um dos nomes mais temidos pelo governo para ocupar um posto no comando da CPI da Pandemia. Indicado por seu partido para a função de relator da comissão parlamentar, Renan afirmou, em conversa por telefone, que o presidente Jair Bolsonaro “errou” e se “omitiu” na condução da pandemia. Com a ressalva de que ainda não foi formalmente escolhido como relator, o senador diz que essa avaliação que faz sobre atuação do presidente da República é pessoal, mas promete que o trabalho da CPI será técnico e apartidário. Ainda hoje o governo tentava emplacar um outro nome para a relatoria da CPI.

Minha opinião é que a gestão do Bolsonaro foi terrível no enfrentamento à pandemia. Ele complicou tudo. Complicou porque errou, se omitiu e minimizou a doença. Prescreveu remédios sem comprovação científica, estimulou aglomeração, não usou máscara. Priorizou o tratamento preventivo. É um somatório. Estamos pagando esse preço em mortes. Mas isso é só uma avaliação pessoal. Defendo uma CPI técnica, que arregimente boas cabeças da Polícia Federal, do Ministério Público Federal e do Tribunal de Contas da União. Defenderei uma investigação rigorosamente técnica, sem partidarismo e sem alvos pré-determinados.

QUAL O PAPEL DA CPI? QUE INSTRUMENTOS PRETENDE USAR?

O papel da CPI é sugerir uma revisão dos procedimentos para amenizar o horror que estamos vivendo no país. A CPI tem poderes constitucionais para investigar. E, a partir daí, convocar pessoas, fazer oitivas, ter acesso a informações, quebrar sigilos telefônicos, todos os sigilos. Temos um livro publicado em 2006 no Senado, em parceria com o Supremo, que sistematiza ao longo dos anos todas as decisões de CPI tomadas pelo STF, o que pode e o que não pode. Ressalto que ainda não fui escolhido relator e nem priorizo isso. Isso só vai se definir quando a CPI for instalada. O presidente da comissão indica o relator mediante conversa com demais integrantes. Concordarei com qualquer nome do grupo. Não preciso ser relator para colaborar na investigação. Farei o meu melhor como integrante. É uma estupidez o governo querer interferir nos trabalhos da CPI para evitar que alguém seja indicado relator, até porque apoio qualquer um do grupo.

QUEBRAR O SIGILO TELEFÔNICO DOS INVESTIGADOS NA CPI DA PANDEMIA É UMA POSSIBILIDADE?

Sim.

PRETENDE CONVOCAR BOLSONARO OU MINISTROS PARA PRESTAR DEPOIMENTO?

É cedo para dizer se defendo convocação do Bolsonaro ou de ministros. Quem define os limites da investigação é a própria investigação. A investigação se aprofunda e estabelece as necessidades.

GOVERNADORES E PREFEITOS SERÃO INVESTIGADOS?

Qualquer fato que tenha conexão com outro fato objeto da investigação também será investigado. De modo que estados e municipios já estavam incluídos nessa regra, por conta de repasses federais.

RANDOLFE RODRIGUES (REDE-AP) DISSE QUE A CPI DEVERÁ APONTAR CONSEQUÊNCIAS NO ÂMBITO PENAL. A CPI DEVERÁ INDICAR SE HOUVE CRIME DE RESPONSABILIDADE?

Se tem crime de responsabilidade por ação ou omissão, essas coisas que nos cobram no dia a dia, não há como responder se não pelos caminhos que a CPI indicar.

APÓS O STF DETERMINAR A INSTALAÇÃO DA CPI, BOLSONARO AFIRMOU QUE ESTAVA ESPERANDO UMA “SINALIZAÇÃO” DA POPULAÇÃO PARA AGIR. COMO VÊ ESSE TIPO DE DECLARAÇÃO. ACARRETA EM ALGUM IMPACTO PARA A CPI?

É o estilo de ameaças repetidas. Essas não intimidam mais ninguém. Há consciência geral em relação à complexidade que vivemos no país. E há consciência de que todos têm que fazer sua parte e cumprir seu papel. De modo que essas ameaças e intimidações não vão atemorizar a CPI. A CPI é importante, composta por bons quadros da política nacional, pessoas com experiências em outras áreas. E que vão se dedicar totalmente à investigação.

COMO AVALIA A GESTÃO DO EX-MINISTRO DA SAÚDE EDUARDO PAZUELLO, ÚLTIMO A DEIXAR O CARGO?

Pazuello foi muito mal, muito mal… Com todo o respeito, estou há muito tempo em Brasília e nunca convivi com um ministro tão medíocre quanto Pazuello. Espero estar enganado. A CPI é uma oportunidade para que eu me convença ou não disso.

COMO AVALIA A GESTÃO DE NELSON TEICH À FRENTE DA SAÚDE?

Acho que é um técnico bem sucedido, mas logo viu que não dava para seguir os caminhos da ciência, que estava sendo torpedeada pela crença e pela ideologia de alguns no governo.

COMO AVALIA A GESTÃO DE LUIZ HENRIQUE MANDETTA NA PASTA?

Esse, sim, era um bom ministro. Equilibrado, sensato, tinha excelente relação com o Congresso Nacional. Ele teria condições de ter evitado muitas mortes no Brasil. Se não tivesse saído, teria evitado.

O Globo

TSE DEVE COMPRAR 176 MIL URNAS PARA ELEIÇÕES DE 2022

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) realizou hoje (16) uma audiência pública para confirmar a intenção de comprar até 176 mil urnas eletrônicas para as eleições de 2022, quando os eleitores votarão para os cargos de presidente, governador, senador, deputado federal e deputado estadual.

Segundo o TSE, a compra é necessária para substituir urnas que são utilizadas desde 2009 e estão obsoletas. Além disso, a troca será feita para garantir a segurança dos equipamentos. A vida útil de uma urna é de dez anos.

Segundo o secretário de Tecnologia do TSE, Giuseppe Janino, as empresas interessadas na licitação deverão ter a responsabilidade de manter o nível de excelência de qualidade dos equipamentos. A urna eletrônica foi utilizada pela primeira vez em 1996.

“Qualidade e confiabilidade são valores essenciais nessa futura próxima parceria”, afirmou em nota.

Em julho do ano passado, o TSE homologou um outro contrato, no valor de R$ 799 milhões, com a empresa Positivo, para a compra de 180 mil urnas eletrônicas, ao preço de R$ 4,4 mil cada. Nesse caso, a licitação havia começado em 2019, mas atrasos provocados por contestações entre os concorrentes inviabilizaram a utilização dos equipamentos já nas eleições municipais de 2020.

Agência Brasil

ALEXANDRE DE MORAES PEDE VISTA E JULGAMENTO DOS DECRETOS DAS ARMAS É SUSPENSO

Foto: Rosinei Coutinho

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes pediu vista do julgamento do plenário virtual que analisava a suspensão de trechos de quatro decretos do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) que regulamentam o Estatuto do Desarmamento, flexibilizando a compra, o registro e o porte de armas. Agora, o julgamento está suspenso.

A relatora do caso é a ministra Rosa Weber, que na segunda-feira (12) havia suspendido a eficácia de trechos dos decretos alegando que eles ferem o Estatuto do Desarmamento. O voto de Weber foi seguido pelo ministro Edson Fachin.

Entre os trechos vetados pela ministra está o que permite o porte de até duas armas de fogo ao mesmo tempo por cidadãos autorizados a andar armados. A legislação anterior limitava o porte de armas a um instrumento. Os decretos também abrem a possibilidade de compra de até seis armas por pessoa.

Os partidos PSB, Rede, Psol e PSDB acionaram o STF por meio de cinco Ações Diretas de Inconstitucionalidade (ADIs), questionando os decretos de Bolsonaro.

Os decretos entrarariam em validade na terça-feira (13). O STF tem até o dia 26 de abril para decidir se a decisão de Rosa Weber vale ou não.

CNN Brasil

BRUNO COVAS TEM NOVOS PONTOS DE CÂNCER NO FÍGADO E NOS OSSOS, DIZ BOLETIM MÉDICO

Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil

Exames realizados pelo prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), apontaram novos focos de câncer no fígado e nos ossos, de acordo com boletim médico divulgado nesta sexta-feira, 16. Após o diagnóstico, a equipe médica optou por fazer ajustes no tratamento.

Além de continuar com as sessões de quimioterapia – retomadas em fevereiro, quando se descobriu um novo nódulo no fígado – o prefeito agora também será submetido à imunoterapia.

Clinicamente, ainda de acordo com a nota divulgada pela Prefeitura, Covas “está bem, sem sintomas, e apto a prosseguir suas atividades pessoais e profissionais”. Desta forma, ele não se afastará da Prefeitura. A alta está prevista para o início da semana que vem, após se completar esta nova etapa do tratamento.

O tucano luta contra a doença há um ano e meio, quando recebeu o primeiro diagnóstico. Na época, a descoberta foi de um câncer no estômago com metástase para o fígado e linfonodos da região abdominal. Desde então, o prefeito já teve a indicação de 12 sessões de quimioterapia, que duram 48 horas e, portanto, exigem internação.

Ao final de cada ciclo, novos exames são realizados para checagem dos resultados e controle da doença. A metástase para os ossos foi diagnosticada, segundo boletim, exatamente nesse processo.

Pelas redes sociais, o prefeito afirmou que seguirá lutando e que ainda tem muito trabalho a fazer. “Obrigado a todos pelo carinho de sempre. Rezas, orações, pensamentos positivos que recebo de todos os cantos me fazem mais forte nessa batalha”, escreveu.

Como fez das outras vezes, Covas irá despachar do próprio hospital, a partir de um tablet configurado para validar a assinatura eletrônica que os documentos oficiais exigem. Já as visitas deverão ser restritas.

Estadão

COM TAXA DE OCUPAÇÃO ACIMA DE 95%, RN TERMINA SEMANA COM 11 LEITOS PÚBLICOS A MENOS PARA TRATAMENTO DA COVID-19

Foto: Cícero Oliveira/Agecom/UFRN

O número de leitos públicos para Covid-19 caiu entre a última segunda-feira (12) e esta sexta-feira (16) no Rio Grande do Norte. São 11 leitos a menos, de acordo com dados levantados pelo G1 nos dois dias, no sistema Regula RN – usado para regulação de pacientes.

A redução ocorre em um momento em que o estado enfrenta taxa de ocupação acima de 95% e fila de espera por UTIs. Por volta das 13h desta sexta (16), 46 pessoas estavam cadastradas no sistema à espera por um leito crítico. Por causa da situação crítica da Covid-19, o governo do estado prorrogou o decreto que determina toque de recolher e limita funcionamento de estabelecimentos até o próximo dia 23.

Na manhã última segunda (12), o Regula RN registrava um total de 857 leitos – 396 leitos críticos e 461 leitos clínicos. No início da tarde desta sexta-feira (16), havia 11 leitos a menos. Eram 391críticos e 455 clínicos, totalizando 846.

O número de leitos retirados do sistema não tem relação com leitos bloqueados por razões como manutenção, falta de insumos ou pessoal, higienização, entre outras. Os leitos bloqueados continuam no sistema.

O Rio Grande do Norte atingiu o maior número de leitos críticos operacionais, ao longo de toda a pandemia, nos dias 3 e 4 de abril, quando havia 377 leitos em uso ou pronto para uso. Atualmente, são 371, segundo o sistema.

Em nota, a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) afirmou que “no período apontado foram excluídos da plataforma Regula RN leitos clínicos sob responsabilidade da Prefeitura de Parnamirim, sem motivo apresentado à Sesap, e críticos da Liga Contra o Câncer, que não foram habilitados pelo Ministério da Saúde”.

O G1 procurou a Secretaria Municipal de Parnamirim e a Liga Contra o Câncer para saber o motivo do descadastramento dos leitos, mas não recebeu retorno até a última atualização desta matéria.

Dentro do período, ainda foram descadastrados e recadastrados leitos críticos que haviam sido excluídos no Hospital Universitário Onofre Lopes (HUOL), após a Sesap encaminhar insumos à unidade.

G1

BOLSONARO DIZ QUE IVERMECTINA MATA “VERME” E POR ISSO ESQUERDA REJEITA

Foto: Reprodução

Em conversa com apoiadores nesta 6ª feira (16), o presidente Jair Bolsonaro  falou sobre as críticas de opositores ao ivermectina, remédio usado para o tratamento de parasitas, que  vem sendo recomendando para tratar a covid.

“A ivermectina também mata verme ou não? Agora entendi por que a esquerda é contra”, disse.

“Eles criminalizaram o tratamento precoce, o tratamento imediato. Se falar qualquer coisa, não pode. Estão processando o ministro da Saúde nosso por causa da cloroquina. A cloroquina é usada aqui há muito tempo para a malária e outras coisas. Não existe excesso de produção da nossa parte. Muito pelo contrário, tende a faltar. Eu pedi para o 1º ministro da Índia insumos”, afirmou.

“É o tempo todo o pessoal só atrapalhando. Isso não dá certo. Ô idiota, o que dá certo? O cara é um jumento. Fica falando: ‘Ivermectina não pode, não tem comprovação científica’. E não dá alternativa. Deixa o cara tomar, pô. O médico vai decidir o que o cara vai tomar.”

“Sabemos que esse vírus está matando, em especial, o mais idoso e etc. Mas temos que ter os números concretos. A TV Globo, por exemplo, a ‘TV Funerária’ – William Bonner parece que ganhou na mega-sena quando anuncia: ‘O maior recorde de mortes’”.

Bolsonaro disse que solicitou ao Ministério da Saúde um levantamento sobre as principais causas de mortes no Brasil nos últimos anos. Falou que vai apresentar os dados ao Comitê de Crise da Covid, que reúne os presidentes da Câmara e do Senado.

“Na próxima reunião a gente vai apresentar quantas pessoas morreram nos últimos 25 anos de cada doença”, afirmou.

Com informações do Poder 360.

Topo